Cisneiros e Itapiruçu, distritos de Palma

POSTAGEM REPUBLICADA

CISNEIROS – Chamou-se inicialmente Aliança por extensão do nome da fazenda que lhe deu origem, propriedade de Bernardo Tolentino Cisneiros da Costa Reis. O distrito foi criado quando pertencia a Cataguases, em 1890, tendo seu nome alterado em 1892.

ITAPIRUÇU – Criado no município de Leopoldina em 1883 com o nome de Tapiruçu, mesma grafia com que aparece nos registos do Cartório de Notas de Conceição da Boa Vista. Segundo estudos toponímicos publicados na Revista do Arquivo Público Mineiro, seria uma referência ao Tapirussu, animal silvestre que servia de alimentação aos indígenas. Trata-se de mamífero de pêlo avermelhado, pernas finas, sem chifres, lembrando um bovino ou equino no tamanho. Entretanto, Joaquim Ribeiro Costa diz que o nome do distrito tem origem na língua indígena: itá + apira + açu. O significado seria pedra + empinada + grande, ou seja, grande pedra empinada.

8 opiniões sobre “Cisneiros e Itapiruçu, distritos de Palma”

  1. Olá Nilza, tenho o nome de minha bisavó desencontrado em um documento antigo (INAMPS) que encontrei à pouco tempo. Achei o nome Antónia Pinto Fernandes, já na certidão de casamento de meus avós, está o nome dela como Antônia de Souza Pinto, ela casou com José de Souza Lima, um dos filhos chamado José de Souza Pinto. A data de nascimento dela foi 02/04/1903. Parece ser filha de Francisco Fernandes. Eles viviam em Palma. Parentes atemporais que conheço são a ex-primeira dama de Palma Maria Luzia, ela parece ter sido sobrinha de minha bisavó Antônia.

    Gostar

    1. Camila: não havia, como de fato ainda não há, regras para a formação dos nomes. O que se tem é o uso ou prática social. No século XIX as mulheres raramente usavam sobrenome de família. Mais comum era o uso de nome de devoção a título de sobrenome. Outro aspecto a considerar é que tanto homens como mulheres usavam indistintamente sobrenome da família paterna ou da materna. A ordem era a que mais atendesse aos interesses. Por exemplo: se a avó materna era de uma família conhecida ou poderosa, mesmo que não usasse o sobrenome de família um neto ou neta poderia resgatá-lo como primeiro, segundo ou único sobrenome. Também não havia o hábito que julgo pernicioso da mulher perder o nome de família pelo casamento. Geralmente a mulher só usava o sobrenome do marido quando, viúva, assumia o comando dos bens. São muitas variáveis que precisamos analisar com cuidado e, principalmente, evitando o anacronismo. No caso que você apresenta tanto pode haver parentesco entre os cônjuges como ser uma escolha do sobrenome mais “forte” na ocasião. Infelizmente eu não tenho como ajudar porque só fiz buscas pontuais em Palma.

      Gostar

  2. Olá Nilza, eu procuro pelo registro da minha avó que se chamava Olivia da Cunha Pinto, a mãe chamada Geralda e o pai Júlio, ela era de Cisneiros, me ajude a encontrar essa origem da família que vem dela, pois ela foi órfã ainda criança e não sabemos muita coisa de nossa origem.

    Gostar

      1. Nilza, te agradeço imensamente se encontrar algo a respeito dos pais de meus bisavos, como eu lhe disse não sabemos nada sobre a origem da família, de nenhum dos lados.
        Os nomes do pais da minha avó Olivia são José Augusto da Cunha e Geralda Malafaia.
        Encontrei a certidão de casamento, onde ela chamava-se Olívia dos Reis Cunha antes de casar-se.
        Nascida em 06 de julho de 1937, em Cisneiros.
        O casamento foi em 07 de setembro de 1953, mas lavrado no Cartório de Paz de Palma em 12 de agosto de 1971.

        Casou com José de Souza Pinto, filho de José de Souza Lima e Antônia de Souza Pinto.

        Gostar

      2. Olá Nilza, você sabe de algum português chegado nessa região com sobrenome Reis ou Malafaia, principalmente o Malafaia, que acredito ser o parente que “caçou” a vó da minha avó, que era índia, e casou-se com ela.

        Gostar

      3. Olá Camila: não tenho o sobrenome Malafaia no banco de dados. Muitos portugueses chegaram a Leopoldina no final do século XIX. Por favor, informe o nome completo e da esposa ou filhos para que eu possa fazer uma busca. Aproveito para informar que a lenda da indígena pega a laço está presente em muitas famílias mineiras. Para alguns estudiosos, a origem da lenda é o desconhecimento do fato de que as mulheres raramente usavam sobrenome de família, mas nomes de devoção. Isto não significa que fossem aborígenes. Em alguns casos já foi documentada a origem da personagem que não tinha nada a ver com as populações autóctones.

        Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s