Origem dos Povoadores de Leopoldina

Um personagem sempre recorrente na história de Minas, quiçá do Brasil, é o Tropeiro. Escolhemos a descrição de Saint-Hilaire por acreditarmos ser a mais abrangente.

Dá-se o nome de tropeiros aos homens que conduzem as caravanas de burros destinadas a empreender essas viagens e outras semelhantes. As tropas um pouco consideráveis são divididas em lotes de sete animais, e cada um é confiado à guarda de um negro ou mulato que, caminhando na retaguarda dos cargueiros de que está encarregado, os incita e dirige por meio de gritos ou por um assobio bastante brando. Costuma-se carregar cada besta com oito arrobas (cerca de 120 quilos), e para não ferí-los, iguala-se a carga com o maior cuidado. Cada caravana que chega a um rancho aí toma o seu lugar; os animais são logo descarregados; arruma-se as mercadorias com ordem; cada animal recebe sua ração de milho; levam-nos ao pasto; arranjam-se-lhes as albardas, e se desentortam os cravos destinados a ferrá-los. Enquanto isso o mais jovem da tropa vai buscar água e lenha, acende o fogo, arma em redor três bastões que se unem superiormente, amarra-os, e suspende um caldeirão na tripeça, onde põe a cozinhar o feijão preto destinado ao jantar do dia e ao almoço do seguinte. Os tropeiros das diversas caravanas se aproximam uns dos outros, põem-se a conversar, relatam suas viagens e aventuras amorosas, e, às vezes, um deles encanta o trabalho dos vizinhos tocando guitarra e cantando algumas dessas árias brasileiras que tem tanta graça e doçura. Tudo se passa com ordem; raramente discutem, e falam entre si com uma delicadeza desconhecida na Europa entre homens de classe inferior. No dia seguinte, levantam-se bem cedo; dão aos burros nova ração de milho. Deixando o rancho, saúdam os tropeiros que ainda aí ficam; fazem nova caminhada de três a quatro léguas, e chegam a outra estação pelas duas ou três horas da tarde.[1]

Auguste de Saint-Hilaire, cientista francês que viajou pelo interior do Brasil entre 1816 e 1822, deixou-nos preciosas informações sobre o Brasil do início do século XIX. Mário Guimarães Ferri, na introdução do “Segunda Viagem”, nos diz que “seus relatórios de viagens são um manancial riquíssimo de informações. … Sua obra é, com efeito, de valor perene e interessa ao botânico, ao zoólogo, ao geógrafo, ao historiador, ao etnógrafo; interessa, enfim, a todos quantos desejam conhecer algo sobre o Brasil do início do século XIX, de um Brasil que, em geral, já não mais existe.” [2]

Tropeiros na Serra dos Órgãos, por Rugendas, prancha 15 das paisagens em Viagem Pitoresca através do Brasil
Tropeiros na Serra dos Órgãos, por Rugendas, prancha 15 das paisagens em Viagem Pitoresca através do Brasil

De leitura agradabilíssima, os relatos de viagem de Saint-Hilaire nos trazem informações algumas vezes surpreendentes. Um exemplo é a forma como descreve a Inconfidência Mineira no volume dedicado à primeira viagem a Minas. Usando termos como “pretensa conspiração” ele nos indica que ao tempo de sua estada no Brasil o movimento dos mineiros não era visto com as cores negras como nos acostumamos a ler nos livros de história. Aliás, é ainda Saint-Hilaire quem escreve que o Visconde de Barbacena informou ao Vice-Rei, no Rio de Janeiro, sobre o movimento em Minas, pintando-o como “ato de rebelião mais criminoso e terrível” do que na verdade teria sido.

Na época de sua primeira viagem informa o cientista que o governo mineiro isentava por dez anos de impostos aos que se transferissem para as fronteiras da Província. Portanto, este viajante tem muito a nos dizer sobre as Minas daquele início de século, na época em que se intensificaram as migrações em demanda da região hoje conhecida como zona da mata mineira.

Um outro personagem importante para o estudo de nossa região e também mencionado por aquele viajante é o guarda-mor. Algumas vezes temos visto sucederem-se informações sobre dois ou mais personagens, contemporâneos e vivendo na mesma região, a quem um mesmo autor dá o título de Guarda-Mor das Minas e por essa razão tornam-se alvo de contestação de alguns menos estudiosos. Cargo criado em 1679, era inicialmente o administrador a quem competia, entre outras atividades, conceder licença a quem quisesse descobrir minas. Nomeado pelo Administrador Geral ou Provedor das Minas, a este substituía em algumas das inúmeras atividades que lhe eram afetas, especialmente com a intensificação das pesquisas mineirais em terras do Brasil. Ao tempo de sua primeira viagem a Minas, assim se manifestou Saint-Hilaire;

O cargo de guarda-mor geral é hereditário na família de um rico cidadão da Província de São Paulo que mandou abrir à sua custa o caminho do Rio de Janeiro a Vila Rica.

