Passageiros do Vapor Washington

No dia 30 de outubro de 1888, aportou no Rio de Janeiro o vapor italiano Washington. Esta viagem chamou nossa atenção por ter sido, naquela década, a primeira que reuniu grande número de imigrantes que se dirigiram para Leopoldina. Aliás, naquele mês de outubro de 1888, segundo o periódico A Immigração, publicado na Corte, entraram no porto do Rio 6.088 imigrantes, sendo 4.090 italianos.  Do total de imigrantes entrados, as seguintes localidades receberam o maior número:

3.076 - Minas Gerais

1.250 – Corte

  868 – São Paulo

  545 – Rio de Janeiro

  203 – Rio Grande do Sul

  128 – Paraná

Fonte: A Immigração, Rio de Janeiro, nov. 1888, p.3

Mas estes dados se referem apenas ao porto do Rio de Janeiro sobre o qual a mesma publicação informa que no mês de outubro foi computado o maior número de desembarcados de 1888, e que o total atingido naquele ano já era maior do que o de todos os anos anteriores.

 

A lista de passageiros foi encaminhada para a Hospedaria Horta Barbosa, em Juiz de Fora, cujo registro está disponível no site do Arquivo Público Mineiro, livro SG-801, páginas 74 a 118. Todos os 1335 imigrantes encontram-se listados, sendo que muitos saíram da Hospedaria com destino a Leopoldina. Ao pesquisar sobre estas famílias, observamos que muitos sobrenomes estavam grafados de maneira diferente do original italiano, além de enganos em nomes, idades e sexo de alguns passageiros. Não conseguimos informações sobre todos eles e, portanto, alguns dos sobrenomes a seguir podem conter incorreções:

Albertin, Albertoni, Baldan, Beatrisini, Bernardi, Bestton, Bortolozo, Broccato, Calzavara, Carraro, Ceoldo, Ceoldo, Cosini, Dommini, Faccina, Fazolato, Formenton, Garbin, Giacomin, Gobbi, Gottardo, Lazzarin, Lorenzi, Marchiori, Marinato, Meneghetti, Montovani, Nalon, Perigolo, Pertile, Pivoto, Polasse, Righetto, Roschi, Rossato, Saloto, Sampieri, Scantamburlo, Schiavolin, Spoladore, Trevisan, Verona, Zapaterra e Zotti.

O vapor Washington permaneceu no Rio até o dia 4 de novembro, quando seguiu para o Chile levando 67 passageiros em trânsito, o que nos leva a supor que 10 passageiros tenham decidido ficar no Rio.

Ao estudarmos as famílias que vieram pelo Washington e que foram para Leopoldina, observamos que uma boa parte era proveniente da divisa entre as províncias de Padova e Venezia.

No recorte acima estão destacados o comune de Vigonza na província de Padova, os comuni de Pianiga e Dolo na província de Venezia, e as localizades de Arino di Dolo e Cazzago di Pianiga, as mais incidentes entre os imigrantes aqui referidos.

Parte dos viajantes não permaneceu em Leopoldina. Entre os que lá se estabeleceram, mais de 20 anos depois alguns se tornaram proprietários de lotes da Colônia Agrícola da Constança.

Nas próximas postagens vamos atualizar informações sobre algumas famílias que vieram pelo vapor Washington.

10 opiniões sobre “Passageiros do Vapor Washington”

  1. Nilza, boa noite.
    Agradecida pelo memorável trabalho de pesquisa sobre os imigrantes italianos nas Minas Gerais.
    Estou em busca desta lista do vapor Washington aqui chegado em 10.1888.
    Gostaria de saber mais sobre a familia de Luigi Guerra, esposa e filhos, Que vieram nele. Antonio Guerra, filho com 13 anos , acho que é meu avô .
    Poderia disponibiliza-la?
    Sabe qual rumo tomaram apos a chegada?
    Preciso de dados para cruzar com os que já possuo.
    Desde já agradecida,
    Rafaelina

    Gostar

    1. Agradecemos pelo apoio, Rafaelina.
      A lista original da viagem do Washington em outubro de 1888 não foi encontrada. Existe apenas o registro de passageiros na Hospedaria Horta Barbosa, disponível no site do Arquivo Público Mineiro. Tenho interesse pessoal em Luigi Guerra, provável irmão de Teresa Guerra que faleceu antes da vinda do marido e filhos para o Brasil naquela viagem do Washington. Mas Luigi não foi para Leopoldina, o município que pesquisamos. Saiu da hospedaria para São João Nepomuceno, onde não tivemos acesso a fontes. Se o seu interesse for somente processo de reconhecimento de cidadania, entre em contato com o Archivio di Stato de Vigonza, provável local de nascimento de seu antepassado.

      Gostar

  2. Meu Bisavo se chamava Vardiero Gioseppe filho de Vardiero Luidge e Roza Confurtin,
    ele nascido em Venezia ela em Padoa Itália, sua esposa se chamava Regina Zago
    filha de Giovani Zago e Arvali Gusmão.

    Gostar

    1. Olá. Muito feliz pelos seus esclarecimentos.
      Gostaria de conversar contigo . Tenho documentos, certidões do filho de Luigi Guerra, Antonio, Amália, Felice.
      Creio que você ainda vai me ajudar muito a conseguir o que procuro.
      Poderia ser onde?

      Abraços,

      Rafaelina

      Gostar

  3. Olá, primeiramente parabéns pela Matéria, gostaria de saber onde consigo acessar a lista de passageiros dessa embarcação, meu tataravô Luigi e meu trivô Giuseppe Vardiero vieram nela.

    Gostar

    1. Olá Jonathan: a lista dos imigrantes que vieram pelo vapor Washington para Minas Gerais encontra-se no Arquivo Público Mineiro. Há um Luigi, com família, que foi para Muriaé. Não vi o nome Giuseppe.

      Gostar

  4. Por favor, gostaria de pedir ajuda, pois preciso de informações sobre a familia Zotti mais especificamente DOMENICO ZOTTI E GIUSEPPE ZOTTI PAI E FILHO , que chegaram em 31/10/1888.
    desde já agradeço

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s