O Comércio de Recreio em Publicações Esparsas

Na edição especial da Revista Acaiaca de Leopoldina, de março de 1954, encontram-se anúncios comerciais daquela cidade e de municípios vizinhos. Comemorava-se o 1º Centenário da elevação do Feijão Cru à categoria de Vila e Cidade da Leopoldina. Em estilo simples e direto, encontramos na segunda página da revista dois anúncios de comerciantes de Recreio.

HUMBERTO TOMASCO

Máquinas de beneficiar arroz

Exportação de arroz por atacado

RUA ESTEFÂNIO, 73 – FONE, 23 – RECREIOMINAS

JOSÉ DE CASTRO LACERDA

Atacadista de BebidasDepositário de CimentoCal

– Querozene e SalDistribuidor de Cerveja Brahma

RUA GOVERNADOR VALADARES – RECREIOMINAS

Anúncios pequenos e simples, em quadros de 10,5 cm de largura por 2 cm de altura. A folha seguinte, ao contrário, era ocupada inteiramente pela seguinte mensagem:

INDUSTRIAL ESTEFÂNIO DOS SANTOS LDTA.

FUNDADOR- ESTEFÂNIO DOS SANTOS

JOSÉ DOS SANTOS

JOÃO DOS SANTOS

FRANCISCO DOS SANTOS e

D. INÁCIA ROSSIGNOLI DOS SANTOS

Levam os seus cumprimentos ao progressista povo e administradores de LEOPOLDINA, por motivo das festividades do CENTENÁRIO da cidade.

Fabricação de Manilhas e seus

Pertences

RUA SÃO JOAQUIM, 135

RECREIOMINAS GERAIS

Parece-nos que estes anunciantes seriam os mesmos que apoiavam o periódico de Recreio, onde também foi publicado o texto de Mauro de Almeida Pereira que se encontra na página 42 da edição da Acaiaca a que estamos nos referindo. Trata-se de uma versão extremamente reduzida da história do surgimento da cidade, conforme a tradição oral que circulava naquela época.

Recreio, MG: A Imprensa

Assim com os núcleos urbanos mais próximos, Recreio passou a contar com um órgão de imprensa nos últimos anos do século XIX.  Embora saibamos que muitos daqueles periódicos não sobreviveram ao segundo número, realizamos um levantamento através de indicações contidas em Efemérides Mineiras, de José Pedro Xavier da Veiga, para conhecer os títulos que circularam. Em ordem de data da primeira edição temos o seguinte quadro.

1877-O Operário-(Além Paraíba);

1879-O Leopoldinense-(Leopoldina);

1881-Correio de São José e O Além Paraíba-(Além Paraíba);

1884-A Folha de Minas e Gazeta de Cataguases-(Cataguases);

1885-O Povo*-(Campo Limpo); O Bilontra-(Cataguases); Princípio da Vida-(Leopoldina);

1886-José Bonifácio, O Cataguasense e O Povo*-(Cataguases); O Pássaro-(Leopoldina);

1887-Estrela de Minas e Idéia Nova-(Leopoldina); O Muriaé-(Muriaé);

1888-Irradiação-(Leopoldina); Gazeta Popular-(Miraí); O Alto Muriaé-(Muriaé);

1890-Gazeta do Leste-(Leopoldina); Tapiruçuano-(Palma); A Voz Mineira-(RECREIO);

1892-A Leopoldina-(Leopoldina); O Município-(Miraí); Eco Municipal-(Muriaé); Correio de Palma-(Palma);

1893-O Progresso-(Miraí);

1894-Eco de Cataguases-(Cataguases);

1894-A Falena-(Leopoldina); Gazeta de Palma-(Palma); Voz de Tebas-(Tebas);

1895-Correio da Leopoldina, Gazeta da Leopoldina e Mediador-(Leopoldina);

1897-Cidade da Palma-(Palma); Tiradentes-(Vista Alegre).

* os dois periódicos denominados O Povo são, na verdade, a mesma publicação. Seu fundador, Estevam de Oliveira, transferiu-o para Cataguases após um ano de circulação em Campo Limpo. O jornal combatia a escravidão e a monarquia, constituindo-se em órgão do Partido Republicano.

Não encontramos a data em que começou a circular O VERBO, jornal mais longevo de Recreio. O mais antigo número de que se tem referência é de 1906, conforme se constata no acervo da Hemeroteca Pública de Minas, em Belo Horizonte. E conforme pode ser observado na fotografia abaixo, em 1946 o periódico estava presente nos momentos mais importantes da vida da cidade.

Esta fotografiaé de 1946, por ocasião de reivindicação d ereajuste salarial dos ferroviários, na frente da Sede do jornal O Verbo.