O guarda-mor geral tem o direito privativo de conceder o título de mineração; como, porém, não habita ordinariamente a Província das Minas, seu cargo de reduz a um título, e os guardas-mores substitutos preenchem suas funções. Quando o guarda-mor geral se encontra na capitania, é ele quem nomeia os substitutos; em sua ausência esse direito pertence ao governador. De poucos anos para cá multiplicaram-se extraordinariamente os guarda-mores substitutos, que, na linguagem corrente, se designam simplesmente pelo nome de guarda-mores.[3]

Esclarecemos que o Guarda-Mor Geral citado por Saint-Hilaire era Garcia Rodrigues Paes, filho de Fernão Dias Paes Leme, sobre os quais o viajante inseriu nota no rodapé do texto acima.

A Segunda Viagem de Saint-Hilaire começou a 29 de janeiro de 1822, no Rio de Janeiro. No dia 6 de fevereiro ele entrou em território mineiro. Eis parte de seu relato do dia:

Serve o Rio Preto de fronteira às capitanias do Rio de Janeiro e Minas.

À extremidade de uma ponte fica uma cidadezinha encostada à montanha, composta de uma única rua muito larga e paralela ao rio. Tem a cidade o mesmo nome do rio; depende do distrito de Ibitipoca e só conta uma igreja não colada, servida por um capelão.

As casas de Rio Preto, excetuando-se uma ou duas, são térreas, pequenas, mas possuem um jardinzinho plantado de bananeiras, cuja pitoresca folhagem contribui para o embelezamento da paisagem. [4]

Seis dias depois o cientista estava acomodado em uma granja no “Rancho de Manoel Vieira” e seu relato volta a mencionar características da paisagem. Já tendo passado pela “Serra Negra”, informa que todo o percurso é um subir e descer muito cansativo. Sobre o Rio do Peixe que atravessara “um quarto de légua” antes, diz apenas; “passamos, sobre uma ponte de madeira, o pequeno rio chamado Rio do Peixe e pelo percurso vimos várias fazendas”.

Já no relato de sua primeira viagem o cientista declarou-se impressionado com o que chamou de “misto de desordem e regularidade selvagem”, chamando a atenção sobre as montanhas que se misturam no horizonte e fazem pensar que o rio nasce na elevação posterior à que primeiro se avizinha quando, ao passar posteriormente por ela, constatou que as águas vinham de um ponto bem mais distante. Século e meio depois o grande poeta Carlos Drumond de Andrade nos brindou com suas fortes impressões das montanhas de Minas.

Mais 3 dias da segunda viagem e no dia 15 de fevereiro de 1822 o relato de Saint-Hilaire nos traz informações sobre o acidente geográfico que foi determinante na escolha do local de fixação dos antigos moradores da região – a Serra da Ibitipoca.

A Serra da Ibitipoca não é pico isolado e sim contraforte proeminente de cadeia que atravessei desde o Rio de Janeiro até aqui. Pode ter uma légua de comprimento e apresenta partes mais elevadas, outras menos, vales, penedos, picos e pequenas partes planas. As encostas são raramente muito íngremes. Os pontos altos representam, geralmente, cumes arredondados e os rochedos mostram-se bastante raros. O fundo e barrocas estão geralmente cobertos de arbustos, mas poucos capões se vêem de mato encorpado. Quase toda a montanha está coberta de pastos, sempre excelentes.[5]

No dia 16 de fevereiro de 1822 é a vez de citar a Vila de Ibitipoca que ele mal conhecera na viagem anterior e por isso julgava ser “mais insignificante”.

Fica situada numa colina e se compõe de pequena igreja e meia dúzia de casas que a rodeiam, cuja maioria está abandonada, além de algumas outras, igualmente miseráveis, construídas na encosta de outra colina. Não espanta, pois, que inutilmente haja eu procurado, ontem, nesta pobre aldeia, os gêneros mais necessários à vida. [6]

Nesta ocasião Saint-Hilaire faz comentários sobre o interior de uma casa de fazenda que é semelhante a outras que ele conhecera no Brasil. Informa que na sala existe uma única mesa e um banco e nos quartos as camas são simples armações de madeira. A parada seguinte é Santa Rita de Ibitipoca, mencionada no diário de 17 de fevereiro.

Esta aldeia, situada em agradável posição, na encosta de uma colina, não é senão uma sucursal de Ibitipoca, embora importante. Compõe-se de uma única rua, mas ali se vêem algumas bonitas lojas.[7]

No dia seguinte Saint-Hilaire escreve da Fazenda da Cachoeira, onde pousou após o percurso de 5 léguas desde Santa Rita de Ibitipoca. Esta Fazenda é ponto de análise para quantos se dediquem ao estudo dos povoadores da zona da mata mineira. Mencionada por muitos como tendo sido propriedade desta ou daquela família, acreditamos que no início do século dezenove o nome Fazenda da Cachoeira compreendia inúmeras pequenas propriedades, talvez desmembramentos de uma grande fazenda formada no século anterior. Saint-Hilaire não indica o nome do proprietário, apenas informa que estava em viagem para “buscar algodão no Araxá para levar ao Rio de Janeiro”.

