Imigrantes na região de Palma e Muriaé

Para atender consultas sobre imigrantes que viveram em cidades vizinhas a Leopoldina, organizamos uma pequena relação com dados encontrados durante nossas buscas. Esclarecemos, porém, que pesquisamos apenas as famílias que viveram no município de Leopoldina porque seria impossível realizar um trabalho produtivo se abríssemos mais o nosso foco.

Alertamos, firmemente, sobre o caráter dos dados a seguir: não se trata de levantamento exaustivo, ou seja, contempla apenas um pequeno período dentro da época em que a região recebeu o maior número de imigrantes estrangeiros.


Fazendeiro contratante: Antonio Balbino Resende

Localização: Cisneiros, Palma

Sobrenomes de imigrantes contratados em outubro de 1895: Alti, De Rosso, Maggiolo, Pareschi, Piccolo, Presti, Tittonei


Fazendeiro contratante: Assis Fernandes

Localização: Banco Verde, São Paulo do Muriahé

Sobrenomes de imigrantes contratados em dezembro de 1895: Aldighieri, Bellato, Boarati, Burato, Busasca, Faggionato, Guerra, Maccadanza, Malotto, Pasin, Pezzetini, Tambo, Vio


Fazendeiro contratante: Barão de Monte Alto

Localização: Morro Alto, Palma

Sobrenomes de imigrantes contratados em abril de 1896: Aggio, Balleon, Boeri, Borile, Carpanese, Cesati, Cogo, Doro, Filippini, Grava, Mancini, Mantovan, Masega, Michieletti, Milani, Pandin, Riz, Sadocca, Salvatico


Fazendeiro contratante: Eudosia Augusta Carmelo

Localização: Barra Alegre, São Paulo do Muriaé

Sobrenomes de imigrantes contratados em março de 1896: Barbini, Bazzeggio, Belletto


Fazendeiro contratante: Francisco Teodoro Macedo

Localização: Banco Verde, São Paulo do Muriaé

Sobrenome de imigrante contratado em dezembro de 1895: Topa


Fazendeiro contratante: Gabriel Arcangelo da Silva

Localização: Banco Verde/Monte Alegre, São Paulo do Muriaé

Sobrenomes de imigrantes contratados em março de 1896: Baldiserotto, Boscariol, Casagrande, Dedin, Facca, Lusti, Moscardo


Fazendeiro contratante: Jeremias de Araújo Freitas

Localização: Palma

Sobrenomes de imigrantes contratados em outubro de 1895: Muzzioli, Zambon


Fazendeiro contratante: João Augusto Rodrigues Caldas

Localização: São Manoel, São Paulo do Muriahé

Sobrenomes de imigrantes contratados em junho de 1896: Baldi, Berardi, Cavalli, Drudi, Ferri, Gambati, Maltoni, Mancini, Migani, Nicolini, Parosi, Piccioni, Pironi, Pironi, Vandi, Vani, Villa


Fazendeiro contratante: Joaquim Hilario Teixeira

Localização: Palma

Sobrenomes de imigrantes contratados em junho de 1896: Anghietti, Baldazzi, Nati, Ricci, Rincini, Terzi, Tinti


Fazendeiro contratante: José Antonio Alves Oliveira

Localização: Morro Alto, São Paulo do Muriaé

Sobrenomes de imigrantes contratados em março de 1896: Boldrin, Dian, Marzin, Pavan, Suman, Tisiot, Zordan


Fazendeiro contratante: José Januario Rabello

Localização: Parochena, São Paulo do Muriaé

Sobrenomes de imigrantes contratados em outubro de 1895: Gamba


Fazendeiro contratante: José Machado

Localização: Parochena, São Paulo do Muriaé

Sobrenomes de imigrantes contratados em outubro de 1895: Baratella, Bernardi, Casarin, Gatto, Pozzolo


Fazendeiro contratante: Raymundo Correia do Espírito Santo

Localização: Fazenda Santa Olímpia, Palma

Sobrenomes de imigrantes contratados em outubro de 1895: Andreini, Arvenghi, Barbi, Bergamini, Bertinazzi, Bonfigioli, Cassina, Cassis, Ermi, Locatelli, Maffialetti, Monfardini, Noris, Paltrinieri, Santinelli, Signorelli, Trapolli, Travellin, Vacchi, Vezzole


Fazendeiro contratante: S. Miguel Caputo

Localização: Morro Alto, Palma

Sobrenome de imigrante contratado em abril de 1896: Tramarin


Fazendeiro contratante: Theodoro Alves de Souza

Localização: Banco Verde, São Paulo do Muriaé

Sobrenomes de imigrantes contratados em janeiro de 1896: Cesario, Curiani, Felippe, Mamponin, Marzano, Mattioli, Patuzzo, Pistore, Ruffato, Sabadin, Salviato, Testa, Tonello, Zardetto


Fazendeiro contratante: Venancio Alves da Silva

Localização: Banco Verde, São Paulo do Muriaé

Sobrenomes de imigrantes contratados em dezembro de 1895: Braga, Chilese, Cortese, Duse, Melisen, Mesilon, Sotterina


Fazendeiro contratante: Xisto Jorge dos Santos

Localização: São Paulo do Muriahé

Sobrenomes de imigrantes contratados em junho de 1896: Arcangeli, Arcangeli, Buontempi, Ottaviani, Savoretti, Tangheri

Italianos em Miraí, Muriaé e Palma

Muitas vezes encontramos informações que nos remetem aos municípios vizinhos, seja porque o imigrante foi contratado inicialmente por um fazendeiro daquelas cidades ou, no caso inverso, porque a família saiu de Leopoldina para trabalhar em outros lugares. De todo modo, é impossível circunscrever nossas buscas ao limite territorial de Leopoldina.

Agrupamos os imigrantes sobre os quais descobrimos passagem por Miraí, Muriaé ou Palma, com vistas a analisar sua trajetória. Descobrimos que nosso foco deveria centrar-se em antigos distritos. Para melhor situar nossos leitores, informamos a seguir os nomes das localidades na época, com os respectivos fazendeiros contratantes:

  • Banco Verde: Assis Fernandes, Francisco Teodoro Macedo, Gabriel Arcângelo da Silva, Theodoro Alves de Souza e Venâncio Alves da Silva

  • Bom Jesus da Cachoeira Alegre e São Sebastião da Cachoeira Alegre: Eudóxia Augusta Carmelo, Jeremias de Araújo Freitas, João Augusto Rodrigues Caldas, Joaquim Hilário Teixeira, José Januário Rabello, José Machado, Raymundo Correia do Espírito Santo e Xisto Jorge dos Santos

  • Cisneiros: Antonio Balbino Resende

  • Morro Alto: Barão de Monte Alto, José Antônio Alves Oliveira e Miguel Caputo

Além destes locais, Dores da Vitória, distrito de Miraí, aparece em várias fontes sem identificação do fazendeiro contratante.

Outro ponto que guiou a categorização do grupo foi a chegada ao Brasil. Descobrimos as seguintes datas de desembarque e vapores que os trouxeram:

Em 1895:

  • 31 de outubro, vapor Sempione

  • 18 de dezembro, vapor Arno

Em 1896:

  • 03 de janeiro, vapor Rosario

  • 13 de março, vapor Concordia

  • 21 de março, vapor Matteo Bruzzo

  • 05 de abril, vapor Colombo

  • 19 de junho, vapor Montevideo

Em 1897, outra viagem do vapor Rosario que aportou no Rio de Janeiro em abril.

Além das famílias que passaram por Leopoldina, estes vapores trouxeram outros imigrantes que seguiram para os mesmos lugares. Por não temos estudados todos eles, não podemos afirmar que a grafia original do sobrenome corresponda à que encontramos nos registros da Hospedaria Horta Barbosa. A relação a seguir serve, portanto, apenas como primeira informação.

