Colônia Agrícola da Constança: 108 anos

Lotes da Colônia Agrícola da Constança criada em 12 de abril de 2010

Atualizado em abril 2018

Lote Colono Entrada
1 Paula, João Baptista de Almeida 1 7 1909
2 Passos, Manoel José dos 15 7 1910
2 Pardal, Manoel Gomes 25 11 1911
3 Macedo, Francisco Carneiro de 15 7 1910
4 Lomba, Jesus Salvador 20 7 1910
5 Lorenzi, Demetrio de 26 2 1911
5 Meccariello, Carlo 26 8 1911
6 Campagna, Felice Antonio 21 6 1911
7 Carraro, Vittorio 25 11 1911
8 Fofano, Paschoal Domenico 14 6 1910
9 Meneghetti, Felice 14 6 1910
10 Santos, Augusto 14 6 1910
11 Balbino, Pietro 28 12 1910
12 Colle, Francesco 28 12 1910
13 Pittana, Giuseppe 28 12 1910
14 Sampietro, Giovanni 28 12 1910
15 Pompermayer, Modesto 11 1 1911
16 Montes, Auriel de Rezende 15 7 1910
17 Reiff Júnior,Francisco Antonio 15 7 1910
18 Silva, Jeronymo José da 15 7 1910
19 Carvalho, João Pacheco de 15 7 1910
20 Marcato, Luigi 28 12 1910
21 Buciol, Angelo 28 12 1910
21 Abolis, Francesco 26 10 1911
22 Raipp, João Simão 20 10 1910
22 Rodrigues, Antonio Augusto 4 6 1924
23 Bonin, Fortunato 25 11 1911
24 Travain, Eugenio 11 1 1911
25 Meneghetti, Viúva de Luigi 14 6 1910
26 Gottardo, Giovanni Baptista 14 6 1910
27 Fofano, Carlo Batista 14 6 1910
28 Abolis, Leopoldo 11 1 1911
28 Montan, Antonio 17 1 1911
29 Boller, Giovanni 26 2 1911
30 Miehe, Heinrich 5 10 1910
30 Lupatini, Giovanni ? ? ?
31 Krause, Herman 27 1 1910
31 Boller, Luigi 26 2 1911
32 Troche, Bruno 27 1 1910
32 Boller, Giuseppe 26 2 1911
33 Zessin, Frederick 10 12 1909
34 Stefani, Eugenio 15 6 1910
35 Casadio, Giuseppe 15 6 1910
36 Ferreira, Francisco Dias 15 6 1910
37 Cartacho, Manoel da Cruz 30 1 1910
38 Secanelli, Angelo 30 3 1911
39 Lupatini, Giovanni 10 8 1911
40 Costa, José Manoel da 25 11 1910
41 Mesquita, Augusto 4 12 1909
42 Ferraro, Pasquale 26 2 1911
43
44 Schaden, Franz 27 1 1910
44 Rottemberg, Rudolf 19 10 1910
45 Schill, August 28 11 1909
45 Fischer, Gustav 26 8 1911
46 Ketterer, Franz 28 11 1909
47 Figueiredo, Julio Teixeira 16 6 1910
48 Nejedlo, Franz 8 12 1909
48 Klaiber, João Jorge 19 10 1910
49 Zessin, Wilhelm 28 11 1909
50 Krauger, August 28 11 1909
50 Beatrici, Pietro 26 2 1911
51 Lang, Ernest 27 1 1910
52 Hensel, Mathias 28 11 1909
53 Thier, Carl 8 12 1909
53 Beatrici, Felice 26 2 1911
54 Richter, Hermann 15 1 1910
55 Anzolin, Giovanni Ottavio 11 1 1911
56 Giuliani, Candido 20 7 1910
57 Anzolin, Basilio 11 1 1911
58 Carminati, Giovanni 6 1910
59 Carminati, Giovanni 6 1910
59 Pedroni, Angelo 14 6 1910
60 Sellani, Sante 11 6 1910
60
61 Brando, Biase 31 10 1911
62 Carvalho, Pedro Pacheco de 18 12 1911
63 Pardal, Manoel Gomes 25 11 1911
64 Pardal, Manoel Gomes
65
66 Rodrigues, Antonio Augusto 1920

O estudo sobre a Colônia Agrícola da Constança teve início na década de 1990 e foi concluído em 2010, quando publicamos os resultados em diversas mídias.