Aqui trouxemos recortes de como foram vistos por Saint-Hilaire as terras onde viviam os povoadores dos Sertões do Leste. Antes de prosseguirmos, transcrevemos mais um trecho da primeira viagem.

O primeiro lugar habitado que se encontra depois do Paraibuna é Rocinha da Negra, onde se vê um rancho e uma venda construídas em um vale à margem de um regato. Pouco mais longe, passa-se diante de uma choça denominada Três Irmãos, e em breve se chega à povoação de Vargem, localizada em um amplo vale rodeado de morros. O nome Vargem, sinônimo da palavra portuguesa várzea, se aplica geralmente a essas espécies de planícies úmidas e rodeadas de elevações que são bastante comuns nas partes montanhosas do Brasil, e diferem um pouco do resto do país pela vegetação.[8]

Em nota do próprio autor ao texto acima ficamos sabendo que ele foi recebido de maneira muito cordial em Vargem e que por isso faz questão de denunciar um outro viajante estrangeiro que teria sido tão bem recebido quanto ele e que, no entanto, depois teria “vilipendiado” o hospedeiro.

Encerramos este capítulo que pretendemos seja esclarecedor quanto à anterior localização dos povoadores de São Sebastião do Feijão Cru, de Bom Jesus do Rio Pardo, de São José do Paraíba, de Madre de Deus do Angu e de Nossa Senhora da Piedade. Localidades que nasceram no alvorecer do século dezenove nas antigas “áreas proibidas” da terra mineira.

1 - SAINT-HILAIRE, Auguste de. Viagem pelas Províncias do Rio de Janeiro e Minas Gerais. Belo Horizonte: Itatiaia, 1975. p. 41

2 - SAINT-HILAIRE, Auguste de. Segunda Viagem do Rio de Janeiro a Minas Gerais e a São Paulo. Belo Horizonte: Itatiaia, 1974. p. 7

3 - Viagem pelas Províncias...(idem nota 1), p. 110

4 - Segunda Viagem...(idem nota 2), p. 24

5 - idem, p. 33

6 - idem, p. 35

7 - idem, p. 36

8 - Viagem pelas Províncias...(idem nota 1), p. 49

Pesquisa em Listas de Passageiros

Uma das etapas da pesquisa sobre imigração em Leopoldina foi a busca dos manifestos de vapores, ou seja, das listas de passageiros dos vapores que trouxeram imigrantes para o Brasil na segunda metade do século XIX. Na época não havia possibilidade de pesquisar tais listagens pela internet, o que nos levou a procurar o Arquivo Nacional, no Rio de Janeiro, bem como ao Arquivo Público Mineiro, em Belo Horizonte.

Imagem de um vapor do século XIXCom o objetivo de colaborar com outros pesquisadores, publicamos diversas listas no site. Entretanto, quando as instituições publicaram esta parte de seus acervos na internet, retiramos o nosso material por ser em volume muito reduzido.

Atualmente, para pesquisar os livros da Hospedaria Horta Barbosa, pertencentes ao acervo do Arquivo Público Mineiro, basta entrar no site e procurar a seção Imigrantes que reúne códices com o registro da chegada de imigrantes em Minas Gerais, entre 1888 e 1901.Para pesquisar no Arquivo Nacional, o roteiro é:

– entre no site
– em Serviços, acesse Consultas ao Acervo
– escolha Banco de dados SIAN
– selecione Multinível – Fundos e coleções do Arquivo Nacional
– em seguida, escolha “pesquisa”. Serão abertas opções de pesquisa.
– escolha Multinível

No lado direito da janela será aberta a lista de documentos “Fundo/Coleção – Nível 1” Role até a parte inferior desta janela e siga para a terceira página. Localize “Divisão de Polícia Marítima, Aérea e de Fronteiras” e clique sobre a seta à esquerda. Em seguida abra “Relação de passageiros em vapores” e acione a seta à esquerda de “Porto do Rio de Janeiro”.

A partir daí virão listagens de todos os vapores já disponibilizados pelo Arquivo Nacional. Escolha o vapor de seu interesse, clicando na lupa à esquerda do nome do vapor. Será aberta uma nova janela. Acione, no canto superior direito, ícone “arquivo digital” A lista de passageiros será aberta em seu navegador, através um arquivo formato pdf (Portable Document Format). Ou seja, você precisa ter o Acrobat Reader em seu computador.

Primeiros casais formados em Piacatuba

Primeiros casamentos realizados na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Piedade, extraídos dos mais antigos livros paroquiais de Piacatuba.