Aggio Aldighieri Alti Andreini Anghietti Arcangeli Arvenghi
Baldazzi Baldi Baldiserotto Balleon Baratella Barbi Barbini
Bazzeggio Bellato Belletto Berardi Bergamini Bernardi Bertinazzi
Boarati Boeri Boldrin Bonfigioli Borile Boscariol Braga
Buontempi Burato Busasca
Carpanese Casagrande Casarin Cassina Cassis Cavalli Cesario
Cesati Chilese Cogo Cortese Curiani
Ermi
De Rosso Dedin Dian Doro Drudi Duse
Facca Faccio Faggionato Felippe Ferri Filippini Fiviani
Gamba Gambati Gatto Grava Guerra
Locatelli Lusti
Maccadanza Maffialetti Maggiolo

Malotto

Maltoni Mamponin Mancini
Mantovan Marzano Marzin Masega Mattioli Mazzuccato Melisen
Mesilon Michieletti Migani Meloni Milani Monfardini Moscardo
Muzzioli
Nati Nicolini Noris
Ottaviani
Paltrinieri Pandin Pareschi Parosi Pasin Patuzzo Pavan
Pezzetini Piccioni Piccolo Pironi Pistore Pozzolo Presti
Ricci Rincini Riz Ruffato
Sabadin Sadocca Salvatico Salviato Santinelli Savoretti Signorelli
Sotterina Suman
Tambo Tangheri Terzi Testa Tinti Tisiot Tittonei
Tonello Topa Tramarin Trapolli Travellin
Vacchi Vandi Vani Vezzole Villa Vio
Zambon Zardetto Zordan

O papel do Imigrante

A presença do imigrante europeu em Leopoldina pode ser detectada desde os seus primórdios. Entretanto, as esparsas referências não nos permitem seguir rigidamente os passos deste elemento povoador.

Observamos que formavam núcleos isolados por origem e mantinham o relacionamento mínimo indispensável com a “gente da terra”.

É a partir da metade do século dezenove que os “estrangeiros” passam a ser notados com mais vigor. Observe-se entretanto que o imigrante português nem sempre é tido como estrangeiro.

Como eles chegaram?

Estabeleçamos três períodos para definir-lhes a história: 1829-1859; 1860-1888; 1889 até os primeiros anos do século vinte.

Os pioneiros, encontrados na cidade antes de 1859, eram essencialmente comerciantes. Não encontramos referências a agricultores entre eles. Quase sempre identificados como “turcos”, a sala de suas casas era a loja e as demais dependências destinavam-se à moradia. Entre eles estão os primeiros mascates do lugar, homens que visitavam as fazendas levando os produtos para serem vendidos. Eventualmente aparece o elemento português como mascate ou comerciante, mas sua atividade é quase sempre voltada ao comércio de gêneros alimentícios. Provavelmente estes primeiros imigrantes chegaram a Leopoldina buscando produtos a serem “exportados” para São Fidélis.

O segundo período, entre 1860 e 1888, pode ser contado a partir da abertura da estrada destinada a escoar a produção agrícola da região de Barbacena e Juiz de Fora. Para construí-la, foi fundada a Companhia União e Indústria, que contratou engenheiros, técnicos e operários especializados na Alemanha em 1856. Numa segunda etapa, em 1858, foram contratados colonos para desenvolverem a agricultura na Colônia Dom Pedro II, em Juiz de Fora. Necessário também nos referirmos aos trabalhadores arregimentados entre aqueles colonos de 1845/1847 que já não encontravam ocupação nas obras públicas de Petrópolis.

No contrato com o primeiro grupo em 1856, aqui classificado como de artífices, a Companhia União e Indústria se comprometia a pagar as despesas da viagem para o Brasil, empregá-los durante dois anos com salário de 2.000 réis mensais e fornecer alojamento e alimentação durante a vigência do contrato. Esses contratados puderam assim formar uma boa reserva pecuniária. Ao término dos dois anos, estabeleciam-se por conta própria com base na poupança amealhada. Deste grupo saíram os primeiros industriais da Zona da Mata.

Já os colonos contratados depois, obtinham vantagens menores. O transporte do Rio até a Colônia Dom Pedro II era gratuito, mas as despesas de viagem da Alemanha ao Brasil eram financiadas pela Cia em 4 anos. O salário mensal caía para 1.500 réis, a moradia era garantida por um ano apenas e alimentos e demais produtos necessários eram adquiridos pelo próprio colono.

A partir de 1860 a Cia iniciou a venda das glebas aos colonos, com financiamento de quatro anos. A partir daí muitos deles tornaram-se mão de obra assalariada para os fazendeiros da região, já como reflexo da Lei do Ventre Livre em 1871.

O declínio da Compahia União Indústria ocorreu no período de implantação da Estrada de Ferro Dom Pedro II, cujo traçado era, em linhas gerais, o mesmo da rodovia. Muitos colonos alemães, bem como imigrantes de outras nacionalidades, passaram a trabalhar na ferrovia.

Por esta época, 1871, a Companhia Estrada de Ferro Leopoldina obteve concessão para a construção de uma linha de bitola de um metro, ligando Porto Novo do Cunha a Leopoldina. Substituida pela Leopoldina Railway Company Limited, esta companhia foi a principal responsável pela chegada da maioria dos imigrantes. Necessário esclarecer que quase todos estavam no Brasil há mais de dez anos, seja trabalhando na União Indústria ou na Estrada de Ferro Dom Pedro II.

O fluxo de imigrantes para Leopoldina, por conta da Leopoldina Railway Co. Ltd., estende-se por alguns anos. O assentamento desta Companhia ficava próximo a Vista Alegre, às margens do riacho Jacareacanga. Há menção a uma Hospedaria de Imigrantes no local, mas ainda não conseguimos localizar-lhe os documentos.

O terceiro período inicia-se com a Lei Áurea e representa percentualmente o maior volume de estrangeiros chegados à região. Enquanto até aqui os imigrantes eram profissionais das mais diversas categorias, a partir de então a região passa a receber quase que exclusivamente agricultores, basicamente espanhóis e italianos. Historiadores dos mais categorizados já disseram que, fustigados pela fome que assolava sua região de origem, estes imigrantes submeteram-se a condições de trabalho quase iguais às dos escravos que os precederam na lavoura. Diferentemente dos grupos anteriores, entre estes últimos o índice de analfabetismo era bastante elevado, o que contribuiu para torná-los ainda mais frágeis diante dos fazendeiros acostumados a lidar com cativos.

Os primeiros que conseguiram livrar-se dos absurdos contratos com os fazendeiros, estabeleceram-se no trecho que ligava a sede do município a Tebas. No bairro da Onça e na vizinha Fazenda da Constança, famílias de alemães e espanhóis haviam fixado residência e receberam os novos imigrantes sem dificuldades e, principalmente, sem o preconceito que os impedia de participarem ativamente da vida econômica da cidade. Nesta região, a Câmara Municipal havia estabelecido as bases de uma colônia de imigrantes.

São Sebastião da Cachoeira Alegre

Freguesia de 1887, pertencente à Paróquia de São Paulo de Muriaé, São Sebastião da Cachoeira Alegre ocupava grande extensão territorial, com 470 fazendas e 4.000 habitantes na década de 1870.

No seu extremo sul apareceu, ao final dos anos de 1880, o povoado de Bom Jesus da Cachoeira Alegre com metade da extensão territorial e população. Quando Palma alcançou autonomia administrativa, a população somada de São Sebastião e Bom Jesus era 40% superior à de Palma. No processo de incorporação, os 4.200 habitantes de São Sebastião permaneceram vinculados a Muriaé e os de Bom Jesus passaram a Palma que teve, então, sua população aumentada de 5.000 para quase 8.000 habitantes.

Houve muita disputa política entre o final do século anterior e a primeira década do século XX, com os administradores de Palma querendo exercer o poder sobre São Sebastião da Cachoeira Alegre. Em 1911 veio a decisão a favor de Palma,  o que não agradou aos moradores. Prosseguiram as disputas até que, em 1920, São Sebastião da Cachoeira Alegre passou para o distrito de Silveira Carvalho, pertencendo a Muriaé. Entre os mentores desta nova divisão administrativa encontram-se, entre outros, os Silveira Carvalho, Duarte, Almeida, Rocha, Lammoglia, Meloni e Montovani.

Bom Jesus da Cachoeira Alegre permaneceu em Palma até 1962, quando o distrito de Morro Alto foi elevado a município com o nome de Barão de Monte Alto. O principal motivo da separação foi o abandono a que estava relegado o distrito de Morro Alto, ao qual Bom Jesus havia sido incorporado.

