Arquivo da tag: Idalina Gomes

105 – Átila Lacerda da Cruz Machado – A família do sogro Raphael Domingues

O Trem de História segue hoje os caminhos da família da esposa de Átila Lacerda da Cruz Machado, senhora Herondina (Gomes) Domingues da Cruz Machado, para chegar ao seu pai e irmãos.

Herondina era filha de Raphael Domingues e Idalina Narcisa Gomes Domingues. E, segundo o saudoso Luiz Raphael Domingues Rosa, neto do casal, o avô teria nascido em 21.01.1863 na Vila de Gondar, distrito de Caminha, Minho, Portugal, filho de Domingos José Domingues e Josefa Rosa.

Registros outros dão conta de que Raphael Domingues era comerciante destacado e respeitado na cidade. Seu estabelecimento comercial funcionava na Praça General Osório, esquina com Rua Plóbio Cortes de Paula, no centro. Hoje ele tem seu nome perpetuado numa rua do Bairro de Fátima, via de ligação entre as ruas Farmacêutico Durval Bastos e Gentil Pacheco de Melo [5].

Idalina Gomes nasceu em Machambomba, atual Nova Iguaçu (RJ), em 09.11.1883 e faleceu em Leopoldina em 30.01.1967. Era filha de José Gonçalves Gomes e de Ambrozina Narcisa Teixeira. Ela, também, empresta seu nome à via pública da cidade que partindo da Rua Geraldo Campanha passa pelo Estádio Municipal Guanayro Fraga Mota e encontra a confluência das ruas Coronel Olivier Fajardo e José Peres, conforme redação da lei nº 614, de 23.03.67 complementada em 20.12.88, pela lei nº 2044.

Raphael e Idalina se casaram em Leopoldina[4] no dia 12.05.1900 e tiveram os filhos a seguir, nascidos nesta mesma cidade:

Os dois primeiros, Nemésio nascido[6] em 24.04.1901 e 02) Raphael Domingues Júnior, nascido em novembro de 1903, faleceram antes de completarem o primeiro ano de vida. O primeiro faleceu [7] em 26.01.1902 e o outro, em setembro de 1904.

O terceiro filho foi José Gomes Domingues nascido[9] a 10.08.06 e falecido em Belo Horizonte em 01.07.77, tendo sido sepultado em Leopoldina[10]. Foi, dentre os irmãos o mais conhecido. Casou-se[11] em Aparecida do Norte aos 10.12.31 com a leopoldinense Maria do Carmo Barroso Guimarães, filha de Arsênio Tambasco Guimarães e Dinorah Barroso. Neta paterna do italiano Giovanni Tambasco e de Maria Amélia Guimarães e, pelo lado materno, neta de Silvio Barroso e Matildes Smith. José Domingues e Maria do Carmo Barroso tiveram quatro filhos: Marcelo (ex-diretor do Colégio Estadual Prof. Botelho Reis), José Maria, Marco Aurélio e Márcio.

José Domingues, como ficou mais conhecido, na juventude foi destacado jogador de futebol. Na fase adulta exerceu os cargos de juiz de paz e delegado de polícia. Ingressou na vida pública elegendo-se com facilidade para o cargo de deputado estadual em 1966. Foi escolhido secretário de administração do estado de Minas Gerais no governo de Rondon Pacheco.  Empresta seu nome a uma rua do Bairro São Cristóvão.

O quarto filho do casal Raphael e Idalina é Moisés, nascido[12] dia 11.06.08. Ele se casou[13] dia 26.02.30 com Regina Rezende Soares, natural de Cataguases, filha de José de Rezende Vieira e Ercilia Soares.

Arminda Domingues, a quinta filha do casal nasceu em 1909 e se casou[14] em 09.09.26 com Otto Lacerda França, filho de Manoel Bruno Viana França e Maria Augusta Rodrigues de Lacerda, com quem teve os filhos: Sérgio (ex-professor), Elcio, Nice, Helena e Marly;

Do sexto filho, Odilon Gomes Domingues, nascido[15] aos 24.08.13, sabe-se que se casou com Leise Guimarães, mas não se obteve notícias sobre possíveis descendentes.

Herondina, nascida em 07.09.16 casou-se com Átila Lacerda da Cruz Machado. Casal do qual já se falou em artigo anterior.

Maria de Lourdes Domingues, nasceu por volta de 1919 e faleceu em 01.07.90. Era casada com Geraldo Alves Rosa, com quem teve os filhos Luiz Raphael (*1945 – + 2007), organizador e diretor do Espaço dos Anjos; o médico Maurício Domingues Rosa e as professoras Ângela Maria e de Maria Beatriz.

Quanto a este Geraldo, é bom consignar que embora não se tenha descoberto nestas pesquisas qualquer registro de parentesco direto entre os dois nomes, é curioso observar que o sobrenome Rosa aparece na família com Josefa Rosa, mãe de Raphael Domingues e, reaparece com o genro, Geraldo Alves Rosa.

A nona e a décima filhas do casal, como as duas primeiras, faleceram ainda criança. Nice nasceu em maio de 1921 e faleceu[16] em 09.03.22. Marisa, nascida em 06.01.23, faleceu em 04.02.26, conforme informações de Luiz Raphael Domingues Rosa;

Antonio Gomes Domingues (Ninico), foi o décimo primeiro filho de Raphael Domingues. Era casado com Ítala, com quem teve uma filha; e, Manoel, o décimo segundo, foram colocados no final desta relação como sendo os caçulas por não sido possível localizar informações e documentos com suas datas de nascimento.

A viagem de hoje chega ao final. No próximo número do Jornal, outro personagem leopoldinense embarcará no nosso Trem de História. Até lá!


Fontes de Referência:

Arquivo da Diocese de Leopoldina, lv 09 bat fls 24 termo 165, lv 11 bat fls 44 termo 250, lv 12 bat fls 8v termo 171, lv 14 bat fls 95 termo 480; lv 3 cas fls 44 termo 16, lv 6 cas termo 14 fls 102 e termo 53 fls 44v, lv 7 cas fls 16 termo 64

Cemitério Nossa Senhora do Carmo, Leopoldina, MG, lv 1 1896-1903 fls 35 reg 11470 sep 594 2º plano; lv 2 1904-1920 fls 4 plano 2 sep 1173 e Registro Sintético de Sepultamentos 1963-1983 fls 93.

Gazeta de Leopoldina, 9 mar 1922, ed 230 pag 1.

RODRIGUES, José Luiz Machado e CANTONI, Nilza. Nossas Ruas, Nossa Gente. Rio de Janeiro: do autor, 2004.

Luja Machado e Nilza Cantoni – Membros da ALLA

Publicado na edição 357 no jornal Leopoldinense de 16 de junho de 2018

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Share on Tumblr