Noivo

Noiva

Data

Alexandre Pinheiro de Farias Firmina Maria de Jesus 23.06.1851
Anselmo Alves Ferreira Angelica Maria de Miranda 29.11.1862
Antonio Anastacia 27.11.1854
Antonio Alves Ferreira Júnior Maria Rita de Jesus 09.04.1864
Antonio Carlos Ferreira Miquelina Florentina de Assis 02.05.1854
Antonio Carlos Ladeira Flavia Honoria da Assumpção 26.07.1854
Antonio de Sá Rocha Maria Rita de Jesus 23.09.1852
Antonio de Sá Rocha Rosa 29.05.1854
Antonio Duarte Ribeiro Manoela Maria de Jesus 11.11.1854
Antonio José da Costa Felisbina Francisca de Jesus 11.04.1864
Antonio José da Silva Joana Lusia de Oliveira 07.02.1855
Antonio Lopes Ferreira Ana Joaquina de Jesus 06.07.1863
Antonio Pernes de Miranda Ana Soares Garcia 29.11.1863
Antonio Romualdo de Oliveira Francisca Carolina de Oliveira 16.10.1854
Antonio Silverio Rabelo Ana Honoria da Conceição 12.07.1863
Baltazar Lopes da Costa Caetana Maria de Jesus 29.06.1851
Benedito Carlota 29.01.1855
Camilo Teresa 21.02.1852
Camilo Rosa 22.02.1852
Carlos José Fernandes Balduina Custodia do Amor Divino 17.02.1855
Cassiano José do Carmo Rita Teresa de Jesus 30.06.1852
Custodio Gonçalves Netto Custodia Francisca de Jesus 15.07.1865
David José Ribeiro Maria Joana de Oliveira 21.01.1852
Dominciano José Nogueira Maria Candida de Jesus 26.05.1852
Domingos Nunes de Moraes Maria Angelica de São José 20.10.1852
Elias Antunes Vieira Teresa Leopoldina de Jesus 05.07.1852
Florencianno Candido de Oliveira Maria Magdalena Gomes da Silva 09.11.1854
Francisco Barbosa da Silva Maria Rita do Espirito Santo 23.04.1854
Francisco da Costa de Souza Maria de Souza de Jesus 02.06.1854
Francisco de Assis Xavier Barbara Rosa Gomes 22.06.1863
Francisco Henriques Pereira Peregrina Maria de America 10.06.1865
Francisco José Barbosa Joana Luzia da Anunciação 15.02.1854
Francisco José da Costa Zeferina Rosa de Jesus 15.02.1854
Francisco Rodrigues de Souza Mariana Luiza de Jesus 18.02.1855
Galdino Antonio Martins de Oliveira Marciana Maria de Jesus 27.05.1865
Ignacio de Oliveira Lucia Florentina de Alves 21.02.1852
Jacinto Muniz de Melo Maria Ignacia de Jesus 04.03.1862
João Coelho Alves Maria Luzia 14.06.1854
João Francisco dos Reis Custodia Maria da Paixão 06.02.1865
Joaquim Ana 26.02.1854
Joaquim Claudio de Oliveira Maria Antonia Rosa de Jesus 11.02.1855
Joaquim José Ferraz Barbara Maria de Mendonça 18.10.1854
Joaquim Pereira do Valle Maria Custodia de Jesus 09.10.1854
José Coelho da Silva Maria Custodia de Jesus 21.08.1852
José da Cunha e Silva Tomazia Fermina de Jesus 28.11.1851
José Ferreira da Silva Maria Francisca de Jesus 24.08.1853
José Ignacio da Silva Francisca Maria de Jesus 25.09.1852
José Joaquim Barbosa Ana Maria de Jesus 14.02.1852
José Laurindo de Souza Maria Joaquina de Jesus 08.07.1865
José Martins Pacheco Rita Maria da Conceição 20.10.1862
José Rodrigues de Oliveira Florentina Maria de Jesus 15.02.1852
José Rodrigues de Souza Antonia Rosa de Jesus 28.02.1865
Lourenço Joaquina 26.02.1854
Manoel Antonio Gomes Mathilde Emerenciana de Jesus 01.05.1865
Manoel da Silva Ramos Ana Carolina de Jesus 26.04.1854
Manoel Joaquim de Souza Venancia da Silva Vieira 05.06.1865
Manoel José Bento Rosa Maria de Jesus 24.04.1854
Manoel José Ferraz Francisca Maria de São José 18.10.1854
Manoel Rodrigues de Souza Ana Maria de Jesus 07.08.1852
Matheus Eva 24.08.1853
Mizael de Araujo Martins Custodia Maria da Luz 29.11.1851
Pedro Maria 09.05.1852
Pedro Sopriana 29.01.1855
Pedro Paula de Almeida Maria Rosa da Gloria 22.08.1852
Quirino Izabel 23.07.1864
Ricardo Sebastiana 28.06.1852
Ricardo José de Moraes Rita Vicencia de Jesus 20.02.1854
Serafim José de Abreu Maria da Silva Vieira 05.06.1865
Severino Germana 15.01.1854
Simpliciano José Teixeira Maria José de Jesus 23.06.1864
Tertuliano Rita 23.11.1851
Tristão de Almeida Pinto Mariana 28.11.1854
Valeriano da Silva Ramos Rita Umbelina do Nascimento 09.09.1854
Venancio Eva 26.02.1854
Vicente Sabina 17.01.1854