Nos últimos oito anos, no desenvolvimento de outros projetos relativos à história de Leopoldina foram encontrados indicadores que nos levaram a novas fontes e, consequentemente, à revisão de algumas informações publicadas. Esta atualização contém alterações nos nomes dos colonos, corrigidos de acordo com as novas fontes a que tivemos acesso.

Abril 2018

Luja Machado e Nilza Cantoni

Há 100 anos, na Colônia Agrícola da Constança

No dia 27 de janeiro de 1910, 4 colonos tomaram posse de lotes:

Hermann Krause, lote 31

Bruno Troche, lote 32

Franz Schaden, lote 44

Ernest Lang, lote 51

Em março do mesmo ano, Franz Schaden abandonou a Colônia e o lote foi transferido, em outubro, para Rudolf Rottemberg.

Em junho de 1910 foi a vez de Hermann Krause e Bruno Troche também deixarem seus lotes, que foram ocupados em fevereiro do ano seguinte por Luigi e Giuseppe Boller.

Há indicações de que Ernest Lang tenha desocupado o lote em 1910 ou 1911 e que a propriedade teria sido incorporada a uma outra faixa de terras que, redividida, veio a se tornar moradia de outros colonos. Informações, entretanto, que não conseguimos comprovar em fontes originais.

Os primeiros moradores da Colônia Agrícola da Constança

Conforme temos dito em várias oportunidades, a Colônia Constança não acolheu apenas imigrantes italianos. Ao transferimos para este novo endereço os textos publicados no final da década passada, voltamos a receber consultas sobre a presença de outras nacionalidades naquele núcleo colonial. Por esta razão, republicamos algumas informações que obtivemos nos Relatórios da Diretoria de Terras e Colonização de Minas Gerais.

No decorrer do ano de 1909, iniciaram-se os trabalhos de preparo dos lotes do núcleo que acolheria imigrantes em Leopoldina. A 12 de abril de 1910 foi assinado o Decreto 280 criando a Colônia Agrícola da Constança. O primeiro morador foi o Sr. João Baptista de Almeida Paula, que passou a residir naquele núcleo a 01.07.1909. Nos meses de novembro e dezembro de 1909, a Colônia recebeu as famílias de Mathias Hensul, Franz Ketterer, August Krauger, August Schill, Wilhelm Zessin, Augusto Mesquita, Franz Negedlo, Karl Thier e Fritz Zessin, mencionados nesta ordem de chegada no relatório do administrador da Colônia. Em janeiro de 1910, foram instaladas as famílias de Herman Krause, Ernest Lang, Franz Schaden, Bruno Troche e Manoel da Cruz Cartacho.

A evolução da Colônia nos primeiros anos

Inicialmente foram demarcados 60 lotes. No ano seguinte contavam-se 65 e, em 1911, o número aumentou para 68. Com a aquisição da fazenda Palmeiras, a colônia passou a somar 73 lotes. Destes, ao final do exercício de 1912, apenas 64 estavam ocupados, sendo apenas um por título definitivo.
Devidamente cercados e com uma casa de morada coberta de telhas, os lotes foram vendidos principalmente aos imigrantes que ali passaram a cultivar toda sorte de produtos, a maioria deles para serem vendidos na cidade ou, na “venda de secos e molhados”, que ficava na entrada da Boa Sorte e que se transformou num verdadeiro entreposto comercial para uma vasta região.
As casas da Colônia tiveram como modelo (planta) as da Colônia Vargem Grande, uma colônia que já existia nas proximidades de Belo Horizonte.
Sabemos que entre novembro e dezembro de 1909, com 15 lotes preparados, foram instaladas na Constança onze famílias, sendo 8 alemãs (38 pessoas), 1 austríaca (7), 1 portuguesa (3) e 1 brasileira (8 pessoas). Essa população era formada por 31 pessoas do sexo masculino e 25 do feminino.
A Gazeta de 17.04.1910 informa que no mesmo mês da criação da Colônia foram deferidos os pedidos de lotes dos colonos Friederich (Fritz) Zessin, August Kraucher (Krauger), Karl Thiers, Franz Havier, August Schill, João Gerhim, Hermann Richter, Bruno Troche, Hermann Kunse (Krause) e Erust (Ernest) Lang. Informa ainda que o lote nº 41 foi cedido a Augusto Mesquita, que João Carminatti pretendia os de números 58 e 59 e que o lote 64 havia sido adquirido por Manoel Gomes Pardal.
Dos 16 colonos assentados no primeiro ano, 7 a abandonaram, tendo sido inscritos como devedores. Outros dois abandonaram a Colônia no ano seguinte.