Ver e tocar o passado: emoção e sentimento na História do Brasil de John Armitage

Artigo de Flávia Florentino Varella publicado no número 8 da Revista História da Historiografia, disponível neste endereço.

Segundo a autora, Ver o Tocar o Passado “tem como principal objetivo analisar como a História do Brasil, escrita em 1836 pelo comerciante inglês John Armitage, pode ser entendida dentro dos parâmetros de uma historiografia de presença, e que espécie de práticas caracterizariam esse tipo de historiografia.”

Um trecho:

“a teatralidade e profusão na descrição das cenas, foi mobilizado por Armitage, na narrativa da história nacional brasileira, principalmente na caracterização da relação da Imperatriz Maria Leopoldina com D. Pedro I como um casamento repleto de desgostos causados pela infidelidade de seu marido e sofridos injustamente por ela. Ao invés de focar a narrativa do sofrimento em D. Pedro I, no qual a priori seria mais difícil estabelecer empatia com seus leitores, Armitage transferiu essa narrativa patética para a traída e indefesa Imperatriz. A temática do casamento, como fonte infinita de sofrimento e desgosto, não passou despercebida na História do Brasil, e a fragilidade feminina foi o espaço encontrado para a criação de empatia através da piedade.”