Primeiros batismos em Piacatuba – V, W, Z

Crianças batizadas em Piacatuba na segunda metade do século XIX, letras V, W e Z

CRIANÇA PAI MÃE BATISMO
Valentim Generosa 01.03.1868
Valentina José Bernardino Maria Carlota de Jesus 20.08.1875
Valerio Ignez 01.12.1867
Venancia Pedro Ciprianna 19.05.1862
Venancia Jose Joaquina 28.02.1864
Venancio Lourenço Florinda 11.02.1855
Vergelina Roberto Nunes de Sousa Florentina Maria de Jesus 22.05.1870
Vergelino Anacleto Fortunato de Paiva Maria Barbara de Jesus 01.10.1874
Vergilio Nicolao Alves Ferreira Francisca Angelica Ferreira 15.01.1867
Vergilio Carlos José Pinto Ritta Joaquina do Espirito Santo 10.12.1874
Vergilio João Evangelista do Nascimento Cecilia Augusta do Carmo 24.06.1877
Vergilio Antonio José Baptista Maria Rosa do Nascimento 22.05.1879
Verginia Matheus Eva 10.12.1868
Verginia Antonio José de Miranda Verginia Maria de America 20.08.1876
Verginia Manoel Francisco Coelho Esmerlinda Rosa de Jesus 29.04.1878
Vicencia Januaria 12.08.1867
Vicencia Miguel Gajano Maria Luisa d’Ávila 26.02.1871
Vicente Eva 11.04.1852
Vicente Antonia 02.12.1866
Vicente Quintilianno Romana 03.05.1868
Vicente Prudencianno Antonio de Azevedo Maria José de Jesus 14.04.1878
Vicentina Manoel Ferreira Ribeiro Junior Maria Magdalena de Jesus 16.12.1875
Victorina Antonio Maria 09.07.1871
Victorino Vicente Alves Ferreira Francisca 13.09.1856
Victorino Rita 04.03.1862
Vigilato Elias Dornellas da Costa Anna Joaquina da Luz 10.03.1873
Violanta Marcelina 18.03.1855
Virgellina Galdino Alves de Oliveira Marcianna Maria de Jesus 04.11.1866
Virgilio Antonio Mauricio Barbosa Carolina do Carmo Barbosa 07.04.1872
Virginia Claudio Jose Mina Braulina Custodia de Jesus 08.10.1864
Virginia Clementino José Tolledo Barbara Candida de Jesus 16.03.1873
Virginia Antonio Ribeiro de Araujo Joanna Candida de Jesus 06.03.1878
Virginio Lourentino José Dias Maria Ritta de Jesus 05.08.1872
Vitalina Domingos Ferreira de Oliveira Anna Rosa de Sousa 23.05.1869
Vitalina José Govêa Maria Carolina Govêa 25.12.1875
Vitalina José Roiz de Miranda Maria Lina de Jesus 19.05.1878
Washington Jose Maximiano de Moura e Silva Anna Dias Ferraz 24.06.1867
Wenceslau Francisco Miz. Pacheco Ritta Maria Nasareth 30.06.1878
Zacarias Miguel Teixeira Dias Valentina Maria de Jesus 04.05.1854
Zacharias Zacharias Roiz Pires Lusinda Loures 23.06.1878
Zeferia Joaquim Anna 30.08.1856
Zina Delfim Ferreira de Oliveira e S.ª Anna Maria da Conceição 15.06.1873
Zoraida Candido Jose Baptista Gabriella Francisca de Oliveira 12.06.1867
Zoraida Delfim Ferrª de Oliveira Anna Maria da Conceição 29.10.1871
Zoraida Manoel Marianno Themoteo Maria das Dores 30.04.1874
Zoraida Silverio Reginaldo de Carvalho Francisca Aurelianna de Meyrelles 02.11.1874

Este trabalho está sujeito a uma licença de uso: Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 3.0 License.

