Famílias italianas em Leopoldina: Carraro

A família Carraro será homenageada nesta III Festa do Imigrante Italiano em Leopoldina também através do descendente Waldir Elias Dibo. Procedentes de Pianiga, província de Venezia, os ascendentes de Waldir chegaram em duas etapas: a mãe de Vittorio Carraro, Santa Bordin, viajou com os filhos pelo vapor Washington em 1888, saiu da hospedaria com destino a São João Nepomuceno e pouco depois se transferiu para Leopoldina. Já a família de Elisabetta chegou em 1896 e foram para a Fazenda Paraíso.

Primeira geração

1.  Waldir Elias Dibo, filho de Elias Dibo e Maria Carraro, nasceu a 1 Nov 1939 em Leopoldina, MG.

Segunda geração (Pais)

2.  Elias Dibo, filho de João José e Carmen Felix. Casou com Maria Carraro.

3.  Maria Carraro, filha de Vittorio Carraro e Elisabetta Carraro, nasceu a 3 Dez 1908 em Leopoldina, MG, e faleceu a 18 Mai 1967 em Leopoldina, MG.

Terceira geração (Avós)

6.  Vittorio Carraro, filho de Francesco Carraro e Santa Bordin casou com Elisabetta Carraro a 30 Jul 1898 em Leopoldina, MG.

7.  Elisabetta Carraro, filha de Angelo Carraro e Giovanna Cancelliero, nasceu a 27 Out 1878 em Pianiga, Venezia, Veneto, Italia, e faleceu a 11 Ago 1971 em Leopoldina, MG.

Quarta geração (Bisavós)

12.  Francesco Carraro, filho de Angelo Carraro e Fortunata Cancelliero, nasceu na Italia, e faleceu a 4 Set 1878 em Rivale di Pianiga, Venezia, Veneto, Italia. Casou com Santa Bordin.

13.  Santa Bordin nasceu em 1848 na Italia.

14.  Angelo Carraro, filho de Antonio Carraro e Maria Carraro, nasceu a 11 Abr 1848 em Pianiga, Venezia, Veneto, Italia. Casou com Giovanna Cancelliero.

15.  Giovanna Cancellieri, filha de Luigi Cancellieri e Giustina Segato, nasceu a 20 Mar 1852 em Murelle di Villanova Di Camposampiero, Padova, Veneto, Italia.

Quinta geração (Trisavós)

24.  Angelo Carraro nasceu na Italia onde se casou com Fortunata Cancelliero.

25.  Fortunata Cancelliero nasceu na Italia.

28.  Antonio Carraro nasceu na Italia onde se casou com Maria Carraro.

29.  Maria Carraro nasceu na Italia.

30.  Luigi Cancelliero, filho de Angelo Cancelliero e Maria Silvestri, nasceu em 1818 em Murelle di Villanova di Camposampiero, Padova, Veneto, Italia e lá faleceu a 19 Fev 1887. Foi casado com Giustina Segato.

31.  Giustina Segato nasceu na Italia.

Sexta geração (Tetravós)

30.  Angelo Cancelliero nasceu na Italia onde se casou com Maria Silvestri.

31.  Maria Silvestri nasceu na Italia.

A distância entre Villanova di Camposampiero e Pianiga é de 7,5 km. A primeira pertence à província de Padova e Pianiga é da província de Venezia.

________________

Fontes consultadas:

Archivio di Stato di Pianiga. Livro de Registro de Óbitos de 1878.

Archivio di Stato di Venezia. Certificato di Famiglia emitido em Pianiga a 22.07.2000.

Arquivo da Diocese de Leopoldina. lv 12 bat fls 28v termo 28 e lv 3 cas fls 9 termo 18.

Arquivo Público Mineiro. Livros da Hospedaria Horta Barbosa SG-801 fls 86-87 fam 82 e SA-884 fls 59 fam 33.

Cartório de Registro Civil de Leopoldina.

– Certidão matrícula 0509480155 1939 1 00009 050 0000637 81.

– lv 7 nasc. fls 112 termo 36.

Cemitério Nossa Senhora do Carmo. lv sepultamentos 1963-1975 fls 35 nr 122 plano 2 sep 1154 e fls 69 nr 229 plano 2 sep 264.

Os primeiros Carraro em Leopoldina

Entre os passageiros do vapor Washington que deram entrada na Hospedaria Horta Barbosa no dia 31 de outubro de 1888, constam três grupos do sobrenome Carraro.

