Linguagem dos Sinos

A última fala da manhã do dia 19de agosto foi de Jairo Braga Machado, sobre esta manifestação cultural da qual São João del Rei é uma das referências. Isto ocorre em função da singularidade que a distingue em relação a outras localidades.Informou que em 2009 o Conselho do Patrimônio do IPHAN esteve na cidade para o registro do Toque dos Sinos como bem cultural imaterial.
O palestrante comentou o conceito de linguagem como sendo um código que determinada parcela de uma comunidade seja capaz de decodificar. Chamou a atenção para o fato de que não bastaria tombar o bem se a comunidade dele não se apropriasse. No caso em pauta, as Irmandades de São João del Rei mantém uma dinâmica extraordinária, representando um dos pilares fundamentais para a preservação não só da Linguagem dos Sinos como das edificações antigas, especialmente das igrejas.
Outro destaque foram os meninos e jovens da cidade que se apropriam dos espaços do fazer cultural da maneira mais digna possível. O que o leva a reafirmar que o tombamento é importante sim, mas se não houver o comprometimento da comunidade, o bem ou a prática cultural estará fadada ao desaparecimento.
Declarando-se preocupado com a preservação, Jairo Machado alertou para a necessidade de envolver os moradores e que se “Tiradentes, o alferes, é um espírito em movimento”, o toque dos sinos em São João del Rei desperta a lembrança de um tempo em que todas as atividades manuais eram exercidas pelos escravos, legando-nos um patrimônio cultural valiosíssimo.
Os atuais moradores de São João del Rei, vivendo numa época em que o aparato tecnológico está ao alcance de todos, não se esquecem do seu passado e se apropriam de instrumentos medievais de comunicação. Quando os sinos são tocados, sabe-se o que está acontecendo. Se foi um homem ou mulher quem morreu, a qual Irmandade pertencia, qual era o grau ocupado dentro da Ordem ou Confraria, e muitas outras informações sobre o fato são depreendidas da linguagem dos sinos.
No prosseguimento, Jairo Machado esclareceu que o tombamento do Registro de um bem imaterial é o instrumento prioritário para garantir-lhe a perpetuação. Investir na manutenção da prática e dos sinos é papel do Estado. E convidou a plateia a refletir: o que é importante no toque dos sinos, o sino ou o sineiro? E ele mesmo respondeu ser o sineiro, acrescentando a vivência dos meninos de São João del Rei, muitas vezes moradores da periferia, que são capazes de responder aos cantos em latim do padre, e sabem explicar ao leigo o que está sendo cantado.
Falou de sua decepção quando, visitando a Torre dos Clérigos, na cidade do Porto, Portugal,observou que os sinos são tocados através de um interruptor, tirando parte da magia da prática. Muito diferente do que ocorre em São João del Rei, onde a comunidade a tem perpetuado pela atuação fundamental do sineiro. Declarou ter catalogado 29 modalidades de toques, como aviso de incêndio,chamada do sacristão, aviso de morte e outras.
Ao encerrar sua participação, foi lembrado, que ao final deste primeiro dia do Encontro a plateia teria oportunidade de assistir ao vídeo produzido por Jairo Machado, sobre a Linguagem dos Sinos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s