Festa do Imigrante Italiano em Leopoldina

Programação completa do evento que será realizado entre os dias 17 e 22 de maio de 2022 em Leopoldina, MG

Encontro de descendentes de imigrantes em Leopoldina

Desde 1998, quando Luja Machado e Nilza Cantoni começaram a publicar suas pesquisas sobre os descendentes de imigrantes que viveram na Boa Sorte e na Constança, observou-se um interesse crescente dos leopoldinenses a respeito do assunto. Em 2010, a comunidade organizou um grande evento para comemorar o Centenário da Colônia Agrícola da Constança. Em dois dias de festejos na sede social da Colônia, a capela carinhosamente conhecida como Igrejinha da Onça recebeu não só os descendentes que vivem em Leopoldina como pessoas vindas de municípios vizinhos, ligados ou não a imigrantes.

Dez anos depois, com a pesquisa em outro patamar e os interessados multiplicados, novas ideias surgiram na cidade no sentido de se valorizar o tema “imigração” dando a devida importância aos descendentes e preservando o pouco que ainda resta dos primeiros estrangeiros que chegaram ao município.

Assim surgiu a ideia de uma data para o calendário de eventos da cidade que não atropelasse outras comemorações já instituídas. Uma data para realizar o ENCONTRO DE DESCENDENTES DOS IMIGRANTES DE LEOPOLDINA.

Um momento para lembrar os antepassados de mais de quarenta por cento da população de Leopoldina.

E pensando nela foi proposto o dia 17 (dezessete) de MAIO.

MAIO, por ser um período de temperatura mais amena e agradável, oferecendo mais conforto para reuniões e atos religiosos ou ecumênicos; desfiles e apresentações dos alunos das escolas da cidade e dos distritos; caminhadas; cavalgadas; apresentações dos colecionadores de veículos antigos e dos bonitos carros de bois; partidas de futebol ou malha; comidas típicas e o bom vinho do cardápio italiano.

O dia DEZESSETE, porque foi a 17 de maio de 1882 que o presidente da província recebeu o comunicado de que 203 colonos estrangeiros haviam sido introduzidos em Minas Gerais, 9 (nove) deles, em Leopoldina. Desembarcados do vapor Patagônia no Porto do Rio de Janeiro, aqueles foram os primeiros imigrantes agricultores, inaugurando uma fase que se estenderia até a primeira década do século seguinte e foi muito importante para desenvolvimento de Leopoldina.

Entre os dias 17 e 22 de maio de 2022, acontecerão diversas atividades em Leopoldina, homenageando os imigrantes italianos. Uma delas é a Noite Italiana, conforme convite abaixo.

VENHA PARTICIPAR DA NOITE ITALIANA 🇮🇹
Dia 20/05, sexta-feira a partir das 20h no Clube do Moinho em Leopoldina/MG.
✔ Adesão R$ 25,00, inclui os seguintes pratos:
🍝 Lasanha, Fidelini (espaguete) ao molho a Bolonhesa, Fettuccine ao molho branco, Fusilli (parafuso com salada) e Mhoque
✔ Será servido a parte no bar:
🍷 Vinho, cerveja, refrigerante, água e porções de frios.
✔ Atrações:
Música ao vivo, apresentação do Grupo Tarantolato e homenagens às famílias de descendentes italianos de Leopoldina.
Esperamos por vocês! 🇧🇷🇮🇹
Confirme sua presença, ligue: (32) 3441-2896
🙏🏼 Jantar Beneficente, toda renda será revertida para Apae de Leopoldina.