Na década de 1920 as localidades de Morro Alto, Bom Jesus e São Sebastião receberam muitos imigrantes portugueses, atraídos pelo baixo preço das terras esgotadas pela monocultura de café. Desde o final do século anterior já havia grande número de imigrantes, especialmente italianos, em São Sebastião da Cachoeira Alegre. A multiplicação de pequenas propriedades, onde outrora existiram verdadeiros latifúndios produzindo apenas café, modificou sensivelmente o panorama local. Muriaé, que foi o 16º município brasileiro em produção cafeeira  naquele 1920, aos poucos passou a dedicar-se a outras atividades, liberando grande extensão de terras para os neo-agricultores. Assim, portugueses e italianos atingiram o sonho da terra própria. Infelizmente, porém, foram os mais atingidos pela quebradeira de 1929.

Entre outras famílias que participaram desta retomada do crescimento está a do tio do poeta Miguel de Torga, que saiu de Leopoldina para comprar a Fazenda de Santa Cruz em São Sebastião da Cachoeira Alegre, na época distrito de Muriaé com o nome de Silveira Carvalho. Seus familiares estão profundamente vinculados ao movimento político que resultou na criação do município de Cachoeira Alegre e permaneciam em sua administração até a realização desta pesquisa, em 2001.

Quanto aos descendentes de italianos, a geração nascida a partir de 1930 conheceu dificuldades inomináveis. Embora a energia elétrica tenha chegado a Muriaé em 1910, seus distritos só a conheceram dez anos mais tarde. Por outro lado, Palma só teve energia elétrica a partir de 1920 e até 1964 este benefício não tinha chegado ao distrito de Morro Alto.

Da mesma forma teve influência a baixa escolarização dos habitantes. Apesar de Muriaé oferecer educação nos distritos desde o final do século XIX, as disputas políticas em São Sebastião da Cachoeira Alegre impediram a criação de escolas antes de sua re-anexação à antiga sede. Enquanto Muriaé contava com 36 núcleos de educação básica em 1916, o município vizinho atendia apenas a população da área urbana em suas 6 escolas.

Este texto foi composto a partir de informações obtidas em:

– entrevistas com descendentes dos Correia da Rocha;

– entrevistas com descendentes de italianos;

– relatórios da Presidência da Província de Minas Gerais;

– dados estatísticos fornecidos pelo Centro de Documentação da Fundação IBGE;

– dados estatísticos da Secretaria Estadual de Educação de Minas Gerais;

– Fundação Henrique Hastenreiter e sua Revista de Historiografia Muriaeense;

– Revista Municípios, número dedicado a Muriaé;

– FARIA, Maria Auxiliadora de. O que ficou dos 178 anos da história de Muriaé. Itaperuna, RJ: Damadá, 1985.

Cappai, Capace ou Capaz

Este pequeno estudo genealógico sobre a família Cappai foi publicado em abril de 2001, como um dos capítulos da genealogia da família Gottardo.

AGUS GIUSEPPE CAPPAI nasceu por volta de 1852 em Villasalto, Cagliari, Sardegna, Italia. Foi casado com ANA MARIANICA GESSA, nascida por volta de 1862 também em Villasalto, conforme apuramos nos Livros da Hospedaria Horta Barbosa (Arquivo Público Mineiro), SA 920 fls 145.

O casal deu entrada na Hospedaria Horta Barbosa no dia 28 de junho de 1897, acompanhado de 6 filhos. Saíram no dia 4 de julho de 1897 para trabalhar na Fazenda Bela Vista, de Antonio Belizandro dos Reis Meireles, localizada no então distrito de Rio Pardo, hoje município de Argirita.

A filha MARIA CAPPAI, nascida entre 1883 e 1887 em Villasanto, faleceu em Leopoldina aos 28 de dezembro de 1969, conforme lápide do túmulo no Cemitério Nossa Senhora do Carmo, Leopoldina, MG. Foi a segunda esposa de Domenico Giuseppe Gottardo, filho de Antonio Gottardo e Tereza Luigia Guerra, com quem se casara no civil aos 30 de julho de 1921 (microfilme 1.285.228 Leopoldina, Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, item 4 fls 247 nr. 56) Segundo a Leva Militare delle province di Padova e Rovigo 1846 – 1902, o Registro de Estrangeiros da esposa realizado em Leopoldina e informações de parentes, ele nasceu aos 29 de março de 1871 em Vigonza, Padova, Veneto, Italia. Faleceu em Leopoldina no dia 27 de setembro de 1950, conforme lápide do túmulo no cemitério local.

No requerimento para seu Registro de Estrangeiros, realizado conforme artigo 149 do Decreto 3.010 de 1938, assinado em 30.01.1942, Maria Cappai declarou ser doméstica, residente no distrito de Santa Izabel, atual Abaíba. Declarou, também, que passou ao Brasil em 1893, informação que verificamos não ser correta, já que encontramos seu nome na lista de passageiros do Vapor Equitá, em 1897, junto com seus pais e irmãos.

ANTONIO CAPPAI, o segundo filho de Marianica e Agus, teria nascido por volta de 1884, conforme a lista de passageiros.

SALVATORE CAPPAI, o terceiro filho, nasceu por volta de 1889 em Villasalto e faleceu em Nova Venecia, ES, no dia 25 de março de 1958, conforme informações de parentes. Casou-se no distrito de Providência, Leopoldina, no dia 19 de julho de 1913, com Ersilia Pedrini, filha de Francesco Pedrini e Ermenegilda Vechi (Arquivo da Diocese de Leopoldina, MG, Secretaria Paroquial da Matriz do Rosário, Leopoldina, MG, lv 5 cas fls 267 termo 42). Segundo o assento paroquial, Ersilia teria nascido em 1892 em Marzabotto, Bologna, Emilia Romagna, Italia, informação parcialmente confirmada em Livros da Hospedaria Horta Barbosa (Arquivo Público Mineiro), Livro SA-920 pag 182 fam 107.

FILOMENA CAPPAI, a quarta filha de Marianica e Agus, nasceu por volta de 1891 em Villasalto. Não encontramos outros informes sobre ela.

RAFFAELE CAPPAI nasceu por volta de 1893 também em Villasalto. Casou-se com Izabel da Conceição, filha de Antonio Carlos de Oliveira e Ana Cecília da Conceição, aos 10 de novembro de 1917 em Leopoldina (microfilme 1.285.228 Leopoldina, Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, item 4 fls 84 reg. 100 e Cartório de Registro Civil de Leopoldina, MG, lv 6 fls 192 termo 50). Ela nasceu em Leopoldina, no dia 11 de março de 1899 (microfilme 1.285.225 Leopoldina, Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, item 2 termo 105 fls 11v.)

DANIELE CAPPAI, o filho caçula de Ana Marianica e Agus Cappai, nasceu por volta de 1894 em Villasalto, Cagliari, Sardegna, Italia.. Nada mais conseguimos apurar sobre este filho.

Encontramos descendência apenas do casal Raffaele Cappai e Izabel da Conceição. Ainda assim, estão confusos os registros de batismo e óbito de duas crianças nascidas em 1920. No livro 2 do Cemitério Nossa Senhora do Carmo, Leopoldina, MG, fls 97 nr 47, consta o sepultamento de um natimorto no dia 10 de março de 1920. Já no livro de batismos relativo ao mesmo período, consta o assento de Maria, batizada no dia 2 de maio de 1920, tendo nascido no dia 10 de abril do mesmo ano (microfilme 1.285.227 Leopoldina, Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, item 2 bat termo 162 fls 37verso). É possível que fossem duas crianças nascidas no dia 10 de março e o padre teria cometido um engano ao lançar a data de nascimento ao batizar a criança sobrevivente.

Registro de Estrangeiros

Os requerimentos para Registro de Estrangeiro, estabelecidos pelo Decreto 3010 de 1938, eram de dois tipos: para maiores ou menores de 60 anos. Quando o imigrante ainda não havia completado 60 anos, deveria prestar informações sobre cônjuge e filhos, além de data de chegada ao Brasil, porto de desembarque, nome da embarcação e viagens ao exterior após a primeira entrada. Já os maiores de 60 anos precisavam informar apenas os dados pessoais, data da chegada, porto e nome da embarcação.

As normas de preenchimento constavam do verso do formulário, conforme se observa na imagem a seguir.

