Vista Alegre: 130 anos da criação de um distrito de paz em Leopoldina

Conforme já citado neste espaço, a Estação Vista Alegre, da Estrada de Ferro Leopoldina, foi construída em área que pertencera à Fazenda Santana dos Miranda, na margem direita do rio Pomba, município de Leopoldina. Foi inaugurada em julho de 1877. Seis anos depois, em outubro de 1883 foi criado um distrito policial no povoado então … Continuar a ler Vista Alegre: 130 anos da criação de um distrito de paz em Leopoldina

157 – A Barca do Miranda e o distrito Vista Alegre

É difícil escrever sobre Vista Alegre sem que venha à lembrança a música de Serginho do Rock[1] com seu inspirado refrão: “se você está triste? Vista… Alegre!…” E, sem lembrar a ponte de metal, de onde o cantor sugere que se aprecie o visual. O distrito de Vista Alegre Como pode deduzir o leitor, a … Continuar a ler 157 – A Barca do Miranda e o distrito Vista Alegre

162 – O patrimônio de Santo Antonio do Monte Alegre

Continuando a viagem, o Trem de História chega ao povoado que deu origem ao atual distrito de Tebas, para contar o que ocorreu na sua formação. No início o nome do arraial era Santo Antonio do Monte Alegre, em homenagem à fazenda que lhe cedeu terras para formar o patrimônio. O patrimônio de Santo Antônio … Continuar a ler 162 – O patrimônio de Santo Antonio do Monte Alegre

Nossa Senhora das Dores do Monte Alegre do Rio Pomba

Segundo Joaquim Ribeiro Costa, Itapiruçu significa “a grande pedra elevada ou empinada”, resultado da aglutinação de “itá-apira”, ou pedra empinada e “açu”, grande. O “distrito policial de Tapirussú” conforme consta em sua lei de criação pertencia ao município de Leopoldina e permaneceria com as “actuaes divisas”. Ou seja, em 1883 já existia um povoado com … Continuar a ler Nossa Senhora das Dores do Monte Alegre do Rio Pomba

São Sebastião da Cachoeira Alegre

Freguesia de 1887, pertencente à Paróquia de São Paulo de Muriaé, São Sebastião da Cachoeira Alegre ocupava grande extensão territorial, com 470 fazendas e 4.000 habitantes na década de 1870. No seu extremo sul apareceu, ao final dos anos de 1880, o povoado de Bom Jesus da Cachoeira Alegre com metade da extensão territorial e … Continuar a ler São Sebastião da Cachoeira Alegre

158 – Fazendas na área do atual distrito da Cidade

Nesta série de textos sobre os Pioneiros de Leopoldina, o Trem de História vem carregando seus vagões com o que conseguiu apurar sobre as mais antigas propriedades do município. Depois de abordar os antecedentes da ocupação do território, falar um pouco sobre as sesmarias, as unidades de medida e os instrumentos de demarcação das propriedades, … Continuar a ler 158 – Fazendas na área do atual distrito da Cidade

156 – Fazenda Santana do Rio Pomba e a família Miranda

  O Trem de História começa, agora, uma longa viagem para transportar informações sobre as mais antigas fazendas de Leopoldina. E escolheu como primeira uma propriedade pouco comentada na história tradicional, a fazenda Santana do Rio Pomba, também conhecida como fazenda Santana dos Miranda. A história desta fazenda está intimamente ligada à do atual distrito de Vista … Continuar a ler 156 – Fazenda Santana do Rio Pomba e a família Miranda

136 – Imigrantes e a Hospedaria Jacareacanga

  Na última edição o Trem de História se referiu ao engenheiro Eugenio Jordan como contratante de imigrantes na hospedaria de Juiz de Fora, informando como destino a localidade de Vista Alegre, no município de Leopoldina. Este engenheiro, em 1896, recebeu ordem do presidente da província tratar da construção de um ramal férreo entre a … Continuar a ler 136 – Imigrantes e a Hospedaria Jacareacanga

135 – Hospedaria Jacareacanga

O Trem de História já citou uma hospedaria que permanece meio encoberta pela poeira do descaso. É a Hospedaria Jacareacanga, que parece ter funcionado às margens do ribeirão que lhe empresta o nome, nas proximidades da estação ferroviária de Vista Alegre. Para ela foram encaminhados imigrantes que se destinavam a Leopoldina.  Mas antes de tratar … Continuar a ler 135 – Hospedaria Jacareacanga

134 – O Ribeirão Jacareacanga

Em oportunidade anterior, quando se tratou do Ribeirão do Feijão Cru, foi dito que ali não se ocupava tempo e paciência de eventual leitor por ser um grande curso d’água ou, um curso de águas límpidas. Ocupava-se porque ele emprestou o seu nome ao povoado que deu origem à cidade e porque a sua bacia … Continuar a ler 134 – O Ribeirão Jacareacanga