Dia Nacional do Imigrante Italiano

A Ponte entre Culturas convida:

Venha comemorar neste domingo, 21/02 o DIA NACIONAL DO IMIGRANTE ITALIANO às 16h ao vivo no youtube. Na ocasião, Pierangelo Campodonico, diretor do Galata Museo del Mare de Genova e Paolo Masini, Presidente do Comitê Diretivo do MEI, apresentarão com exclusividade para o público brasileiro, o novo Museu Nacional da Emigração Italiana, sediado em Genova. Participarão ao vivo, para comentar o evento: Silvia Alciati (CGIE Brasil) e Cilmar Franceschetto (Arquivo Público do Estado do Espirito Santo).
Ás 16h45 haverá uma homenagem especial com o vídeo: “Relatos afetivos, fragmentos da memória”, realizado especialmente para esta data por Kátia Lombardi, fotógrafa e professora da Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ).
O evento será transmitido nos canais youtube: IIC RIO e Ponte entre Culturas.
Realização: Instituto Italiano de Cultura do Rio de Janeiro, Ponte entre Culturas, Museo Nazionale dell’Emigrazione Italiana.
Apoio institucional: Embaixada da Itália em Brasília e Consulado Geral da Itália no Rio de Janeiro.

Famílias imigrantes em Leopoldina

Revisão do estudo sobre a família Sardi, citada originalmente em artigo publicado em dezembro de 1998.

Programação do 10º Seminário da Imigração Italiana em Minas Gerais

Cultura, Economia e Trajetórias Familiares

Mediação: Stanley Savoretti de Souza
• Descendentes de Italianos na Economia de Leopoldina. Nilza Cantoni
• Encontro com uma Itália sentimental: a origem italiana do escritor Fernando
Sabino. Cristina Souza.
• Imigração italiana em Leopoldina – MG e região: a Familia Naccari.
Beatriz Leandra Monerat Viana, Mariana Mendes de Souza, Nicole Karoline
Gomes Lozi.
• Fotografia e infância rural: a Colônia José Teodoro pela lente de João da Costa (São João del Rei, 1960-1970). Virginia Aparecida Ambrosio, Christianni Cardoso Morais.

Inscreva-se nesta mesa e acione o sininho no You Tube.

X Seminário da Imigração Italiana em Minas Gerais

A Comissão organizadora do X SEMINÁRIO DA IMIGRAÇÃO ITALIANA EM MINAS GERAIS – que será realizado na modalidade virtual, entre os dias 06 e 10 de Outubro de 2020 – informa que estão abertas as inscrições para a submissão de trabalhos acadêmicos e não acadêmicos, elaborados a partir de pesquisas concluídas ou em andamento, que versem sobre o tema: A Influência Italiana no Desenvolvimento, Cultura e Esportes em Minas Gerais” e as seguintes linhas temáticas .
• O desenvolvimento econômico e social na diversidade regional mineira;
• A formação cultural e identitária em suas manifestações materiais e imateriais;
• A difusão, organização e popularização dos esportes em Minas Gerais.

Prazo para envio de trabalhos: 15 de agosto.
Acesse ao EDITAL: https://bit.ly/3gRMgDw

IX Seminário Imigração Italiana em Minas Gerais

“Breve documentário retratando o evento realizado em setembro de 2019 na cidade de Andradas, no Sul de Minas. Região com grandes atrativos turísticos, caraterizada pela agricultura familiar, com enfase na cafeicultura e vitivinicultura. A porcentagem de ítalo descendentes em toda a região é muito alta, chegando a 70% em Andradas, que faz divisa com o estado de São Paulo. O trasbordamento destes imigrantes italianos do estado de São Paulo para Minas escapa dos registros oficiais das hospedarias de imigrantes ou dos registros portuários, portanto os novos dados levantados no estudo de caso de Andradas pelo historiador Dr. Carlos Eduardo Rovaron contribuem para valorar a tese de que o número de imigrantes italianos que se estabeleceram em Minas Gerais é bem maior daquele contabilizado até hoje”.

Veja mais informações, fotos e noticias no site Ponte Entre Culturas
Os trabalhos estão disponíveis na Revista Virtual da Imigração Italiana em MG.

Descendentes de Stefano Cassagni

A pedido de Maria Felipa Castanha, republicamos antiga postagem sobre uma família de imigrantes com referência em Leopoldina, MG. Se você, leitor, tiver alguma informação a respeito dos sobrenomes Cassaghi, Cassagni, Cassagne, Castagna ou Castanha, agradecemos se puder nos escrever.

Segundo os registros da Hospedaria Horta Barbosa, Stefano Cassagni teria nascido por volta de 1859. Pelo casamento religioso do filho, a família procedia de Milano, Lombardia, Italia. Foram encontrados diversos usuários do sobrenome Cassaghi na Lombardia mas não com os nomes da família referida em Leopoldina.