 

Verso do formulário de Registro de Estrangeiros

 

O formulário era composto de 3 vias: uma para arquivamento na Delegacia da localidade, uma para encaminhamento ao Departamento de Polícia Marítima, Aérea e de Fronteiras e uma via deveria permanecer em poder do imigrante. Entretanto, parece que a rotina não foi regular em todos os municípios brasileiros. Entrevistamos filhos de estrangeiros que relataram situações difíceis que seus pais passaram por terem entregue o passaporte ao Oficial de Justiça, por ocasião do preenchimento do requerimento, e não terem recebido nenhum documento.

 


 

As Informações Prestadas

Um aspecto interessante a ser observado é que o preenchimento dos requerimentos parece ter sido feito com pouco rigor e sem conferência. Pelo menos no que se refere aos requerimentos analisados em nossa pesquisa, há falhas inconcebíveis em relação a nomes, datas e idades de filhos, bem como local de moradia. Consultamos alguns de nossos entrevistados, contemporâneos da época em que os requerimentos foram feitos, e alguns justificaram as falhas de preenchimento por um problema já identificado em outras fontes documentais: o escrivão não falava a língua do imigrante, o imigrante não falava a língua portuguesa com desenvoltura e nenhum deles sabia escrever em português.

A seguir um modelo de requerimento, para maior de 60 anos, que apresenta diversas falhas embora o imigrante fosse alfabetizado e, até onde pudemos apurar, exercia uma certa liderança entre seus pares. Desta forma, parece estranho que não soubesse prestar as informações solicitadas.

 

Registro de Estrangeiro maior de 60 anos

 


 

Menores de 60 anos

O modelo abaixo é do requerimento para imigrantes menores de 60 anos que, conforme já mencionado, deveria conter declarações sobre filhos e cônjuges.

 

Registro de Estrangeiro menor de 60 anos.

O imigrante nos prontuários de registro de estrangeiros

Apresentamos a transcrição quase literal de dados extraídos dos Prontuários de Registros de Estrangeiros.

Muitas são as inconsistências detectadas no estudo comparativo entre as fontes. Entretanto, julgamos por bem publicá-las porque muitas vezes são estas as únicas informações que os descendentes conhecem.

Lembramos que a maioria das declarações foi prestada por estrangeiros que não dominavam a língua portuguesa e os encarregados do registro não conheciam a língua dos imigrantes. Em outros artigos, neste blog, encontram-se informações mais corretas sobre os imigrantes que conseguimos estudar de forma mais abrangente.

Abalem, Izabel

Filiação: Calil Abalem e Anna Bouhid

Nascimento: 15.08.1900 – Zahle, Siria

Chegada ao Brasil: 15.06.1921 Navio: Victoria Porto: Rio

Outras informações: Doméstica, residiu na Vila da Providência, casada com Chadi Habib Azar

 

Aguirre, Gregoria Lasa (Madre)

Filiação: Angelo Lasa Sarazola e Francisca Aguirre Odriozola

Nascimento: 24.04.1904 – Guipuzcoa, Espanha

Chegada ao Brasil: Fev/1932 Navio: Formosa Porto: Rio

Outras informações: Colégio Imaculada Conceição

 

Almeida, Manoel de Souza

Filiação: Zeferino Souza Almeida e Maria de Souza

Nascimento: 28.11.1874 – Penafiel, Portugal

Chegada ao Brasil: 1898 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Jardineiro, analfabeto, apresentou passaporte de 25.11.1898

 

Alonso, José Maria

Filiação: Florencio Alonso e Izidora Postella

Nascimento: 25.11.1882 – La Guardia, Pontevedra, Espanha

Chegada ao Brasil: Abr/1894 Navio: Hespagne Porto: Santos

Outras informações: Comerciante, casado com Serafina Sobrino Rodriguez

 

Alvarez, Candido Gonzalez

Filiação: Jesus Gonzalez e Maria Alvarez

Nascimento: 24.02.1906 – Pontevedra, Espanha

Chegada ao Brasil: 07.11.1920 Navio: Highland Rover Porto: Rio

Outras informações: Auxiliar de maquinista, trabalhou na Serraria São José, casado com a brasileira Isaura Furtado, nascida em 1914

 

Alves, Jose Gil

Nascimento: 1868 – Espanha

Outras informações: morte em 28.04.1896

 

Amaral, Maria Gonçalves

Filiação: Antonio Amaral Medeiros e Conceição da Costa Pimentel

Nascimento: 25.06.1869 – Ilha de São Miguel, Portugal

Chegada ao Brasil: 1889 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Doméstica, analfabeta, residiu na Vila da Providência

 

Amorim, Manoel Pereira de

Filiação: Manoel Quintão de Amorim e Maria Pereira de Jesus

Nascimento: 22.04.1884 – Conselho de Vila da Feira, Portugal

Chegada ao Brasil: 16.11.1895 Navio: Oriça – Mala Real Inglesa Porto: Rio

Outras informações: Lavrados na Fazenda da Balança, teve filhos no Brasil

 

Antonio, Franco Carmelo

Nascimento: Laino Castello, Calabria, Italia

 

Antonio, Geraldo

Nascimento: 1851 – Italia

Outras informações: morte em 12.03.1903

 

Antonio, José

Filiação: Antonio Sahil e Nahucca Mansur

Nascimento: 1874 – Marmerito, Siria

Chegada ao Brasil: 1895 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Lavrador, analfabeto, casado com Sarah Ibrahim

 

Antunes, Joaquim Francisco

Filiação: Joaquim Francisco Antunes e Maria Brittes Antunes

Nascimento: 20.03.1888 – Leiria, Portugal

Chegada ao Brasil: 1890 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Lavrador, residiu na rua Tiradentes, casado com a brasileira Etelvina Rosa, nascida em 1908

 

Araujo, José Venancio de

Filiação: Manoel Antonio de Araujo e Maria Ignez de Araujo

Nascimento: 15.01.1867 – Traz os Montes, Portugal

Chegada ao Brasil: 1889 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Agricultor, residiu na Vila da Providência, casado com a brasileira Elisa Rodrigues, nascida em 1885

 

Azar, Chadi Habib

Filiação: Habib Azar e Anna Azar

Nascimento: 15.11.1885 – Zahle, Siria

Chegada ao Brasil: 28.10.1895 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Comerciante, residiu na Vila da Providência, casado com Izabel Abalem.

 

Balabran, Alberto

Nascimento: 1901 – Turquia

Outras informações: casado com Esther Cabelini

 

Barbosa, Delfina Anna

Filiação: Antonio Joaquim Pereira de Mattos e Anna Joaquina de Mattos

Nascimento: 21.09.1879 – Minho, Portugal

Chegada ao Brasil: 1900 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Doméstica, analfabeta, residiu em Campo Limpo

 

Barbosa, José Bernardino

Filiação: Francisco José Ribeiro Barbosa e Carolina Ribeiro Vieira

Nascimento: 04.07.1868 – Minho, Portugal

Chegada ao Brasil: Out/1886 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Agricultor, residiu em Campo Limpo

 

Bastos, Guilhermina

Filiação: Giovanni Bastos

Nascimento: 1876 – Italia

Outras informações: morte em 04.11.1896

 

Beristein, Joana Mugabure (Madre)

Filiação: Pedro Mugabure Daguerre e Ramona Beristein Echezarieta

Nascimento: 05.04.1911 – Azpeitia, Pais Basco, Espanha

Chegada ao Brasil: 20.04.1932 Navio: Uruguay Porto: Rio

Outras informações: Colégio Imaculada Conceição

 

Bernardo, Suzana

Filiação: Sebastião Bernardo e Maria da Conceição

Nascimento: – São Martinho de Moros, Portugal

Chegada ao Brasil: 1888 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: esteve na Hospedaria da Ilha das Flores, analfabeta, casada com o brasileiro Virgilio Nogueira, nascido em 1875

 

Cabelini, Esther

Filiação: Clemente Cabelini e Rosa Cabelini

Nascimento: 12.09.1900 Ismirra, Turquia

Chegada ao Brasil: 08.04.1927 Navio: Darro Porto: Rio

Outras informações: Doméstica, casada com Alberto Balabran, residiu na rua Cotegipe, cinco filhos brasileiros.

