NOTÍCIAS DO EVENTO DOS DIAS 10 E 11 DE ABRIL DE 2010

Leopoldina, Minas Gerais

 

 

CENTENÁRIO DA COLÔNIA CONSTANÇA

por Natania Nogueira

Ontem participei da festa de comemoração dos 130 anos de imigração italiana em Leopoldina e do Centenário da Colônia Constança, com direito a muita música, dança e comidas típicas. A festa foi realizada pela comunidade, com apoio da prefeitura. Os idealizadores são os pesquisadores José Luiz Machado Rodrigues e Nilza Cantoni.

 

Hoje a festa continua, com desfile de carros antigos, missa na Capela da Onça e almoço por adesão. Tudo muito simples, mas muito bonito.

 

Meus alunos do Colégio Imaculada e da Escola Municipal Judith Lintz Guedes Machado tiveram seus trabalhos sobre imigrantes italianos em Leopoldina expostos em uma sala. Foi muito bom ver a comunidade e sua história sendo valorizadas.

 

Programa 60 Minutos

Rádio Jornal AM 1560, 12 de abril de 2010

 

       
   

Centenário da Colônia Constança foi comemorado com sucesso.

A Igrejinha da Onça esteve cheia como nos velhos tempos Um grande público compareceu a capela de Santo Antônio de Pádua, no Bairro da Onça, para as comemorações do Centenário de fundação da Colônia Agrícola da Constança. A festa teve início no sábado, dia 10, às 19:00 horas com a apresentação da Banda Princesa Leopoldina,seguida pelo grupo folclórico Assum Preto com a dança da Tarantela e o coral Encanto. Autoridades, entre as quais o prefeito Bené Guedes e os pesquisadores Nilsa Cantôni e José Luiz Machado Rodrigues fizeram pronunciamentos ao público. No domingo a festa prosseguiu com uma carreata organizada pela Associação de Veículos Antigos de Leopoldina que saiu da Praça João XXIII até a "Capelinha da Onça". Às 11:00 horas foi realizada uma missa campal pelo padre Marcos e logo após um almoço por adesão e leilão. Embora não tenha chovido, o tempo nublado não possibilitou a apresentação de paragliders como estava previsto na programação divulgada pela Secretaria de Cultura. O jornal LEOPOLDINENSE, que apoiou o evento, lançou uma edição especial com 28 páginas e capa colorida, que foi disponibilizada numa barraca durante a festa. A edição intitulada 100 Anos da Colônia Agrícola da Constança reuniu uma compilação dos capítulos sobre a história da imigração italiana para Leopoldina, que foram publicados a partir de 23 de outubro de 1999, na Gazeta de Leopoldina. Com o fechamento daquele jornal,os capítulos foram publicados em seguida, sem interrupção, na Gazeta Leopoldinense de Notícias que mais tarde se transformou no Grupo Leopoldinense de Notícias cujo nome de fantasia é LEOPOLDINENSE. A organização da festa coube à Comunidade, Secretaria Municipal de Educação e Cultura e à Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Turismo, e contou com o apoio das voluntárias da APIL-Associação das Pioneiras de Leopoldina e participação da APAE e Asilo Santo Antônio.

 
     
     
 

Exposição de trabalhos sobre Imigração Italiana em Leopoldina

Segue um vídeo mostrando vários trabalhos sobre imigrantes italianos em Leopoldina. Não é lá o meu melhor vídeo, mas acho que vale a intenção!
   

 

 

 

 

 

O evento na TV

Uma equipe da Band Minas fez a cobertura das comemorações do Centenário da Colônia Agrícola da Constança e dos 130 anos da Imigração Italiana em Leopoldina para o programa Tileoni Show do sábado, dia 17 de abril.

 

Os que moram na região de Leopoldina e sintonizam a Band sem o uso de parabólica assistiram ao programa a partir das 9h30 da manhã. Os produtores se comprometeram a mandar uma fita do programa para ser incorporada ao acervo do Conselho da Capela, instituição que cuida dos interesses da Igreja de Santo Antônio de Pádua, ou "Capela dos Colonos".