Primeiros batismos em Piacatuba – T, U

Crianças batizadas em Piacatuba na segunda metade do século XIX: letras T, U

CRIANÇA PAI MÃE BATISMO
Targina Francisco Joaquim Ribeiro Luisa Joaquina Morª 07.08.1871
Teodolino Antonio Lopes Ferreira Anna Joaquina de Jesus 02.12.1866
Teofilo Romualdo Jose da Cunha Elisa Maria de Jesus 05.04.1865
Teophilo Jose Martins Pacheco Rita Maria da Conceição 21.05.1865
Tertulianna Joaquim Antonio Gomes Maria Carlota de Jesus 15.04.1877
Tertulianno Francisco Dias Moreira Marianna Isabel da Conceição 07.06.1874
Theodolino Carlos José Pinto Ritta Joaquina do Espirito Santo 28.01.1872
Theodolino Francisco Poncianno de Oliveira Justinianna Sebastianna de Jesus 03.02.1878
Theodora Joze Vieira da Almeida Balbina Constança d’Almeida 26.09.1855
Theodora Antonio José da Silva Barbara Maria de Jesus 15.07.1878
Theodoro Lucianna 24.11.1867
Theodoro Francisco Marianno da Silva Igilindra Maria da Conceição 01.01.1868
Theodoro Justino Constança 22.11.1868
Theofilo Joaquim Anna 30.11.1862
Theophila Jose Rodrigues de Miranda Minelvinda Laudelina de Oliveira 25.09.1864
Theophilo Manoel Antonio Gomes Mathildes Maria de Jesus 01.12.1867
Theophilo José Barroso Pereira da Silva Anna Marques de Freitas 15.08.1869
Theophilo José Cardoso Ribeiro Ritta Maria de Jesus 26.08.1873
Theophilo Severino João Lopes Delminda Maria de Jesus 27.04.1874
Theophilo Elias Gonsalves Filgueiras Philomena Maria Filgueiras 26.08.1874
Theophilo Bento Marques Pereira Maria Carlota Marques 24.06.1878
Theophilo Bento Marques Pereira Maria Carlota Marques 28.10.1878
Theotonio Theotonio Joaquim de Ar.º Anna Rosa de Lima 03.08.1873
Theresa Manoel José Pinto da Matta Anna Francisca de Jesus 17.02.1855
Theresa João Quiteria 18.05.1862
Theresa Silverio Jose Barbosa Antonia Carolina Dias 31.01.1863
Theresa Domingo Claudina 02.10.1864
Theresa Francisco Martins Pacheco Ritta Maria de Nasareth 10.10.1869
Theresa Antonio Romualdo de Oliveira Francisca Carolina de Oliveira 06.10.1870
Theresa José Moreira do Espirito Santo Anna Maria do Espirito Santo 09.04.1871
Theresa José Felisberto Ferraz Anna Theodora de Jesus 30.07.1871
Theresa Bento Marques Pereira Maria Carlota da Silva 25.12.1870
Thereza João Lucianno de Rezende Felic* 29.05.1853
Thereza Vital Ignacio de Moraes Umbelina Casseana de Jesus 06.08.1855
Thereza Missias Garcia d’Oliveira Joaquina Maria de Jesus 16.12.1855
Thereza Antonio Romualdo d’Oliveira Francisca Carolina d’Oliveira 20.07.1856
Thereza João Ramos Thereza de Jesus 09.02.1862
Thereza Bento Marques Pereira Maria Carlota 12.12.1870
Thiburcio Pedro Cardoso de Vilella Carolina Maria de Jesus 18.11.1866
Thiophilo José Amaro Glz Carolina Soares Barbosa 13.02.1870
Thomasia José Angelo de Souza Guilhermina Roiz Vieira 27.05.1873
Tiburcio Tiburcio José de Mello Julia Maria de Jesus 08.09.1867
Tobias Jose Evangelista do Carmo Maria Theresa Christina do Carmo 01.01.1865
Trajano João Baptista da Silva Antonia Maria Garcia 11.04.1868
Ubaldina José Furtado de Mendonça Maria Thereza Christina 13.10.1873
Umbelina Joaquim Teixeira d’Oliveira Antonia Roza do Espirito Sancto 19.11.1854
Umbelina Antonio da Costa Ferreira Junior Filisbina Florentina de Jesus 06.12.1863
Umbelina Manoel Simões e Siqueira e Mello Ignez Theodora do Nascimento 05.03.1868
Umbelina Maria Francisca de Jesus 24.07.1870
Ursula Bento Gonçalves de Paulo Isabel Maria de Jesus 07.11.1875

Este trabalho está sujeito a uma licença de uso: Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 3.0 License.