 

Cerejeira, Domingos José

Filiação: Antonio Joaquim Pires Cerejeira e Maria Francisca Domingues

Nascimento: 04.01.1911 – Viana do Castelo, Portugal

Chegada ao Brasil: 13.02.1939 Navio: Massilia Porto: Rio

Outras informações: Comerciário, trabalhou na Casa Rafael Domingues

 

Chaul, Geny

Filiação: Jorge Chaul e Rachid Sanan

Nascimento: 1894 – Siria

Chegada ao Brasil: 1895 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Doméstica, analfabeta

 

Correia, Fancisco

Filiação: Manoel Correia e Carolina Correia

Nascimento: 1887 – Ilha da Madeira, Portugal

Chegada ao Brasil: 1889 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Lavrador, analfabeto, residiu na Vila da Providência, casado com a brasileira Guilhermina Correia, nascida em 1888

 

Cortez, Francisco Comitre

Filiação: Francisco Comitre Martins e Antonia Cortez Perez

Nascimento: 12.02.1882 – Malaga, Andalucia, Espanha

Chegada ao Brasil: 1890 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Agricultor, residiu em Espera Feliz, teve um sítio em Cysneiros-Palma, casado com a brasileira Dulcinéa Fernandes Teixeira, nascida em 1898

 

Costa, Maria Gonçalves da

Filiação: Manoel Gonçalves e Maria da Costa

Nascimento: 1883 – Villa da Feira, Portugal

Chegada ao Brasil: 14.06.1906 Navio: Pacífico Porto: Rio

Outras informações: Doméstica, analfabeta, residiu na Vila da Providência, casada com José Pereira da Silva

 

Coury, Jamille Antonio

Filiação: Antonio Coury e Nasta Coury

Nascimento: 1899 – Marmerita, Siria

Chegada ao Brasil: 1912 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Doméstica, analfabeta, residiu na Vila da Providência, casada com Jorge João Reche

 

Dias, Antonio Ferreira

Nascimento: 1853 – Portugal

Outras informações: morte em 13.01.1899

 

Dias, Antonio Ribeiro

Nascimento: 1839 – Portugal

Outras informações: morte em 03.01.1899

 

Dias, José Correa

Nascimento: Portugal

Outras informações: Casado com Luiza Carvalho da Silva, morreu em 1935

 

Dib, Salim

Filiação: João José e Carmem Felix

Nascimento: 03.09.1897 – Thelel Calek, Siria

Chegada ao Brasil: 20.02.1905 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Lavrador

 

Duarte, José Pereira

Filiação: Joaquim Pereira Duarte e Anna Rabello

Nascimento: 1879 – Vizeu, Portugal

Chegada ao Brasil: 1898 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Lavrador, analfabeto, residiu em Campo Limpo

 

Esteves, Joaquim Ernestino

Filiação: Manuel da Assumpção Esteves e Horminda das Dores Barbosa

Nascimento: 17.06.1897 – Vila Nova de Cerveira, Portugal

Chegada ao Brasil: 19.02.1921 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Viajante Comercial, casado com Laura Fernandes.

 

Farage, José Sallim

Filiação: Sallim José Farage e Mahiba Sallim Farage

Nascimento: 06.09.1923 – Libano

Chegada ao Brasil: 13.06.1933 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Comerciário, residiu em Campo Limpo

 

Felix, Carmen

Filiação: Antonio Felix e Helena Nacib

Nascimento: 1876 – Marmerita, Siria

Chegada ao Brasil: 21.02.1895 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Doméstica, analfabeta, viúva de João José, falecido em 1929

 

Felix, Elias

Filiação: Antonio Felix e Helena Nacib

Nascimento: 1879 – Marmerita, Siria

Chegada ao Brasil: Dez/1896 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Comerciário, residiu na Vila da Providência.

 

Felix, Miguel

Nascimento: Siria

Outras informações: Casado com Martha Feres, morreu em 1931

 

Feres, Martha

Filiação: Feliz Weuebá e Rosa Weuebá

Nascimento: 1873 – Zahle, Siria

Chegada ao Brasil: 28.10.1895 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Doméstica, analfabeta, residiu na Vila da Providência, viúva de Miguel Felix, falecido em 1931

 

Ferreira, Maria Alves

Filiação: Joaquim Alves Ferreira e Jesuina Alves Ferreira

Nascimento: 20.09.1869 – Porto, Portugal

Chegada ao Brasil: 21.09.1892 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Doméstica, analfabeta, residiu em Campo Limpo, casada com o português João Paes dos Santos

 

Ferreira, Norvet

Nascimento: 1865 – Turquia

Outras informações: morte em 25.06.1896

 

Garcia, Santiago de Souza

Filiação: José de Souza Santiago e Maria Candelaria Garcia

Nascimento: 25.07.1875 – Ilhas Canarias, Espanha

Chegada ao Brasil: 1881 Navio: São Martins Porto: Rio

Outras informações: Lavrador, residiu no Sítio do Agrião em Thebas, casado com Silveria Gonzalez Garcia

 

Garcia, Silveria Gonzalez

Filiação: Julião Gonzalez Marreiro e Luiza Garcia Demessa

Nascimento: 09.06.1875 – Santa Cruz, Ilhas Canarias, Espanha

Chegada ao Brasil: 1882 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Doméstica, analfabeta, residiu no Sítio do Agrião em Tebas, casada com Santiago de Souza Garcia

 

Gaspar, Maria

Filiação: Antonio Gaspar Matheus

Nascimento: 1895 – Portugal

Outras informações: morte em 27.05.1898

 

Gomes, Candida Rodrigues

Nascimento: Portugal

Chegada ao Brasil: 1873 Navio: – Porto:

Outras informações: Residiu em Conceição da Boa Vista, casada com Jose Duarte dos Santos

 

Gomes, Francisco José

Filiação: Antônio José Gomes e Luiza Rosa

Nascimento: 21.03.1873 – Ponte da Barca, Portugal

Chegada ao Brasil: 1912 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Comerciante, residiu na Pça Gal Osório, apresentou passaporte

 

Gomes, João Mello

Nascimento: Portugal

 

Gonçalves, Luiza Rodriguez

Filiação: Manoel Gonçalves e Joanna Gomes Rodriguez

Nascimento: 1867 – El Rosal, Pontevedra, Espanha

Chegada ao Brasil: – Navio: – Porto:

Outras informações: Residiu na Volta da Cobra, foi casada com João Caetano Bittencourt

 

Gonçalves, Rosa

Nascimento: 1864 – Espanha

Outras informações: Foi casada com Rafael Rodriguez y Rodrigues, morreu em 10.07.1900

 

Gonçalves, Silveria

Nascimento: 1876 – Espanha

 

Gonzalez, José Alvarez

Filiação: Jose Alvarez e Aurora Gonzalez

Nascimento: 14.09.1899 – El Rosal, Pontevedra, Galicia, Espanha

Chegada ao Brasil: 22.03.1929 Navio: Raul Soares Porto: Rio

Outras informações: Oleiro, enviuvou de uma Martinez por volta de 1936

 

Ibrahim, Sarah

Filiação: Ibraim Mansur e Negrinin Mansur

Nascimento: 1876 – Marmerita, Siria

Chegada ao Brasil: 1896 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Doméstica, analfabeta, casada com José Antonio

 

Istueta, Theresa Iturrioz (Madre)

Filiação: Domingo Iturrioz e Michaella Istueta

Nascimento: 03.07.1907 – Legorreta, Pais Basco, Espanha

Chegada ao Brasil: 07.10.1937 Navio: Neptunia Porto: Rio

Outras informações: Colégio Imaculada Conceição

 

Jesus Filho, José de Souza de

Filiação: José de Souza de Jesus e Maria José de Jesus

Nascimento: 03.01.1881 – Ilha de São Miguel, Portugal

Chegada ao Brasil: – Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Agricultor, residiu no distrito de Santa Cruz

 

João, Salim

Filiação: João Dibe e Joanna Dibe

Nascimento: 1879 – Marmerita, Siria

Chegada ao Brasil: 1901 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Comerciante, residiu na Vila da Providência

 

Jorge, Abraham

Nascimento: 1865 – Turquia

Outras informações: morte em 05.05.1896

 

Jorge, Francisco

Nascimento: 1868 – Turquia

Outras informações: morte em 28.04.1896

 

José, Adelino

Filiação: José Joaquim e Constancia Rosa

Nascimento: 1890 – Villa Real, Portugal

Chegada ao Brasil: Mar/1912 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Motorista da Secretaria da Viação de Minas Gerais.

