MACHADO: um grupo em estudo.

Esta é mais uma das atualizações de nossos antigos Cadernos de Família, divulgados entre os anos 70 e 90. Vamos separar cada um dos personagens para tornar menos longa a exposição.

ANTONIO JOSÉ MACHADO

     É um dos personagens mais complexos de meus estudos. Reputamos como bastante difícil estudar os Machados por causa da homonímia. Dos livros paroquiais de Leopoldina relativos ao século XIX, recolhemos 8 personagens com o nome de Antonio Machado, 13 chamados Antonio José Machado e 6 cujo nome anotado foi José Antonio Machado. Ainda assim foi preciso listar todos os batismos e ordená-los pelo nome das mães, estudar individualmente cada uma delas para reduzir ao número aqui mencionado. Porque um mesmo personagem aparece como Antonio no batismo de um filho, como Antonio José no de outro e como José Antonio num terceiro batismo. Considerando que algumas mães são também homônimas, o estudo das famílias dos cônjuges foi indispensável.

     A segunda etapa foi comparar os assentos de batismo com os de casamentos deles próprios e de filhos. O método utilizado foi o mesmo e surgiu um complicador: alguns usuários do sobrenome aparecem com o acréscimo do "Dias" nos registros posteriores a 1880. Acreditamos que a homonímia tenha sido, mais uma vez, a causa da adoção de um outro sobrenome. Observe-se que não encontramos, até o momento, justificativa para a escolha do "Dias" como diferencial.

     De forma alguma podemos dar nossa opinião por definitiva. Novos documentos poderão surgir para esclarecer uma série de dúvidas que ainda restam sobre os Machados. Como temos repetido sempre, a falta de cuidado com a preservação da memória permitiu que muitos documentos tomassem destino ignorado, quase impossibilitando nossas pesquisas.

     Para justificar a escolha que fizemos, informamos que decidimos adotar a composição de nome mais incidente para cada personagem. No caso em questão, a primeira vez que encontramos o sobrenome Dias foi em janeiro de 1887, no batismo do filho Pedro. Em registros posteriores tal sobrenome volta a desaparecer. Como exemplo citamos o casamento do filho Cristino, em 1903.

     Antonio José Machado é como o nome aparece nos batismos de Maria, João, Umbelina, Horácio, Antonia e Laura, filhos de seu casamento com Luiza Maria de Jesus, bem como em seu casamento com Júlia Rosa de Jesus. É também como o nome foi anotado no batismo de Maria, filha de seu primeiro casamento com Custódia Maria de Jesus.

     É possível que a adoção do novo sobrenome tenha influência de autoridades civis. Nos alistamentos eleitorais pesquisados, relativos ao final do século XIX, o sobrenome aparece em quase todos os registros, apenas com variação dos dois nomes. Ou seja, algumas vezes temos Antonio José Machado Dias e em outras encontramos José Antonio Machado Dias. Em pesquisas realizadas na 1ª Secretaria do Forum de Leopoldina observa-se a mesma variação.

     Este é o principal motivo para não darmos por definitiva a formação deste grupo familiar. Temos diversos outros personagens aguardando o encontro de outros documentos que nos permitam incluí-los ou não neste grupo. Acreditamos que o estudo da família Machado em Leopoldina, e especialmente da família deste Antonio José Machado, ainda sofrerá inúmeras alterações. Lembramos ainda que alguns descendentes acrescentaram Neto ao sobrenome e, uma ou duas gerações depois, a supressão do Machado vem confundi-los com outra família tradicional de Leopoldina: Os Neto.

 

 ANTEPASSADOS DE ANTONIO JOSÉ MACHADO

     Filho de José Bernardino Machado e Maria Antonia do Nascimento nasceu em terras do Rio Pardo, hoje município de Argirita. Seu pai faleceu a 27 de Setembro de 1886 em Leopoldina e sua mãe faleceu entre 1886 e novembro de 1893.

     José Bernardino não declarou, em 1856, de quem comprou as terras que divisavam com Albina Joaquina de Lacerda, Antonio José Monteiro de Barros, Joaquim Ferreira Brito, Manoel Antonio de Almeida, João Antonio Ribeiro e José Rodrigues Carneiro e Souza. Sabemos apenas que totalizavam 70 alqueires por ocasião do Registro.

     Um outro filho de José Bernardino ligado à história de Leopoldina foi José Bernardino Machado Filho, falecido a 25 de Maio de 1884 em Leopoldina, deixando viúva Ana Rosa de Jesus.

