Economia e Sociedade em Minas Gerais

Artigo de Francisco Vidal Luna para a Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, São Paulo.
“Com relação aos proprietários de escravos, evidenciou-se um predomínio de indivíduos com um número reduzido de cativos (entre um e quatro escravos), sendo raros os grande senhores de escravos. Dentre os milhares de mineiros estudados, poucos registraram-se com mais de quatro dezenas de escravos e apenas um ultrapassou a centena. Para cada uma das localidades estudadas, o número médio de escravos por proprietário – que variou entre 3,7 e 6,5 – revelou relativa estabilidade, apesar de refletirem tanto épocas de ascensão da atividade (1718 a 1738) como de decadência da faina aurífera (1804).”

Leia o texto na íntegra:
ar19.pdf (objeto application/pdf)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s