 

José, João

Nascimento: Siria

Outras informações: Casado com Carmen Felix, faleceu em 1929

 

José, Miguel

Nascimento: 1866 – Turquia

Outras informações: morte em 07.04.1896

 

Lambert, Feliciano

Filiação: João Lambert e Anne Lambert

Nascimento: 10.05.1892 – Exideuil, Charente, Poitou-Charentes, França

Chegada ao Brasil: 1894 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Barbeiro, residiu em Argirita, viúvo da brasileira Sebastiana, falecida em 1932, com quatro filhos brasileiros.

 

Legarra, Severiana Sorarrain (Madre)

Filiação: Francisco Sorarrain e Nicolaça Legarra

Nascimento: 09.09.1883 – Asteasu, Pais Basco, Espanha

Chegada ao Brasil: Jun/1917 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Colégio Imaculada Conceição. Embarcou no Rio, a 18.07.1937, no vapor General Osório com destino à Espanha. Regressou a 07.10.1937, desembarcando do vapor Neptunia no Rio.

 

Leite, Orlinda dos Santos

Filiação: Adelino dos Santos Leite

Nascimento: 1879 – Portugal

Chegada ao Brasil: – Navio: – Porto:

Outras informações: morte em 02.10.1902

 

Macedo, Maria de Jesus

Filiação: Francisco Carneiro de Macedo e Albina Rodrigues da Costa

Nascimento: 25.03.1881 – Traz os Montes, Portugal

Chegada ao Brasil: 1888 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Doméstica, analfabeta, residiu no Bairro da Onça, casada com o brasileiro Manoel Francisco Vieira, nascido em 1895

 

Maia, Antonio Simões

Filiação: Thomaz Simões Thomé e Maria José Clara Maia

Nascimento: 29.03.1877 – Douro, Portugal

Chegada ao Brasil: 30.06.1894 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Agricultor, residiu em Tebas

 

Marques, Luiz

Nascimento: 1849 – Portugal

Outras informações: morte em 09.05.1899

 

Martinez, Anselmo Alvarez

Filiação: Jose Alvarez Gonzalez

Nascimento: 1924 – El Rosal, Pontevedra, Galicia, Espanha

Chegada ao Brasil: 22.03.1929 Navio: Raul Soares Porto: Rio

Outras informações:

 

Martinez, Hermelina Alvarez

Filiação: Jose Alvarez Gonzalez

Nascimento: 1927 – El Rosal, Pontevedra, Galicia, Espanha

Chegada ao Brasil: 22.03.1929 Navio: Raul Soares Porto: Rio

Outras informações:

 

Martinez, Luiza Alvarez

Filiação: Jose Alvarez Gonzalez

Nascimento: 1926 – El Rosal, Pontevedra, Galicia, Espanha

Chegada ao Brasil: 22.03.1929 Navio: Raul Soares Porto: Rio

 

Martinez, Odila Alvarez

Filiação: Jose Alvarez Gonzalez

Nascimento: 1928 – El Rosal, Pontevedra, Galicia, Espanha

Chegada ao Brasil: 22.03.1929 Navio: Raul Soares Porto: Rio

 

Matheus, Antonio Gaspar

Nascimento: Portugal

 

Medeiros, Antonio Soares de

Filiação: João Soares de Medeiros e Maria do Rosario

Nascimento: 1889 – Provincia de São Miguel, Portugal

Chegada ao Brasil: 1891 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Lavrador, analfabeto, residiu na Fazenda da Floresta, casado com a brasileira Olga Ferreira de Medeiros, nascida em 1899

 

Miguel, Abrahão

Filiação: Miguel el Barkil e Laia Fadel el Barkil

Nascimento: 10.02.1880 – Maloula, Siria

Chegada ao Brasil: 1896 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Lavrador, analfabeto, residiu em Campo Limpo, casado com Rosa Grace

 

Miguel, Jorge

Filiação: Miguel Fadul e Sarah Fadul

Nascimento: 1878 – Monte Libano, Libano

Chegada ao Brasil: 1891 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Comerciante, residiu em São Martinho

 

Montenegro, Joaquim Ferreira Silva

Nascimento: . 1826 – Portugal

Outras informações: morte em 04.08.1899

 

Neder, Calil

Nascimento: . Siria

Outras informações: Casado com Carmen Neder, morreu em 1939

 

Neder, Carmen

Filiação: Abrahão Silami e Nasta Aboud

Nascimento: . 1884 – Marmerita, Siria

Chegada ao Brasil: 1905 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Doméstica, analfabeta, residiu em Santa Isabel, viúva de Calil Neder, falecido em 1939

 

Pereira, Antonio Ribeiro

Nascimento: . 1836 – Portugal

Outras informações: morte em 11.07.1898

 

Pereira, Francisco

Nascimento: . Portugal

 

Poyares, Marco Telles

Nascimento: . 1838 – Portugal

Outras informações: morte em 16.11.1898

 

Raschid, Jamile Antonia

Nascimento: . 1900 – Siria

Outras informações: casada com Jorge João Raschid

 

Raschid, Jorge João

Filiação: João Raschid e Joanna Antonia Raschid

Nascimento: . 1895 – Marmerita, Siria

Chegada ao Brasil: 1912 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Lavrador, residiu na Vila da Providência, casado com Jamile Antonia Raschid

 

Reche, João Jorge

Nascimento: . 1895 – Siria

Chegada ao Brasil: 1895

Outras informações: casado com Jamile Antonio Coury

 

Reche, Paulo João

Filiação: João José Reche e Joanna Reche

Nascimento: . 1893 – Marmerita, Siria

Chegada ao Brasil: 1904

Outras informações: Comerciante, analfabeto, casado com Amelia Calil Tuma

 

Rhyner, Maria

Nascimento: . 01.05.1881 – Suiça

 

Rivas, Herminia Fernandez (Madre)

Filiação: Manoel Fernandez e Esperança Rivas

Nascimento: . 21.12.1905 – Codeseda, Galicia, Espanha

Chegada ao Brasil: 20.11.1929 Navio: Rainha Victória Porto: Rio

Outras informações: Colégio Imaculada Conceição

 

Rocha, Luiz Alves da

Nascimento: . 1862 – Portugal

Outras informações: morte em 10.02.1902

 

Rodriguez, Bernardo Rodrigues Y

Filiação: Seraphim Rodriguez e Maria Rodriguez Alvarez

Nascimento: . El Rosal, Pontevedra, Espanha

 

Rodriguez, Joanna Gomes

Nascimento: . El Rosal, Pontevedra, Espanha

 

Rodriguez, Rafael Rodriguez Y

Filiação: Seraphim Rodriguez e Maria Rodriguez Alvarez

Nascimento: . El Rosal, Pontevedra, Espanha

Outras informações: Veio da Espanha casado com Rosa Gonçalves. Viúvo, casou-se pela segunda vez com Maria Gothardo.

 

Rodriguez, Salvador Rodriguez Y

Filiação: Seraphim Rodriguez e Maria Rodriguez Alvarez

Nascimento: . El Rosal, Pontevedra, Espanha

 

Rodriguez, Serafina Sobrino

Filiação: Silverio Sobrino e Conceiçan Rodriguez

Nascimento: . 01.07.1892 – La Guardia, Espanha

Chegada ao Brasil: 29.05.1913 Navio: Arlanza Porto: Rio

Outras informações: Doméstica, casada com José Maria Alonso, residiu na rua Tiradentes.