A Imprensa em Minas Gerais

POSTAGEM REPUBLICADA

Na Revista do Arquivo Público Mineiro, volume 1, páginas 169 a 239, encontra-se um artigo sem indicação de autoria, historiando os primeiros tempos deste meio de comunicação em terras mineiras. Na primeira página o autor informa tratar-se de uma “refusão” de monografia publicada em 1894 e atualizada para aquele número da Revista. A revisão foi concluída em dezembro de 1897.
Através deste artigo ficamos sabendo que o primeiro órgão de imprensa, denominado Abelha do Itaculumy, circulou em Ouro Preto e era impresso na Officina Patricio de Barbosa & Comp. O primeiro número saiu no dia 14 de janeiro de 1824 e, a partir daí, era publicado três vezes por semana.
A segunda localidade a contar com um órgão de imprensa foi São João d’El Rei, onde a 20 de novembro de 1827 apareceu a folha Astro de Minas. Ressalta o autor que, no final da primeira década após o surgimento do Abelha do Itaculumy, apenas dez localidades mineiras haviam criado e desenvolvido o jornalismo. Já no final de 1878 haviam sido fundados 69 órgãos de imprensa no estado, sendo que alguns tiveram vida curta seja por terem encerrado as atividades ou por terem sido substituídos por periódicos com outra denominação.
Em Leopoldina e municípios vizinhos as folhas mais antigas foram:
1 – O Operário, 19 de maio de 1877 em Além Paraíba;
2 – O Leopoldinense, 1879 em Leopoldina;
3 – O Tentamen, 1882 em Mar de Espanha;
4 – A Folha de Minas, 9 de novembro de 1884 em Cataguases;
5 – O Municipio, 1887 em São João Nepomuceno;
6 – O Guarará, 15 de maio de 1892 em Guarará; e,
7 – Correio da Palma, 29 de maio de 1892 em Palma.
Quando fez a revisão de sua monografia, o autor constatou que, entre estes pioneiros locais, apenas os jornais O Leopoldinense (de Leopoldina), O Guarará (de Guarará) e Correio da Palma (de Palma) continuavam circulando. Os demais deixaram de existir, sendo substituídos por outras folhas. Entretanto, haviam sido criados novos órgãos informativos que são apresentadas pela data de lançamento. Para o município de Leopoldina, foram registrados os seguintes:
1 – O Leopoldinense – 1879
2 – O Princípio da Vida – 1885
3 – O Povo – Campo Limpo, 18 de novembro de 1885
4 – O Passaro – 1886
5 – Estrela de Minas – 29 de julho 1887
6 – A Ideia Nova – 1887
7 – Irradiação – 25 de fevereiro de 1888
8 – Gazeta do Leste – 1890
9 – A Voz Mineira – Na Estação do Recreio, 1890
10 – A Leopoldina – 1892
11 – Voz de Thebas – No arraial desse nome, 1894
12 – A Phalena – 1894
13 – Correio da Leopoldina – 1895
14 – Gazeta da Leopoldina – 1895
15 – Mediador – 1895
16 – Tiradentes – No arraial de Vista Alegre, 1897
Na conclusão do trabalho consta que:
Como se vê, dos 123 municípios do Estado de Minas […] 68 têm imprensa periodica, com 119 orgãos […]
Entre esses municipios contão-se treze que tem orgãos de imprensa nas respectivas sedes e também em simples arraiaes ou povoados.[…]
Registramos o facto porque elle revela que até em localidades pequenas ou de categoria administrativa secundaria, já é a imprensa apreciada como elemento de progresso e indiscutivel necessidade social.
Temos, assim, mais uma fonte de informação para o surgimento da imprensa em Recreio no ano de 1890. Acreditamos, entretanto, que o autor do artigo seja o mesmo Xavier da Veiga que organizou o Efemérides Mineiras, obra na qual nos baseamos em postagens anteriores sobre a imprensa em Recreio.

Pelas folhas de O Verbo

Recreio é um município que, encravado nos “mares de morros” da zona da mata mineira, mais precisamente na Microrregião de Cataguases, tem sua origem ligada à passagem da estrada de ferro Leopoldina, no século XIX. No artigo produzido por Leonardo Ribeiro da Silva, em conclusão de seu curso de pós-graduação, o autor trabalha com a formação do Município em âmbito estrutural no período da primeira administração (1939-1946), descrevendo como os percalços eram imensos e todos os esforços eram realizados em prol de Recreio.

Estas dificuldades serão ultrapassadas com o empenho tanto da sociedade como da administração municipal, que ao lado da imprensa recreiense mostrará que a história de uma terra não se conta só pelas suas belezas, mas também pelos percalços que a fizeram ser bela.

O jornal tem sido objeto de grande valor para as pesquisas históricas, já que diante da precariedade de fontes sobre determinados períodos e do descaso dos poderes em objetivar arquivos públicos, eles constituem os meios para analisar o passado. Em Recreio a imprensa terá muito crédito, pois à frente estarão homens competentes que guardaram seus nomes na história quando se empenharam em traçar, pelas folhas de ‘O Verbo’, a prosperidade do Município, tendo o amor por Recreio como base, a ordem na cidade por princípio e o objetivo do progresso como finalidade.