 

     Na geração seguinte vamos encontrar os avós paternos de Antonio José como moradores de Santa Rita de Ibitipoca. Foram eles:  Bernardino José Machado, batizado em 1786 em  Santa Rita do Ibitipoca, casado com Maria Ribeiro de Almeida, também batizada em Santa Rita de Ibitipoca em 1787.

     A avó paterna ainda está a merecer maiores estudos, uma vez que no livro Genealogia dos Machados e Fonsecas, de Raimundo da Fonseca, encontramos informações bastante divergentes de nossas pesquisas em relação aos nascimentos de filhos e netos. Este casal foi também pai de:

- Maria Cândida de Jesus casada com José Lopes da Rocha, ele falecido a 3 de Setembro de 1903 em Leopoldina;

- Ana Rita de Almeida, casada com Manoel Lopes da Rocha, ele falecido a 17 de Abril de 1913 em Leopoldina;

- Antonio Bernardino Machado, casado com Joaquina, também moradores de Leopoldina;

- Severino José Machado, batizado a 1 de Setembro de 1822 em Santa Rita de Ibitipoca, personagem objeto de outro de nossos estudos;

- Joaquim José Machado, casado com Maria da Glória Pereira, nascida a  14 de Julho de 1868 em Leopoldina;

- Manoel Bernardino Machado, também personagem de outro estudo.

 

     Bernardino José era filho de Antonio José Machado e Izabel Correia de Moraes, casal muito bem estudado por Raimundo da Fonseca em Genealogia dos Machados e Fonsecas. Os ancestrais de Bernardino fazem parte de diversos de nossos estudos em virtude de se ligarem aos Almeida Ramos, povoadores de Leopoldina.

 

DESCENDENTES DE ANTONIO JOSÉ MACHADO

 

     Casou-se provavelmente em Bom Jesus do Rio Pardo com CUSTÓDIA MARIA DE JESUS, com quem teve um filho homônimo por volta de 1858. Em terras do antigo distrito da Piedade nasceu sua segunda filha, batizada a 25 de Março de 1860 com o nome Maria.

     A 24 de Dezembro de 1862 nasceu a primeira filha do segundo casamento com LUIZA MARIA DE JESUS. Deste casamento foram filhos também: João Machado Dias (1865), Umbelina (1867), Firmino Machado Dias (1873), Horácio Machado Dias (1879), Antonia Maria de Jesus (1872), Cristiano Machado Dias (1883, Laura Maria de Jesus (1884) e Pedro Machado Dias (1886)

     Casou-se pela terceira vez a 18 de Novembro de 1893, em Piacatuba, com JÚLIA ROSA DE JESUS, filha de JOAQUIM ALVES PEREIRA e RITA MARIA DE JESUS E SOUZA. Oficialmente consta que Júlia Rosa era natural de Cataguases. No entanto a análise de documentos de suas irmãs nos levou a concluir que seus pais residiam em terras no distrito de Piacatuba desde a época do seu nascimento. Na Igreja de Nossa Senhora da Piedade foi batizada sua irmã Belmira a 27 de Abril de 1872. Amélia, a outra irmã, casou-se também em Piacatuba a 26 de Julho de 1894, tendo declarado nascimento naquele distrito.

     Do terceiro casamento encontramos apenas um filho, Júlio, nascido em 1896.

     Entre os filhos de Antonio José Machado Dias encontramos descendência para os abaixo discriminados.

1 - JOSÉ ANTONIO MACHADO nasceu em Piacatuba por volta de 1858 e casou-se com VIRGINIA PEREIRA DE ALMEIDA a 23 de Junho de 1880. Ela nasceu a 7 de Março de 1866 em Leopoldina, filha de ANTONIO AMANCIO PEREIRA e  MARIA JOSÉ DE ALMEIDA.

Foram pais de:

- ANTONIO, nascido a 8 de Abril de 1882, batizado a 4 de Junho do mesmo ano;

- CUSTÓDIA, nascida a 4 de Setembro de 1883, batizada a 22 Janeiro de 1884;

- MARIA, nascida a 29 de Dezembro de 1885, batizada a 25 de Janeiro de 1886;

- ERNESTINA, nascida a 15 de Agosto de 1887, batizada a 27 de Dezembro do mesmo ano;

- ERNESTO, nascido a 19 de Novembro de 1893, batizado a 2 Junho de 1894.

 

2 - JOÃO MACHADO DIAS, nascido a 17 de Maio de 1865, batizado a 11 de Junho do mesmo ano, casou-se com AMÉLIA VALENTINA. Uma de suas filhas, de nome Maria da Conceição, casou-se com descente dos Gomes da Fonseca de Conceição da Ibitipoca.