Primeiros batismos em Piacatuba – S

Crianças batizadas em Piacatuba na segunda metade do século XIX: letra S

CRIANÇA PAI MÃE BATISMO
Sabina Bertholino Francisco Pereira Felisbina Constança de Jesus 16.08.1869
Sabino Vital Generosa 13.02.1870
Salustianna Joaquim Roiz de Oliveira Anna Severina de Mattos 08.12.1868
Salvino João Francisco Duarte Maria Joaquina do Nascimento 17.11.1872
Satornino Manoel Dias Ferraz Junior Laudelina Rosa Fernandes 30.11.1867
Saturnina Theophilo Herculano Barbosa de Miranda Petronilha Idilha Barbosa 06.01.1878
Sebastianna Pedro Joaquina 02.09.1855
Sebastianna Felisbino Jose Lucianno Rita Maria de Jesus 14.01.1864
Sebastianna José Amaro Gonçalves Carolina Soares Barbosa 16.09.1866
Sebastianna Francisco Martins de Mello Maria Ritta Maria de Jesus 25.10.1867
Sebastianna José Basilia 21.06.1868
Sebastianna Martinha 06.02.1870
Sebastianna Manoel Pedro da Costa Maria Victoria de Jesus 14.09.1873
Sebastianna Francisco da Costa e Silva Ritta Julia de Jesus 29.09.1873
Sebastianna Galdino Miz. de Oliveira Marianna Maria de Jesus 20.06.1875
Sebastianna José Joaquim Carneiro Marianna Francisca de Jesus 30.11.1875
Sebastianna Manoel Alexandre de Aguiar Maria Felicidade Perpetua 05.09.1876
Sebastianno João Francisco Duarte Junior Maria Joaquina do Nascimento 06.05.1871
Sebastianno Francisco Roiz Pires Maria Camilla de Jesus 18.06.1874
Sebastião Antonio Rodrigues da Silva Matildes 07.09.1851
Sebastião Cesilia 19.02.1854
Sebastião Lusia 14.02.1864
Sebastião Belisario Carolina 08.12.1866
Sebastião Marcos Clementina 02.02.1871
Sebastião Amaro Geralda 22.02.1871
Sebastião Roberto de Szª Almada Mª Brigida de Szª 30.01.1872
Sebastião Francisco da Costa e Silva Ritta Francisca Julia 30.05.1877
Sebastião Valerianno Alves Fernando da Silva Anna Maria do Espirito Santo 16.02.1878
Sebastião Thomaz da Silva Barros Prescellianna Maria de Barros 22.07.1878
Sebastião Joaquim Francisco Coelho Maria Florinda de Jesus 07.02.1879
Sebastião Antonio Vicente de Almeida Antonia Margarida de Jesus 13.07.1879
Sebastião Joaquim Severino Alz Maria José de Jesus 10.06.1871
Selestrino Justino José de Souza Flauzina Estevã de Jesus 09.12.1878
Senhorinha Paulino Izabel 11.06.1865
Senhorinha José Francisco da Silva Olyvia Alves Pereira da Silva 19.07.1878
Serafim Domingos Antonio dos Santos Balbina Maria de Jesus 16.09.1871
Serafina Amaro Geralda 10.10.1869
Sergio Caethana 07.10.1866
Sergio Carolina 09.09.1868
Severina Venancio Eva 25.06.1855
Severina Antonia Candida de Jesus 06.07.1855
Severino Rita 06.01.1865
Silveira Amaro Geralda 06.12.1863
Silverio Lourenço Catharina 20.07.1856
Silverio Antonio de Souza Almada Emilia Candida de Jesus 29.04.1875
Silvestre Adão Antonio Paxeco Antonia Luiza da Conceição 30.11.1867
Silvino Manoel Avila da Rosa Anna Luiza da Rosa 17.11.1881
Simeão Maria Claudino 21.05.1865
Simplicianno João Custodia 05.04.1869
Simplicio Fortunata 15.04.1866
Sophia Amedée Rousseau Maria Rosa de Jesus 19.05.1862
Sophia José Roiz Maia Maria Candida da Silveira 30.11.1874
Stanislao Romão Maria 19.05.1867

Este trabalho está sujeito a uma licença de uso: Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 3.0 License.

