OS PARDAL EM LEOPOLDINA

Na primeira fase do projeto Resgate da Memória da Colônia Agrícola da Constança foram localizados os sobrenomes Pardal e Pradal em diversos documentos arquivados em Leopoldina. Comparando-os com os Relatórios da Colônia disponíveis no Arquivo Público Mineiro, concluiu-se que poderia ter havido algum engano em transcrições e os dois sobrenomes fariam referência a uma família Pradal, de origem italiana. Em dezembro de 1999 foi publicada uma coluna sobre eles num periódico de Leopoldina e no site.

Na segunda fase do projeto, cuja primeira coluna foi publicada em 2006, novos estudos nos permitiram melhor identificação dos personagens, separando os Pardal, de origem portuguesa, dos Pradal italianos. E ficou esclarecido que o colono adquirente de lote da Colônia Agrícola da Constança havia sido o português Manoel Gomes Pardal. Sendo assim, nas colunas de novembro e dezembro de 2008 foram publicados os esclarecimentos necessários.

Em abril de 2009, através de contato com o descendente José Luiz Pardal, outros esclarecimentos sobre a família permitiram uma revisão das anotações extraídas de toda a documentação utilizada no projeto.

Aqui apresentamos a composição da família, que poderá sofrer acréscimos a partir de novas informações que surgirem.

José Gomes Pardal Júnior e Mariana Tereza de Jesus foram pais de:  

1 - Manoel Gomes Pardal, português, que em 1911 se instalou na Colônia Agrícola da Constança. Vivia em Leopoldina desde, pelo menos, 1892. Em julho daquele ano casou-se com Maria Ilidia de Rezende, leopoldinense, filha de José de Rezende Barbosa e Mariana Rita de Jesus.

2 - André Gomes Pardal, natural de Trás os Montes, Portugal, falecido no dia 12 de março de 1930 em Porciúncula, RJ. Foi casado com Perpétua Maria Pardal, filha de  José Gomes da Cruz e Helena Maria.

Analisando os livros de batismos de Leopoldina, observa-se que o casal André-Perpétua vivia na cidade em janeiro de 1912. Observa-se, também, que Manoel Gomes Pardal pode ter sido colono da Fazenda Paraíso, antes de adquirir lote da Colônia Agrícola da Constança. Embora ainda não tenha sido possível esclarecer totalmente como se deu a aquisição, parece que foi autorizado o financiamento para compra do lote de número 2 por Manoel Gomes Pardal e posteriormente, com o desmembramento de outros lotes, criaram-se os de números 63 e 64 e a compra pelos Pardal pode ter sido concedida em nome de André, irmão de Manoel.

Manoel Gomes Pardal e Maria Ilidia de Rezende tiveram 7 filhos nascidos em Leopoldina: Avelino (1899); Roza (nascida e falecida em 1902); Izabel (1906); Mariana (1908); Francisco Xavier (nascido em 1910 e falecido em 1911); Almerinda (nascida em 1910 e falecida em 1913); e Ignacia (1919).

André Gomes Pardal teria saído de Leopoldina por volta de 1915, prestando serviços para a Estrada de Ferro Leopoldina. Segundo José Luiz Pardal, André e Perpétua tiveram 4 filhos: Maria, Afonso, Manoel e Perpétua, todos radicados em Porciúncula, RJ.

nilza cantoni, abril 2009