Diário do Vale: Governo decreta que ‘volta redonda’ do Paraíba não existia

“Embora conhecida antes de 1800 e fotografada antes de 1864, a famosa linha curva do Rio Paraíba que deu nome a Volta Redonda não existia antes de 1867, segundo decisão da Superintendência de Patrimônio da União (SPU). Pior: não existiu até que fosse feito o aterro no bairro conhecido como Aterrado, o que ocorreu cem anos depois, em 1967. Durante todo este tempo, segundo o mapa traçado pela SPU, o rio tinha não o formato de uma ‘volta redonda’, mas sim o formato de um “camelo”. 

Leiam a matéria completa:
Diário do Vale: Governo decreta que ‘volta redonda’ do Paraíba não existia

Circolo Sardo di Minas Gerais

O Circolo Sardo colocou um belo vídeo no site. Em mensagem eles informam:

É nosso interesse levar o maior numero de informações de interesse para todos os nossos associados, amigos e simpatizantes da cultura da Sardegna.

Por este motivo, decidimos que a cada mês, iremos publicar uma região da Sardegna , com suas curiosidades, belezas , costumes e tradições, além de veiculação diária no link NOTICIAS dos assuntos e temas de interesse comum à comunidade.

Cineclub em Leopoldina

Informativo da MAISS CONHECIMENTO

 

No último dia 24 de setembro foi exibido na ACIL, em Leopoldina, o filme alemão “A Onda” (Welle, Die). Esta sessão, promovida pelo Cineclube Cumbuca, teve a parceria da Secretaria Municipal de Cultura, através da Maiss Conhecimento, que negociou junto a distribuidora a liberação da exibição do filme.

Filme polêmico, que faz parte da nova safra do cinema alemão, dirigido por Dennis Gansel, o longa teve uma indicação na Competição Dramática Internacional do Festival de Sundance 2008 por narrar à história real de um professor que em 1967, nos EUA, tenta explicar o nazismo a seus alunos, através de uma atividade chamada ‘A onda’. Após mostrar na prática como nasce, cresce e se sustenta ideologicamente um regime totalitário, ele vê seus alunos não só acolherem a idéia, como passarem a se comportar de tal forma que o experimento quase descamba para uma tragédia em apenas cinco dias.

Segundo Rodolfo Lima, consultor da Maiss Conhecimento, esta parceria firmada, proporciona à população de Leopoldina a oportunidade de conhecer belas obras cinematográficas que, na maioria das vezes, não são oferecidas em DVD. Vale ressaltar que o filme continua em exibição nos cinemas das capitais brasileiras.

Rodolfo Lima antecipa a informação sobre o próximo filme a ser exibido pela parceria: “Simonal – Ninguém Sabe o Duro que Dei”. Documentário sobre a ascensão e queda de Wilson Simonal (1939-2000).

A data da sessão será informada pelo Cineclube Cumbuca. Acesse através do endereço

O Cineclube Cumbuca é coordenado por Oswaldo Giovannini Junior, Thaylis Carneiro, Rosenilha Fajardo e Iano Oliveira. Funciona todas as quintas no prédio da ACIL, na Rua Ribeiro Junqueira às 19h00min horas. A entrada é franca.