 

3 - HORÁCIO MACHADO DIAS nasceu a 21 de Novembro de 1879, foi batizado a 8 de Fevereiro de 1880, casou-se com EDWIGES CRISTINA DE CASTRO a  26 de Maio de 1900 em Piacatuba. Ela era filha de ANTONIO PINTO DE CARVALHO e MARIA CRISTINA DE CASTRO, família com origem em Formiga, onde em 1886 corria o inventário de Maria Guilhermina de Carvalho, mãe de Antonio. Este casal teve pelo menos dois filhos casados também com descendentes dos Gomes da Fonseca de Conceição da Ibitipoca.

 

4 - ANTONIA MARIA DE JESUS nasceu a 23 de Junho de 1882 em Piacatuba, onde foi batizada a 19 de Agosto do mesmo ano. Casou-se também em Piacatuba com FIRMINO CARLOS DE OLIVEIRA, a 12 de Março de 1898. Ele era filho de JOSÉ VITAL DE MORAES e UMBELINA CASSIANO DO CARMO, nascido a 14 de Agosto de 1864 em Piacatuba. Firmino faz parte de outro de nossos estudos, além de ter tido a família estudada por José Luiz Machado Rodrigues, cujo livro será publicado brevemente.

 

5 - CRISTINO MACHADO DIAS casou-se a primeira vez com DALVINA PIRES DE OLIVEIRA a 17 de Maio de 1903 em Piacatuba. Ela era filha de JOÃO CAMILO PIRES DE OLIVEIRA e HONORATA HIGINA. Casou-se a segunda vez com MARIA DA CONCEIÇÃO CABRAL, com quem teve o filho José, nascido em Piacatuba a 3 de Março de 1916 em Piacatuba.

     Do primeiro casamento de Cristino localizamos os filhos;

- ESTER, nascida por volta de 1904 em Piacatuba;

- JOÃO, nascido a 16 de Dezembro de 1908, e batizado em Piacatuba a 8 de Agosto de 1909;

- MARIA, nascida a 10 de Abril de 1911 e batizada a 17 de Julho do mesmo ano em Piacatuba.

 

6 - LAURA MARIA DE JESUS nasceu a 24 de Junho de 1884 em Leopoldina. Casou-se com FRANKLIN FURTADO DE OLIVEIRA com quem teve, pelo menos, os seguintes filhos:

- MARIA LUIZA FURTADO DE OLIVEIRA, casada com descendente dos Gomes da Fonseca já mencionados;

- ARTHURINA, nascida a 14 de Fevereiro de 1900, em Piacatuba;

- OZIETA FURTADO DE OLIVEIRA, casada com FRANCISCO PEREIRA MACHADO, família que também estará no livro de José Luiz Machado Rodrigues.

 

7 - PEDRO MACHADO DIAS nasceu a 14 de Novembro de 1886 em Leopoldina e casou-se com MARIA MATOS, filha de SIMPLICIANO GARCIA DE MATOS e TEREZA CAROLINA DE ALMEIDA.  Ela faz parte dos estudos sobre as famílias Almeida Ramos e Garcia de Matos.

 

A geração seguinte já faz parte dos habitantes de Leopoldina do século XX, período não abrangido por nossos estudos. Alguns deles estão presentes em um trabalho que estamos realizando para ser publicado por ocasião do aniversário de uma grande amiga.

 

Fontes utilizadas neste trabalho:

- Mapa da População do Feijão Cru, 1838 e 1843

- Igreja de Bom Jesus do Rio Pardo, Argirita - livros de batismos e casamentos de 1839 a 1901

- Igreja Matriz de Nossas Senhora da Piedade, Piacatuba, Leopoldina, livros de batismos, casamentos e óbitos de 1851 a 1920.

- Paróquia de São Sebastião de Leopoldina, livros de batismos e casamentos de 1852 a 1920

- Igreja de Santo Antonio de Tebas - livro 1 de batismos

- Registro de Terras de Leopoldina, 1856

- 1ª Secretaria do Forum de Leopoldina, processos relativos ao século XIX

- Cartório de Registro Civil de Piacatuba, livros 1 e 2 de nascimentos, 1 e 2 de casamentos

- Cartório de Registro Civil de Leopoldina, MG, livros 1 e 2 de nascimento e 1 de casamentos

- Arquivo da Prefeitura Municipal de Leopoldina - Livros 1 e 2 do Cemitério e livros da Câmara Municipal do Império

- Alistamento Eleitoral de Leopoldina, 1892 a 1895

 

Para a publicação deste trabalho na internet contamos com a colaboração de José Luiz Machado Rodrigues que nos forneceu informações esclarecedoras sobre diversos pontos obscuros deixados em aberto em nossos Cadernos de Família.

 

Entre em Contacto