Os sertanistas de São Paulo em discursos de padres do século XVIII

Artigo de Michel Kobelinski sob o título A negação e a exaltação dos sertanistas de São Paulo nos discursos dos padres Pierre-François-Xavier de Charlevoix, D. José Vaissette e Gaspar da Madre de Deus (1756-1774), publicado no número 8 da Revista História da Historiografia, “procura entender como essas construções discursivas exaltavam ou negavam as ações “sertanistas” a partir de sensibilidades opostas, o ufanismo e o ressentimento, na construção da identidade nacional”.

Disponível neste endereço, o artigo aborda os “vínculos entre os cidadãos e a nação [que] somados ao hábito de supervalorizá-la excessivamente, decorrem de um modelo de história que exaltou os heróis e reverenciou a natureza.”

Na conclusão do autor declara que “a polêmica historiográfica envolveu, de um lado, o historiador Pedro Taques de Almeida Paes Leme e Frei Gaspar da Madre de Deus, que viram no passado um instrumento de luta política e de valorização pessoal, ao mesmo tempo em que refutavam os escritos jesuíticos de Charlevoix e Vaissette que, inversamente, procuravam mostrar imagens da barbárie e da degeneração social na formação da capital paulista.”