 

 

         
 

O Evento na Opinião do Mestre de Cerimônias

Palavras do Marcus Vinicius em seu blog:

"Ontem eu recebi das mãos do Luiz Otavio Meneghite o Jornal 100 anos da colônia Constancia que faz parte da comemoração do aniversario da colônia e os 130 anos da imigração italiana em Leopoldina. À noite atendendo um pedido do setor da Cultura da Prefeitura fui até a capela de Santo Antonio de Pádua no Bairro da Onça onde apresentei o evento comemorativo. Queria de público parabenizar os lutadores da causa Nilza Cantoni e José Luiz Machado, os moradores da área e descendentes italianos, as pessoas que direta ou indiretamente ajudaram nesta realização e que essa festa se torne parte das comemorações da cidade. Estiveram presentes o Prefeito Municipal Bené Guedes, a secretária de Educação e Cultura Lucia Horta, o Secretário de Lazer e Esportes, Gilberto Tony, a vereadora Lurdes Beatriz (Tizinha) e o vereador Daniel Wereck, os secretários do Desenvolvimento Econômico Carlos Heleno, da Habitação, Darcy Resende, da Assistência Social, Valéria Bennati, de Governo, Sérgio Lupatini, a chefe de incentivo a cultura, Rosangela Moreira, a chefe de Ação Cultural, Zazaia Rezende Pacheco, o presidente da Unimed e APAE, Marco Antonio Lacerda, o presidente do Asilo, Oswaldo Vilas, o presidente da ALA, Ronald Alvim e várias outras pessoas ligadas à comunidade e a cidade. O evento teve inicio com a interpretação do Hino da Itália feita por Rayana Talarico da Silva Lingordo, descendente de italianos, logo a seguir o hino nacional e de Leopoldina sendo executado pela Banda Princesa Leopoldina e a palavra dos historiadores José Luiz Machado e Nilza Cantoni que falaram como começou o trabalho de pesquisa, Nilza chegou a se emocionar ao contar como se deu o início. Depois a palavra das autoridades. A Banda Princesa Leopoldina fez execuções de vários números musicais e a seguir o grupo Assum Preto se apresentou dançando a Tarantela sozinhos e depois com várias pessoas presentes e encerrando a noite de ontem o Coral Encanto apresentou vários números com músicas italianas. Durante a movimentação havia um livro de registro de presenças na barraca do GLN que está com uma edição especial sobre os 100 anos da Colônia Constância e que inclusive está à venda nas bancas de Leopoldina. Na escola da comunidade alguns nomes de descendentes, cerca de 430 nomes, que foram pesquisados por alunos de escolas públicas de Leopoldina. Hoje a festa terá inicio daqui a pouco com o desfile de carros antigos até a comunidade, depois a apresentação da Lira Primeiro de maio, a missa às 11 horas na Capela de Santo Antonio de Pádua, a seguir um leilão e ainda um almoço típico italiano por adesão. O Tileoni que tem um programa na Rede Bandeirantes Minas estará hoje gravando alguns flashes da festa e entrevistando pessoas, inclusive do paraglider e estará passando no próximo sábado ás 9.30 da manhã."

 

COMENTÁRIOS DOS LEITORES DO JORNAL

NEUZA MANCA DE SOUZA - LEOPOLDINA/MG [13/04/10 - 22h28] Eu tive a graça de participar da Santa Missa com muita alegria, animando a celebração, fiquei feliz em conhecer os pesquizadores Nilza Cantôni e José Luiz. Também ao celebrar com todos descendentes de Italianos, pois meus avós paternos vieram casados da Itália es se instalaram nas proximidades de Muriaé eu e meus irmãos nascemos em Rosário da Limeira.

 MARIA MARTA DE OLIVEIRA - LEOPOLDINA/MG [14/04/10 - 17h15] com muito orgulho venho falar desta linda festa,que aconteceu ,parabens pelo centenario da colonia italiana!

