Vista Alegre: 130 anos da criação de um distrito de paz em Leopoldina

Conforme já citado neste espaço, a Estação Vista Alegre, da Estrada de Ferro Leopoldina, foi construída em área que pertencera à Fazenda Santana dos Miranda, na margem direita do rio Pomba, município de Leopoldina. Foi inaugurada em julho de 1877. Seis anos depois, em outubro de 1883 foi criado um distrito policial no povoado então … Continuar a ler Vista Alegre: 130 anos da criação de um distrito de paz em Leopoldina

157 – A Barca do Miranda e o distrito Vista Alegre

É difícil escrever sobre Vista Alegre sem que venha à lembrança a música de Serginho do Rock[1] com seu inspirado refrão: “se você está triste? Vista… Alegre!…” E, sem lembrar a ponte de metal, de onde o cantor sugere que se aprecie o visual. Sacudindo estas lembranças e a saudade da Estação de onde partia … Continuar a ler 157 – A Barca do Miranda e o distrito Vista Alegre

184 – Fazenda Boa Vista dos Barbosas

Denominada inicialmente Fazenda Boa Vista, a pesquisa sobre esta propriedade apresentou dificuldades a partir do próprio nome. Enquanto nos registros de terras de 1856 constam três propriedades com o mesmo nome no território da então Vila Leopoldina, nos processos de divisão de propriedades e partilha de bens inventariados, entre 1847 e 1901 foram encontradas treze … Continuar a ler 184 – Fazenda Boa Vista dos Barbosas

162 – O patrimônio de Santo Antonio do Monte Alegre

Continuando a viagem, o Trem de História chega ao povoado que deu origem ao atual distrito de Tebas, para contar o que ocorreu na sua formação. No início o nome do arraial era Santo Antonio do Monte Alegre, em homenagem à fazenda que lhe cedeu terras para formar o patrimônio. O patrimônio de Santo Antônio … Continuar a ler 162 – O patrimônio de Santo Antonio do Monte Alegre

Nossa Senhora das Dores do Monte Alegre do Rio Pomba

Segundo Joaquim Ribeiro Costa, Itapiruçu significa “a grande pedra elevada ou empinada”, resultado da aglutinação de “itá-apira”, ou pedra empinada e “açu”, grande. O “distrito policial de Tapirussú” conforme consta em sua lei de criação pertencia ao município de Leopoldina e permaneceria com as “actuaes divisas”. Ou seja, em 1883 já existia um povoado com … Continuar a ler Nossa Senhora das Dores do Monte Alegre do Rio Pomba

São Sebastião da Cachoeira Alegre

Freguesia de 1887, pertencente à Paróquia de São Paulo de Muriaé, São Sebastião da Cachoeira Alegre ocupava grande extensão territorial, com 470 fazendas e 4.000 habitantes na década de 1870. No seu extremo sul apareceu, ao final dos anos de 1880, o povoado de Bom Jesus da Cachoeira Alegre com metade da extensão territorial e … Continuar a ler São Sebastião da Cachoeira Alegre

183 – Famílias de Manoel Ferreira Brito e Antônio Luiz de Moraes

Hoje o Trem de História aborda as famílias de Manoel Ferreira Brito e Antônio Luiz de Moraes, que viveram na fazenda São Manoel da Bocaina. Manoel era filho de José Ferreira Brito e Maria João Rodrigues. Casou-se[i] na matriz de Bom Jardim de Minas no primeiro dia de junho de 1813 com Maria Josefa da … Continuar a ler 183 – Famílias de Manoel Ferreira Brito e Antônio Luiz de Moraes

173 – Fazendas Santa Cruz e Natividade

A viagem de hoje do Trem de História tem como destino uma fazenda formada em 265 alqueires registrados[1] por José Tomaz de Aquino Cabral, seu filho Carlos Augusto de Aquino Cabral e seu genro Sebastião Gomes Teixeira Jalles. E cujos confrontantes eram João Gualberto Ferreira Brito (fazenda Fortaleza), Antonio Rodrigues Gomes (Águas Vertentes), José Ferreira … Continuar a ler 173 – Fazendas Santa Cruz e Natividade

172 – O vizinho Antonio Carlos da Silva Teles Faião e a divisão das grandes propriedades

O Trem de História traz hoje um dos vizinhos do pioneiro Antonio Rodrigues Gomes. E dá início a sua história informando que, embora só tenha chegado por aqui quando o Sertão do Feijão Cru já contava com um arraial e a matriz de São Sebastião, Antonio Carlos da Silva Teles Faião situa-se entre os pioneiros … Continuar a ler 172 – O vizinho Antonio Carlos da Silva Teles Faião e a divisão das grandes propriedades

170 – Bento Rodrigues Gomes

O Trem de História de hoje fecha o ciclo dos dois irmãos pioneiros de Leopoldina trazendo Bento Rodrigues Gomes. Bento casou-se aos 13 de julho de 1813, em Bom Jardim de Minas, com Ângela Joaquina de Jesus, filha do pioneiro Joaquim Ferreira Brito e de Catarina Esméria de Sene. Em seu testamento [1], Bento declarou … Continuar a ler 170 – Bento Rodrigues Gomes