 

Roesler, Alfred

Filiação: Benjamim Roesler e Luise Papke

Nascimento: . 20.09.1905 – Dantzig, Polonia

Chegada ao Brasil: 30.01.1931 Navio: Sierra Morena Porto: Santos

Outras informações: Técnico de laticínios, trabalhou na Companhia Leiteria Leopoldinense, casado com a brasileira Relinda Weigert, nascida em 1910

 

Salomão, Massaud

Filiação: Salomão Antonio e Maria Musse

Nascimento: 15.02.1894 – Marmerita, Siria

Chegada ao Brasil: 30.04.1910 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Lavrador, residiu em São Lourenço, casado com a brasileira Belmira Monteiro, nascida em 1915

 

Santos, João Paes

Nascimento: . 1846 – Portugal

Outras informações: Residiu em Campo Limpo, casado com Maria Alves Ferreira

 

Santos, José Duarte dos

Filiação: José Duarte e Angelica dos Santos

Nascimento: . 1872 – Vizeu, Portugal

Chegada ao Brasil: 1889 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Agricultor, analfabeto, residiu em Conceição da Boa Vista, casado com Cândida Rodrigues Gomes

 

Schultz, Heinrich

Filiação: Heinrich Schultz e Maria Iansen

Nascimento: . 15.05.1869 – Homberg, Hessen, Alemanha

Chegada ao Brasil: 27.09.1921 Navio: Poconé Porto: Rio

Outras informações: esteve na Hospedaria da Ilha das Flores, carpinteiro, trabalhou na Serraria São José, foi casado com Maria Rhyner

 

Silva, Bernardino Mouço E

Filiação: Gabriel José Garcia e Maria Rosa de Jesus

Nascimento: . 1880 – Villa do Conde, Portugal

Chegada ao Brasil: 21.12.1893

Outras informações: Cerjeiro, residiu na Vila da Providência

 

Silva, José Pereira da Silva

Filiação: Antonio Pereira e Joaquina de Jesus

Nascimento: . 1883 – Marco de Canavezes, Portugal

Chegada ao Brasil: 14.06.1906 Navio: Pacífico Porto: Rio

Outras informações: Comerciante, residiu na Vila da Providência, casado com Maria Gonçalves da Costa

 

Silva, Luiza Carvalho da

Filiação: José Carvalho da Silva e Maria Alves Pereira

Nascimento: . 1862 – Beira Baixa, Portugal

Chegada ao Brasil: 1892 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Doméstica, analfabeta, residiu no Sítio Boa Vista em Thebas, viúva de José Correa Dias, falecido em 1935

 

Simões, Joaquim

Nascimento: . 1854 – Portugal

Outras informações: morte em 29.08.1899

 

Sobral, Francisco Luiz

Filiação: Manoel Luiz Sobral e Maria Mendonça

Nascimento: . 06.09.1895 – Minho, Portugal

Chegada ao Brasil: 17.07.1912 Navio: Itatinga Porto: Rio

Outras informações: Carpinteiro, residiu no Alto dos Pirineus, casado com Maria Luiza Barbaglio

 

Thome, Francisco Ignacio

Nascimento: . 1849 – Portugal

Outras informações: morte em 10.08.1901

 

Tuma, Amelia Calil

Filiação: Calil Tuma e Catharina Tuma

Nascimento: 1897 – Tripoli, Siria

Chegada ao Brasil: 1910 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Analfabeta, casada com Paulo João Reche

 

Tuma, Malaque

Filiação: Calil Tuma e Catharina Tuma

Nascimento: 1905 – Tripoli, Siria

Chegada ao Brasil: 1921 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Analfabeta, residiu na Vila da Providência

 

Velasco, Constantina Rogelia (Madre)

Filiação: Manoel Velasco e Maria de la Soledad Fernandes

Nascimento: 28.07.1911 – Rojas, Buenos Aires, Argentina

Chegada ao Brasil: 1915 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Colégio Imaculada Conceição

 

Ventina, Manoel Monteiro

Filiação: José Monteiro Alves e Josefa Rita da Ventina

Nascimento: 19.01.1869 – Canal de Senhorim, Portugal

Chegada ao Brasil: Ago/1888 Navio: – Porto: Rio

Outras informações: Lavrador, analfabeto, residiu em Barreiros

 

Vicente, Maria Del Carmen Cornejo (Madre)

Filiação: Pedro Cornejo e Ines Vicente

Nascimento: 20.05.1886 – Salamanca, Castilla y León, Espanha

Chegada ao Brasil: 24.12.1918 Navio: Balmess Porto: Rio

Outras informações: Colégio Imaculada Conceição

 

Zugarrondo, Natividade (Madre)

Filiação: Thomaz Zugarrondo e Nicacia Aguirre

Nascimento: 24.12.1888 – San Sebastian, Pais Basco, Espanha

Chegada ao Brasil: 24.12.1918 Navio: Balmess Porto: Santos

Outras informações: Colégio Imaculada Conceição, embarcou no Rio a 18.07.1937 com destino à Espanha, pelo vapor General Osório. Regressou a 07.10.1937, desembarcando no Rio do vapor Neptunia.

 

 

Italianos em Leopoldina

Para a composição da história da imigração em Leopoldina foram consultadas diversas fontes documentais encontradas na própria cidade, bem como os requerimentos para registros de estrangeiros preenchidos em cumprimento ao Decreto 3010 de 1938, disponíveis no Arquivo Nacional.

Também foi realizado um levantamento nos livros da Agência Nacional de Imigração, da Hospedaria da Ilha das Flores, da Hospedaria do Pinheiro e da Hospedaria Horta Barbosa. Entre os diversos resultados deste trabalho, aqui apresentamos a listagem de sobrenomes italianos localizados na região de Leopoldina entre 1872 e 1924.

SOBRENOME
COMUNE
PROVINCIA
REGIONE
Albertoni
 
Venezia
Veneto
Ambrosi
Anghiari
Arezzo
Toscana
Andrea
Roccagloriosa
Salerno
Campania
Anzolin
Portogruaro
Venezia
Veneto
Arleo
Maratea
Potenza
Basilicata
Artuzo
 
Treviso
Veneto
Baldo
San Mauro di Saline
Verona
Veneto
Barbaglio
 
 
Toscana
Bartoli
 
Ancona
Marche
Battisaco
 
Venezia
Veneto
Bedin
 
Vicenza
Veneto
Bellan
Porto Tolle
Rovigo
Veneto
Bernardi
 
Brescia
Lombardia
Bertulli
 
Ravenna
Emilia Romagna
Bertuzi
 
Bologna
Emilia Romagna
Bisciaio
Gualdo Tadino
Perugia
Umbria
Bolzoni
Sesto ed Uniti, Pizzighettone
Cremona
Lombardia
Bosetti
Castrezzato
Brescia
Lombardia
Brambati
Pizzighettone
Cremona
Lombardia
Bronzato
Anghiari
Arezzo
Toscana
Bronzato
Legnago
Verona
Veneto
Cadeddu
Villanova Monteleone, Alghero
Sassari
Sardegna
Calzavara
Pianiga
Venezia
Veneto
Campana
Castrezzato, Coccaglio
Brescia
Lombardia
Cancelliero
Murelle di Villanova Di Camposampiero
Padova
Veneto
Canova
Codevigo
Padova
Veneto
Cappai
Villasalto
Cagliari
Sardegna
Carboni
Fano
Pesaro
Marche
Carminatti
Ghisalba
Bergamo
Lombardia
Carnevali
San Francesco
Cosenza
Calabria
Carraro
Pianiga
Venezia
Veneto
Casadio
Massa Lombarda
Ravenna
Emilia Romagna
Cavallieri
Mirándola
Treviso
Veneto
Ceccon
Begosso de Terrazzo
Verona
Veneto
Ceoldo
Vigonza
Padova
Veneto
Cobucci
Roccagloriosa
Salerno
Campania
Colle
Cesarolo, San Michelle al Tagliamento
Venezia
Veneto
Consoli
Mirándola
Treviso
Veneto
Conti
 
Bologna
Emilia Romagna
Corradini
Mizzole
Verona
Veneto
Corradini
Ferrazza
Vicenza
Veneto
Cosenza
 
Cosenza
Calabria
Cosini
 
Mantova
Lombardia
Dal Canton
Parrochia Malavne
Venezia
Veneto
Damiani
Maratea
Potenza
Basilicata
De Angelis
 
Terni
Umbria
De Marchi
 
Treviso
Veneto
Doppin
Villanova Monteleone
Sassari
Sardegna
Dorigo
Porto Tolle
Rovigo
Veneto
Duana
 
Cagliari
Sardegna
Fanni
San Vito
Cagliari
Sardegna
Farinazzo
Casale di Scodosia, Montagnana
Padova
Veneto
Fazolato
Campolongo Maggiore
Venezia
Veneto
Fermadi
 
Napoli
Campania
Filoti
Candia
Torino
Piemonte
Finamori
Roccagloriosa
Salerno
Campania
Finotti
Porto Tolle
Rovigo
Veneto
Fiorato
 