Primeiros batismos em Piacatuba – R

Crianças batizadas em Piacatuba na segunda metade do século XIX: letra R

CRIANÇA PAI MÃE BATISMO
Rachel Francisco Luiza 06.02.1856
Rachel Ignacia 19.01.1862
Rachel Balbina Maria da Conceição 24.02.1875
Rachel José Luiz Pereira Francisca Rosa de Jesus 16.12.1877
Radozina Bertholino Fraancisco Pereira Felisbina Constancia de Jesus 12.02.1868
Rafael Benedicto Severina 26.07.1863
Ramiro Jose Joaquim Ferreira de Castro Ritta Maria da Conceição 24.01.1870
Ramiro Elisa 06.01.1871
Ramiro Antonio Sebastião das Chagas Anna Maria de Jesus 28.04.1872
Randolpho …………….. 05.04.1868
Randolpho Antonio Ferreira Lages Joaquina Margarida de Jesus 06.01.1871
Randolpho José Ferreira de Resende Rosinda Maria de S. José 17.02.1878
Raphael Lucas Maria 10.11.1868
Regina Candido José Baptista Gabriella Francellina de Oliveira 18.10.1871
Regina Paulino Guilherme de Oliveira C—- de Oliveira 25.03.1874
Regina Manoel Joaquim de Mello Hyppolita Vendelina da ——– 15.01.1878
Reinaldo exposto 11.08.1872
Reinaldo Manoel Ferraz Constancia Maria de Jesus 25.05.1873
Ricardina Maria Custodia da Conceição 29.03.1872
Ricardina Germano Dutra Nicacio Maria Martins Dutra 16.07.1876
Ricardina Antonio Alves Ferreira Junior Maria Ritta de Jesus 01.11.1878
Ricardo Manoel Antonio Gonsalves Mathilde Florencia de Jesus 22.08.1869
Ricardo Manoel Anna 03.05.1871
Ricardo Joaquim Severino Alz Maria José de Jesus 15.06.1876
Rita João Ramos Thereza Maria de Jezus 26.10.1851
Rita José Teixeira Dias Maria Francisca de Jezus 11.01.1852
Rita Francisco Amaro Francisca Maria de Jezus 30.05.1852
Rita Manoel Pinto de Farias Joaquina Maria de Jesus 24.07.1852
Rita Maria India 20.04.1854
Rita Manoel José d’Oliveira Justina Maria de Jesus 25.06.1854
Rita Francisco Peixoto Francisca Maria de Jesus 16.07.1854
Rita Felisberto Antonio d’Oliveira Vicencia Maria de Jesus 30.07.1854
Rita Antonio da Costa Ferreira Junior Felisbina Florentina de Jesus 08.10.1854
Rita João Ignacio da Costa Maria Joaquina d’Assumpção 17.12.1854
Rita José Joaquim da Silva Maria Florinda de Jesus 24.05.1855
Rita Jose de Souza Fernandes Luzia Maria de Jesus 10.08.1855
Rita Geraldo Antonio Roiz Anna Carolina d’Oliveira 19.08.1855
Rita Joze Martinha 02.09.1855
Rita Joaquim Francisco Pires Maria Antonia de Jesus 28.10.1855
Rita Joze Amaro Gonçalves Luisa Maria de Jesus 23.03.1856
Rita Vicente Sabina 23.03.1856
Rita Sebastiana 30.03.1856
Rita Joze da Silveira Bitancor Maria Rita de Jesus 29.06.1856
Rita Antonio Joaquina 07.07.1856
Rita Pedro de Lemos da Silva Rita Maria da Luz 25.05.1862
Rita Francisco Miguel da Silva Francisca Maria de Jesus 14.08.1864
Rita Lauria 27.08.1864
Rita Francisco Lopes do Espirito Santo Maria Custodia de Jesus 30.04.1865
Rita Maria 15.03.1866
Ritta Joaquim Antonio Correa Constança Claudina de Paula 22.02.1866
Ritta Mathias Joanna 30.09.1866
Ritta Manoel Ribeiro Dias Maria Joaquina de Jesus 03.04.1867
Ritta Francisco Honorio Gomes da Silva Marianna Isabel de S. José 17.06.1868
Ritta Vital Genoveva 28.02.1868
Ritta Joaquim Lopes de Serqueira Maria Francisca 12.07.1868
Ritta Ricardo Nunes de Sousa Ritta Maria de Jesus 25.12.1868
Ritta José Maria da Silva Anna Rosa de Jesus 09.06.1869
Ritta Luiz Avz. Bem Anna Isabel da Conceição 13.03.1870
Ritta José Pereira de Calaes Maria Venancia de Jesus 18.05.1871
Ritta José Antonio de Oliveira Maria Theresa do Carmo 30.07.1871
Ritta Christino Candido de Souza Maria Ritta de Jesus 07.04.1872
Ritta Custodio José de Souza Maria Joanna de Jesus 21.07.1872
Ritta Maria Custodia de Jesus 18.07.1873
Ritta Vicente Pereira da Cruz Rosa Francisca de Jesus 29.11.1874
Ritta Germano Dutra Nicacio Maria Miz. Dutra 28.07.1878
Ritta João Francisco Coelho Jacintha Maria de Jesus 01.02.1879
Ritta Manoel Antonio da Rocha Marianna Esmeria de S. José 10.05.1879
Roberto Jose Francisco de Paiva Campos Maria Rita de Jesus 28.02.1864
Roberto Manoel de Souza Almada Justina Maria de Souza 17.06.1871
Roberto Lourenço José da Silva Felisbina Francisca de Jesus 06.10.1872
Roberto Francisco Esmerio de Paiva Campos Francisca Albina Campos 07.03.1874
Rofino Vicente Dorothéa 27.10.1867
Rogerio Bertolino Francisco Pereira Felisbina Candida de Jesus 29.12.1863
Romualdo Francisco Paulista Rita 30.04.1854
Roque Nicoláo Felizarda 20.10.1867
Rosa Camilo Tereza 26.07.1863
Rosa Januario Magdalena 02.04.1865
Rosa Jose Ritta 24.03.1867
Rosa Nicoláo Felizarda 20.10.1867
Rosa Domingos Ferreira de Oliveira Anna Roza de Souza 18.06.1871
Rosa Antonio Francisco de Souza Maria da Gloria da Conceição 08.12.1874
Rosa Joaquim Roiz Rosa Anna Marcellina Dutra 26.11.1875
Rosa Valerianno —dida 21.03.1870
Rosalina Florentino Jose Dias Maria Francisca de Jesus 04.03.1866
Rosalina Antonio Ferr. Lages Joaquina Angelica de Jesus 20.09.1868
Rosalina Cassianno José do Carmo Olinda Marfisa de Moraes 16.01.1870
Rosalina José Baptista de Oliveira Maria José de Jesus 25.10.1871
Rosalina José Martins Dutra Belmira Alves Ferreira 14.09.1873
Rozalina Manoel Simoes de Cirqueira e Mello Ignez de …. 22.04.1866
Rozalina Lourentino José Martins Maria Francisca de Jesus 18.04.1870
Rozalina Francisco Thomaz de Oliveira ———– de Jesus 10.07.1870
Rozenda Teotonio Ferreira de Sousa Virgilina do Amor Divino 14.11.1863
CRIANÇA PAI MÃE BATISMO

Este trabalho está sujeito a uma licença de uso: Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 3.0 License.