Na mesma época em que eles chegaram, viviam no município pelo menos dois outros personagens com sobrenome semelhante, sendo que um deles, estabelecido no então povoado de Recreio, seria francês como se observa na seguinte nota do jornal Liberal Mineiro de 9 de março de 1883:

“Remeteram-se […] ao juiz municipal e de órfãos do termo da Leopoldina, cópia do ofício do ministério dos negócios da agricultura, comércio e obras públicas, de 16 [de fevereiro], em que exige informações acerca do súdito francês Bertrano Cassagne, que se diz haver residido até pouco tempo na estação do Recreio, estrada de ferro da Leopondina, ou no lugar denominado Conceição da Boa Vista, a fim de que habilite a Presidência a responder quanto antes o mesmo aviso.”

Bertrand Cassagne se transferiu pouco depois para Santo Antonio de Pádua, onde se casou e teve a filha Ernestina, por volta de 1910.

O outro seria Domingos Cassanha de quem sabemos apenas que era imigrante e vivia no distrito de Providência em 1898.

Stefano Cassagni deixou a hospedaria dia 9 de Novembro de 1894 sob contrato com a Camara Municipal de Leopoldina, MG. Estava acompanhado da esposa Rosa Sallai e de três filhos pequenos. Das duas crianças mais velhas, Maria e Maddalena, não temos informações. Já o menino Angelo Cassagni, nascido por volta de 1891, casou-se em Leopoldina aos 26 de Julho de 1930 com Maria Sodré, filha de José Sodré de Souza e Rita Maria de Jesus. O novo casal teria se estabelecido em Laranjal onde nasceu, pelo menos, o filho Paulo Cassagni que se tornou padre e viveu na cidade do Rio de Janeiro.

Em Leopoldina nasceu uma filha de Rosa e Stefano Cassagni, no dia 26 de junho de 1895. Chamou-se Carolina e se casou em Leopoldina aos 25 de Janeiro de 1919 com Rogerio Menezes Dias, filho de Antonio Menezes Dias e Maria Dias de Jesus. Rogerio era leopoldinense, nascido no dia 18 de Dezembro de 1889.

Descendentes de Nicolao Dalto

Atualização da postagem publicada em outubro de 2016 neste endereço.

Primeira geração

  1. Nicolao Dalto, filho de Felice Dalto e Francesca Arvello, nasceu na Itália e faleceu em Leopoldina, MG.

A mais antiga referência sobre a presença deste personagem em Leopoldina é do Almanak Hénault – Annuario Brazileiro Commercial Illustrado (Rio de Janeiro: A. Hénault, 1912-1913) que na página 53 do índice de Minas Gerais o inclui como sendo funileiro na cidade.

Luiz Rosseau Botelho, no livro Dos 8 aos 80 (Belo Horizonte: Vega, 1979. p.216), ao falar sobre o lançamento da pedra fundamental da Casa de Caridade de Leopoldina informa que “Nicolau Dalton a havia preparado para receber as coisas daquele tempo”.  Na página 218 o autor volta a citar Nicolau Dalton como tendo realizado a mesma atividade por ocasião do início das obras do “forum de Leopoldina”, citado como “Fórum Felix Martins” e que é o prédio onde hoje funciona o Centro Cultural Mauro de Almeida Pereira, na Praça Félix Martins.

O lançamento da “pedra fundamental” de uma edificação é cerimônia de origem celta e marca o início de uma construção. Trata-se de um bloco de pedra que é colocado acima dos pilares de fundação. Ao longo do tempo foi incorporada à tradição o costume de criar uma “cápsula do tempo”, ou seja, uma caixa contendo uma descrição do momento com os nomes das pessoas presentes, um jornal ou moedas da época e outras peças que, no futuro, serviriam para contextualizar aquele período. Para alguns autores, a cápsula do tempo era instalada no canto nordeste da construção.

Segundo fontes orais, o sobrenome seria Dalto e o personagem, italiano. Para alguns descendentes, o original seria Salto, da província italiana de Salerno. Entretanto os sobrenomes Dalto, Dalton ou Salto não foram encontrados em Salerno nem nas outras províncias da região da Campania.