Verona
Veneto
Fofano
Mogliano Veneto
Treviso
Veneto
Fois
Villanova Monteleone, Alghero
Sassari
Sardegna
Fontanella
Strona
Biella,
Piemonte
Formenton
 
Venezia
Veneto
Franzone
Candia
Torino
Piemonte
Galasso
Latisana
Udine
Friuli-Venezia Giulia
Gallito
Montagnana
Padova
Veneto
Gallo
 
Vicenza
Veneto
Gambato
Campodarsego
Padova
Veneto
Gattis
 
Brescia
Lombardia
Geraldi
 
 
Piemonte
Geraldini
 
Padova
Veneto
Gigio
 
Bologna
Emilia Romagna
Gismondi
 
Ancona
Marche
Golinelli
Mirándola
Treviso
Veneto
Gottardo
Vigonza
Padova
Veneto
Graziosa
Mizzole
Verona
Veneto
Griffoni
 
Ancona
Marche
Gruppi
 
Bologna
Emilia Romagna
Guerra
Vigonza
Padova
Veneto
Guersoni
 
Bologna
Emilia Romagna
Helio
 
 
Piemonte
Iennaco
Maratea
Potenza
Basilicata
Lamarca
Maratea
Potenza
Basilicata
Lami
Lugo
Ravenna
Emilia Romagna
Lammoglia
Maratea
Potenza
Basilicata
Lazzaroni
Felizzano
Alessandria
Piemonte
Longo
 
Cosenza
Calabria
Lorenzetto
 
Padova
Veneto
Lucchi
Cesena
Forli
Emilia Romagna
Luiza
 
Mantova
Lombardia
Lupatini
Castrezzato
Brescia
Lombardia
Macchina
Travagliato
Brescia
Lombardia
Maciello
Muro Lucano
Potenza
Basilicata
Maimeri
Tregnago
Verona
Veneto
Malacchini
Nogarole Rocca
Verona
Veneto
Mancastroppa
Grumello Cremonese
Cremona
Lombardia
Manza
 
Napoli
Campania
Maragna
 
Verona
Veneto
Marangoni
Porto Tolle
Rovigo
Veneto
Marcatto
Campodarsego
Padova
Veneto
Marcatto
Pianiga
Venezia
Veneto
Marchi
 
Verona
Veneto
Marinato
Pianiga
Venezia
Veneto
Maroni
 
Venezia
Veneto
Marsola
 
 
Sicilia
Martinelli
 
Ferrara
Emilia Romagna
Mattiazi
Pressana
Verona
Veneto
Mauro
Marina di Camerota
Salerno
Campania
Mazzei
Marina di Camerota
Salerno
Campania
Meloni
Monserrato
Cagliari
Sardegna
Meneghelli
Gazzo Veronese
Verona
Veneto
Meneghetti
 
Padova
Veneto
Meneghetti
Campolongo Maggiore
Venezia
Veneto
Mescoli
 
Modena
Emilia Romagna
Miani
 
Trieste
Friuli Venezia Giulia
Minelli
 
Bologna
Emilia Romagna
Minicucci
 
Lucca
Toscana
Misalulli
Felizzano
Alessandria
Piemonte
Montagna
 
Rovigo
Veneto
Morelli
Malvito
Cosenza
Calabria
Moroni
Ghisalba
Bergamo
Lombardia
Nuvoli
Villanova Monteleone
Sassari
Sardegna
Pagano
 
Salerno
Campania
Pagano
Ghisalba
Bergamo
Lombardia
Panza
Maratea
Potenza
Basilicata
Pasianot
Pravisdomini
Pordenone
Friuli-VeneziaGiulia
Pazzaglia
Mazzoloto (?)
Bologna
Emilia Romagna
Pellucci
 
Ancona
Marche
Perdonelli
 
Vicenza
Veneto
Perotti
 
Firenze
Toscana
Pessata
Spinea
Venezia
Veneto
Picci
San Vito
Cagliari
Sardegna
Pinzoni,
 
Verona
Veneto
Porcu
Villanova Monteleone, Alghero
Sassari
Sardegna
Pradal
 
Treviso
Veneto
Prete
Sarno
Salerno
Campania
Prosperi
Careggine
Lucca
Toscana
Ramiro
 
Vicenza
Veneto
Rancan
Mizzole
Verona
Veneto
Ranieri
Parrochia Altissimo
Vicenza
Veneto
Righetto
Camponogara
Venezia
Veneto
Rinaldi
Maratea
Potenza
Basilicata
Riu
Villanova Monteleone
Sassari
Sardegna
Rosa
San Massimo
Verona
Veneto
Saggioro
 
Verona
Veneto
Samori
Brisighella
Ravenna
Emilia Romagna
Sangalli
 
Milano
Lombardia
Sangirolami
Montagnana
Padova
Veneto
Santi
 
Bologna
Emilia Romagna
Scaramucci
Torraca
Salerno
Campania
Scatambulo
 
Venezia
Veneto
Sellani
Lanciano
Chieti
Abruzzo
Sellani
Nocera Umbra
Perugia
Umbria
Simionato
Pianiga
Venezia
Veneto
Sparanno
 
Napoli
Campania
Stefani
Burgio, Sardes
Siracusa
Sicilia
Stefani
 
Rovigo
Veneto
Stocco
Spinea
Venezia
Veneto
Tassari
Lugo
Ravenna
Emilia Romagna
Tiloca
Alghero
Sassari
Sardegna
Toccafondo
San Severino Marche
Macerata
Marche
Togni
 
Rovigo
Veneto
Tosa
 
Venezia
Veneto
Trombini
Porto Tolle
Rovigo
Veneto
Vaula
 
Torino
Piemonte
Vechi
 
Cremona
Lombardia
Venturi
 
Verona
Veneto
Vitoi
Barga
Lucca
Toscana
Zaffani
Casaleone
Verona
Veneto
Zamagna
Cesena
Forli
Emilia Romagna
Zamboni
Mizzole
Verona
Veneto
Zampieri
Monselice
Padova
Veneto
Zanetti
Castrezzato
Brescia
Lombardia

Pesquisa em Listas de Passageiros

Uma das etapas da pesquisa sobre imigração em Leopoldina foi a busca dos manifestos de vapores, ou seja, das listas de passageiros dos vapores que trouxeram imigrantes para o Brasil na segunda metade do século XIX. Na época não havia possibilidade de pesquisar tais listagens pela internet, o que nos levou a procurar o Arquivo Nacional, no Rio de Janeiro, bem como ao Arquivo Público Mineiro, em Belo Horizonte.

Imagem de um vapor do século XIXCom o objetivo de colaborar com outros pesquisadores, publicamos diversas listas no site. Entretanto, quando as instituições publicaram esta parte de seus acervos na internet, retiramos o nosso material por ser em volume muito reduzido.

Atualmente, para pesquisar os livros da Hospedaria Horta Barbosa, pertencentes ao acervo do Arquivo Público Mineiro, basta entrar no site e procurar a seção Imigrantes que reúne códices com o registro da chegada de imigrantes em Minas Gerais, entre 1888 e 1901.Para pesquisar no Arquivo Nacional, o roteiro é:

– entre no site
– em Serviços, acesse Consultas ao Acervo
– escolha Banco de dados SIAN
– selecione Multinível – Fundos e coleções do Arquivo Nacional
– em seguida, escolha “pesquisa”. Serão abertas opções de pesquisa.
– escolha Multinível

No lado direito da janela será aberta a lista de documentos “Fundo/Coleção – Nível 1” Role até a parte inferior desta janela e siga para a terceira página. Localize “Divisão de Polícia Marítima, Aérea e de Fronteiras” e clique sobre a seta à esquerda. Em seguida abra “Relação de passageiros em vapores” e acione a seta à esquerda de “Porto do Rio de Janeiro”.

A partir daí virão listagens de todos os vapores já disponibilizados pelo Arquivo Nacional. Escolha o vapor de seu interesse, clicando na lupa à esquerda do nome do vapor. Será aberta uma nova janela. Acione, no canto superior direito, ícone “arquivo digital” A lista de passageiros será aberta em seu navegador, através um arquivo formato pdf (Portable Document Format). Ou seja, você precisa ter o Acrobat Reader em seu computador.