 THADEU DA SILVA FURTADO - LEOPOLDINA/MG [15/04/10 - 05h33] Caro amigo Luiz Otávio Existem pessoas que possuem o dom de transformar um simples comentário em um grande artigo. Outras, como eu, não conseguem fazê-lo e, sempre resumem seus assuntos em poucas palavras, não conseguindo fazer dele o belo e extenso texto que merece. E foi isto que aconteceu comigo, na Festa da Colônia Constança. Porém vou tentar me alongar um pouco: Que bela festa; Tão bem organizada, bonita, com um astral maravilhoso e mostrando mais uma vez o que sempre penso: O pessoal de Leopoldina quando quer fazer alguma coisa, sabe fazê-lo. O Zé Luiz, a gente já conhece desde o tempo do Ginásio, no entanto a Nilza Cantoni... Mama mia! Tanto sabe escrever, como falar bem. Realmente foi DEZ COM LOUVOR. Não podemos deixar de ressaltar também o papel da imprensa, com a edição do suplemento sobre a Colonia, é, como disse a Nilza um monumento histórico, pois para sempre ficará registrada a história deste povo que saiu de terras longínquas para, em nossas paragens escrever esta linda história. Vamos continuar com ela, e cada vez mais com o apoio do Poder Público, que por sinal esteve presente e muito atuante, os Empresários e o envolvimento da população para inclui-la de uma vez por todas no calendário de eventos de nossa cidade. Parabéns a todos e um abraço do amigo Thadeu Silva Furtado

JOAO GONÇALVES - LEOPOLDINA/MG [16/04/10 - 07h41] SUCESSO "Comprovado", "Ratificado", Brilhante Festa....Só faltou a "Medalha de Honra" pra Luja e Cantoni... ELES MERECEM...........

LUCRECIA - BH/MG [16/04/10 - 10h42] Pelas fotos,pelo trabalho que carinhosamente foi realizado pela Nilza e José Luiz faço minhas as palavras do Thadeu da Silva Furtado.A Terra Nostra está cravada em Leopoldina.Tenho netas que assinam Gotardo Bonin Anzolin de sobrenome A música (dingo) do Novo Milenio no texto cita:venha fazer parte desta família(Anzolin)A todos os imigrantes italianos e descendentes nossas homenagens em especial ao meu sogro Guerino Victorio(Sr Quirino como era conhecido) Suas lutas e histórias foram ouvidas inclusive pelos netos

LUCILIA PAIXÃO MENDONÇA - LEOPOLDINA/MG [16/04/10 - 14h45] É com muito orgulho que parabenizo dois Leopoldinenses, dois historiadores e dois amigos " Nilza Cantoni e José Luiz " Pelo estudo e a realização do centenário da Colonia Constança. No domingo, fui a Missa e amei ouvir a Rayana contando o hino da Itália.Parabens a todos.Faço parte da Família Minicucci e Vitoi, atraves destes imigrantes lhe digo: muito obrigado Nilza e José Luiz. João Gonçalves você tem razão, só faltou a "Medalha de Honra" para os dois.Um abraço a todos que contribuiram para essa bela festa.

PLINIO FAJARDO ALVIM - ALÉM PARAÍBA/MG [22/04/10 - 17h00] Parabéns aos promotores da Festa do Centenário da Colônia Constança. E ao Leopoldinense, pelo apoio, pela bela cobertura e pela Edição Especial. É a nossa história sendo resgatada e revitalizada. Foi, sem querer fazer trocadilho, uma verdadeira 'FESTANÇA'.

MÔNICA APARECIDA SILVA ZANGIROLAMI - LEOPOLDINA/MG [23/04/10 - 07h57] Está festa foi uma otima maneira de reunir todos os descendentes dos italianos. Eu fico muito feliz por ser descendente de um povo tão batalhador. Parabéns aos organizadores. Abraços!!!

 
     
 

A Festa da Colônia Constança

Podemos considerar que foi um sucesso a festa comemorativa dos 130 anos da Imigração Italiana para Leopoldina e dos 100 anos da Colônia Constança. Voltar à Capelinha de Santo Antonio da Onça sempre me emociona. Ali minha mãe foi professora, ali estudei o primário, ali estudei catecismo com o Padre Raul e recebi minha primeira comunhão. Ali também, nas festas de Santo Antonio dos anos 50 eu, ainda molequinho, tomava chocolate quente servido pelo Geraldo Patrício e ganhava maçãs das mãos de Da. Olga Matola, nos jogos de mafuá.