Nicolao casou com Edwiges de Souza Reis, filha de Antonio de Souza Reis e Izabel Soares.

Filhos deste casamento:

+       2   F      i.       Isabel Dalto nasceu cerca de 1900.

3   M    ii.       Adalberto nasceu a 9 Out 1903 em Piacatuba, Leopoldina, MG.

4   M    iii.       Felicio nasceu a 16 Ago 1905 em Piacatuba, Leopoldina, MG.

5   F    iv.       Maria Francisca Dalto nasceu cerca de 1908 em Leopoldina, MG.

Maria casou com Argemiro Carneiro, filho de João Carneiro e Guilhermina de Oliveira,  a 18 Jun 1925 em Leopoldina, MG. Argemiro nasceu cerca de 1904 em Visconde do Rio Branco, MG.

6   M    v.       Felicio Dalto nasceu a 28 Ago 1911 em Leopoldina, MG, e faleceu em 1976 em Anchieta, Rio de Janeiro, RJ.

7   F    vi.       Rosa Dalto nasceu a 12 Jul 1916 em Leopoldina, MG.

8   M   vii.       Antonio Dalto nasceu a 21 Jul 1918 em Leopoldina, MG, e faleceu em Senador Camará, Rio de Janeiro, RJ.

+       9   F   viii.       Brasilina Dalto

Segunda geração (Filhos)

  1. Isabel Dalto (Nicolao 1) nasceu cerca de 1900.

Isabel casou com Biaggio Fiorenzano, filho de Pasquale Fiorenzano e Teresa Schettino,  a 20 Out 1917 em Leopoldina, MG. Biaggio nasceu a 21 Ago 1883 em Maratea, Potenza, Basilicata, Italia.

Agradecemos a colaboração da descendente Isabella Costa que nos forneceu nomes de alguns filhos e netos do casal Isabel-Biaggio Fiorenzano.

Filhos deste casamento:

10   F      i.       Tereza Fiorenzano nasceu a 14 Ago 1918 em Leopoldina, MG.

11   M    ii.       Pasqual Fiorenzano nasceu a 13 Jul 1920 em Leopoldina, MG.

12   M    iii.       Antonio Fiorenzano

13   M   iv.       José Fiorenzano

14   F     v.       Rosa Fiorenzano

+     15   F    vi.       Maria Fiorenzano nasceu a 7 Set 1928 em Leopoldina, MG. Teve uma irmã gêmea de nome Yolanda, falecida com pouca idade.

16   F   vii.       Luiza Fiorenzano

17   M  viii.       Braz Fiorenzano

18   M   ix.       Nicolau Fiorenzano

  1. Brasilina Dalto (Nicolao 1)

Brasilina casou com Antonio Samorè, filho de Alice Antonio.

Filhos deste casamento:

23   F      i.       Maria de Lourdes nasceu a 15 Nov 1918 em Leopoldina, MG.

24   M    ii.       Antonio nasceu a 22 Dez 1919 em Leopoldina, MG.

Terceira geração (Netos)

  1. Maria Fiorenzano (Isabel Dalto 2, Nicolao 1)

Maria casou com Firmino Ferreira da Costa.

Filhos deste casamento:

+     25   F      i.       Izabel Fiorenzano

+     26   M    ii.       Antonio Ferreira da Costa

27   F    iii.       Therezinha Fiorenzano da Costa

Quarta geração (Bisnetos)

  1. Izabel Fiorenzano (Maria Fiorenzano 3, Isabel Dalto 2, Nicolao 1)

Izabel casou com Ernesto Cravo Bento.

Filhos deste casamento:

35   M     i.       Fabio

36   F     ii.       Daniella

37   F    iii.       Clarice

  1. Antonio Ferreira da Costa (Maria Fiorenzano 3, Isabel Dalto 2, Nicolao 1)

Antonio casou com Cecilia Martins dos Santos.

Filhos deste casamento:

38   M     i.       Victor Hugo Santos Costa

39   F     ii.       Isabella Lais Santos Costa

40   M    iii.       Igor Santos Costa