O primeiro, que recebeu o número 82, era chefiado por Emílio Carraro, indicado como solteiro, com 16 anos, sua mãe Santa Bordin com 40 anos, e os irmão Vittorio com 15 anos e Massimiliano com 13 anos.  Saíram da Hospedaria no dia 4 de novembro com destino a São João Nepomuceno.

Descobrimos que o pai deles e marido de Santa Bordin foi Francesco Carraro, falecido em Pianiga no dia 4 de setembro de 1878. Massimiliano Angelo nasceu aos 9 de novembro de 1875 também em Pianiga. De Emilio e Vittorio não encontramos nascimento. Mas além destes filhos, localizamos uma filha de Santa e Francesco de nome Fortunata Marcolina, nascida por volta de 1877 e falecida no dia 11 de dezembro de 1878 em Pianiga.

Vittorio Carraro se casou com Elisabetta Carraro, de família que passou ao Brasil seis anos depois. Em 25 de novembro de 1911 o casal tomou posse do lote número 7 da Colônia Agrícola da Constança. Casados em Leopoldina no dia 30 de julho de 1898, tiveram os seguintes filhos : Elizia (1899-1899), Angelina (19800-1968), Maximiano (1903-906), Emilia (906), Maria (1908-967), Amelia (1912) e Rosa (1914-1973)

O segundo grupo, cujo número deveria ser 83 mas foi escrito 23, era chefiado por Eugenio Carraro, viúvo, 33 anos, com 4 filhas: Eleonora de 5 anos, Maria de 4 anos, Luigia de 2 anos e Angela com 1 ano. Saíram da Hospedaria no mesmo dia e para a mesma cidade.  Entretanto, assim como a família anterior, pouco tempo depois estavam vivendo em Leopoldina.

Eleonora Carraro, também referida como Honorina, casou-se em Leopoldina com Fiorindo Bedin, também referido como Olimpio, no dia 7 de setembro de 1901.  Ele nasceu dia 15 de janeiro de 1880 em Castegnero, Vicenza, filho de Domenico Bedin e Anna Todaro.  Eleonora/Honorina faleceu no dia 22 de junho de 1907, deixando, pelo menos, dois filhos: José, nascido em 1904 e Natal, nascido em 1906. Fiorindo casou-se pela segunda vez com a cunhada Maria, no dia 23 de junho de 1908. Deste casamento teve os filhos Amélia (1908), Celeste (1911), Welsina (1903), João (1915) e Cynira (1920). Fiorindo/Olimpio casou-se pela terceira vez,  no dia 31 de outubro de 1927, com Filomena Fernandes, nascida em Leopoldina em 1895, filha de Domingos Antonio Fernandes e Margarida do Nascimento.

O terceiro grupo de Carraros era composto por Federico, de 28 anos e sua esposa Rosa Giovanna Calzavara, com quem havia se casado no dia 27 de setembro em Pianiga. Ou seja, o casamento foi realizado poucos dias antes do embarque para o Brasil.

A esposa de Federico era filha de Gregorio Calzavara e Antonia Benfatto mas seus pais não teriam deixado a Italia. Os pais de Federico foram Andrea Carraro e Antonia Masuolo, ambos já falecidos quando o filho se casou. Federico e Rosa saíram da Hospedaria com destino a Leopoldina, no mesmo dia 5 de novembro em que outro grupo de passageiros do Washington , com o mesmo sobrenome de sua esposa, também foi para Leopoldina. Sob o número 143 eram Giuseppe Angelo  Calzavara, de 32 anos, a esposa Anna Maria Scantamburlo e os filhos Regina (6 anos), Pietro (2 anos) e um bebê de 2 meses que pode ser Amalia Calzavara, que em Leopoldina se casou com Otavio de Angelis. Giuseppe Angelo e Ana Maria foram pais, também, de Pedro Angelo e Genoveffa, nascidos em Leopoldina, onde ela se casou com Ermenegildo Meneghetti, que também veio na mesma viagem do Washington.

Ainda não foi possível estabelecer o parentesco entre Andrea Carraro, pai de Federico, com Angelo Carraro, pai de Eugenio e Francesco Carraro.

Família de Vittorio Carraro

O sobrenome Carraro é bastante comum em Leopoldina. Alguns usam como Carrara. Recebemos consulta sobre o comprador do lote número 7 da Colônia Agrícola da Constança – Vittorio Carraro, cuja família vai abaixo descrita.

Vittorio era filho de Francesco Eugenio Carraro e Santa Bordin. A esposa, Elisabetta, era filha de Angelo Carraro e Giovanna Cancelliero. Os irmãos de Vittorio e Elisabetta deixaram numerosa descendência em Leopoldina.