 

Todo louvor a essa arrojada iniciativa do José Luiz Machado Rodrigues e da Nilza Cantoni, idéia das mais oportunas que temos visto em nossa Leopoldina. No lançamento do projeto, era difícil imaginar que daria certo. Eventos culturais só valorizam e dão vitalidade à auto-estima e à economia da cidade.

 

Esses dois abnegados membros da ALLA, Nilza e José Luiz, merecem nosso reconhecimento. Há algumas semanas atrás assistimos no Auditório do CEFET a uma exposição da obra do artista plástico Luiz Raphael, apresentada pelo também membro da ALLA, Elias Fajardo Fonseca. Constituiu-se o evento numa rara lição de noções semiológicas para compreensão de uma obra artística, coisa muito raramente oferecida ao nosso grande público.

 

Diríamos que só por aquela noite a ALLA já estaria justificada como entidade fomentadora de novas vertentes para o incentivo, entre nós, de hábitos culturais.

 

A inscrição que agora se pode incrementar, na Agenda Cultural da cidade, do componente histórico da chegada do imigrante europeu na Mata Mineira, com destaque para a afluência maciça do contingente peninsular em nossa terra a partir do final do Século XIX e início do Século XX, constitui-se em achado histórico de promissores desdobramentos. Conhecendo os idealizadores como conheço, posso assegurar que o segundo passo já pode estar a caminho.

 

Mais uma vez a ALLA, por seus dois estudiosos da história da Mata Mineira, Nilza Cantoni e José Luiz, está de parabéns. Como de parabéns estão todos os voluntários, pessoas dedicadas e trabalhadoras, que vi preparando, de ferramentas à mão, a limpeza de toda a área fronteiriça à Capelinha de Santo Antonio. Sobretudo gente do lugar, liderada pelo José Antonio Bonin, pelo Tiãozinho Rodrigues, pelo José Luiz e pelas senhoras da APIL, que participaram ativamente da decoração.

 

E, dentre estas últimas, desde sexta-feira de mãos à obra, envolvida na decoração da área fronteiriça à Igrejinha de Santo Antonio, a própria Senhora Nilma Junqueira Guedes, esposa do prefeito Bené Guedes lá estava. Agradecimentos devidos também ao Bené, que colocou seu secretariado à disposição dos idealizadores do evento. Foram estas pessoas que, de fato, fizeram a festa.

 

Entendo, como acima sugerido, deva o evento a ser integrado às programações culturais regulares de nossa cidade. De três em três anos, ou de cinco em cinco anos, como melhor entenderem os responsáveis.

 

Claro que, numa próxima oportunidade, haveremos de novamente contar com o apoio de todos os conjuntos e artistas que tão dignamente se apresentaram, somados, com toda certeza, a novos contingentes de entusiastas. Temos todas as condições de fazer da confraternização entre os diversos contribuintes étnicos de nossa formação humana, eventos de repercussão cada vez mais abrangente. Nesse desiderato jamais será dispensável a participação da imprensa local, com o amplo respaldo dado à comemoração, mercê do tirocínio e da dedicação profissional de Luiz Otávio e Maria José, com os filhos José Gabriel e Luciano, família que tem levado ao proscênio a missão de bem informar, através do vitorioso periódico LEOPOLDINENSE.

 

Concordo com a oradora que, no sábado, após a apresentação do “Assum Preto”, reclamou para Leopoldina uma Secretaria exclusivamente cultural. Há, sim, muita coisa interessante a ser realizada nesta área. As pessoas são estas mesmas. Vejo-as, todas, como pessoas certas nos lugares certos. Inclusive a liderança lúcida do Sr. Prefeito, nosso experiente, ponderado e culto Bené Guedes, um homem acessível que sabe ouvir e dar o apoio às boas e conseqüentes iniciativas.

 

Em momentos assim, sentimo-nos, todos, um pouquinho mais próximos do coração de nossa Leopoldina muito amada.

 
     
  Posteriormente incluiremos, aqui, um resumo das inúmeras mensagens eletrônicas que recebemos.  

Creative Commons License

Todos os textos e imagens utilizados no resgate da história da Colônia Agrícola da Constança

estão sujeitos a licença de uso: Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 3.0 License.

 

VOLTAR FALE CONOSCO