Arquivo da tag: Ferreira da Silva

Expedicionários Leopoldinenses – De Eloi a Expedito

Logomarca da coluna Trem de História

O Trem de História de hoje trata dos três nomes de expedicionários leopoldinenses iniciados com a letra “E”. Vejamos.

09 – ELOI FERREIRA DA SILVA FILHO. O Diário de Notícias(1) informa que o soldado nº 1G 293822 da 8ª Cia do 3º Batalhão, do 11º Regimento de Infantaria participou da Guerra no período de 06.10.1944 a 04.09.1945. Retornou da Itália no navio General Meigs que atracou no porto do Rio de Janeiro, no dia 17.09.45. Documentos da família registram que em 15.08.46 ele recebeu Medalha e Diploma de Campanha como integrante da FEB. Recebeu, também, Diploma pela passagem do Equador durante a Segunda Guerra e Certificado de que serviu na Itália, expedido pelo Ministério da Guerra, datado de 30.09.45. Foi reformado como 2º Sargento.

Eloi era filho de Eloi Ferreira da Silva e de Idalina Antonia de Jesus. Nasceu 28.07.1918 em Santo Antonio do Aventureiro. Ainda garoto mudou-se para a Fazenda Santa Rita, em Leopoldina. Casou-se com Maria Abrão com quem teve os filhos José Eloi e Celso Luiz Abrão da Silva, que ainda hoje cuidam das terras que pertenceram ao avô, nas proximidades da Estação Ferroviária de Vista Alegre. Faleceu em 13.07.2003.

10 – EUBER GERALDO DE QUEIROZ tem seu nome grafado como EULER, na relação do livro de Kléber Pinto de Almeida.Nos arquivos da ANVFEB consta que o sargento Euber, 4G 70.922, embarcou para a Itália com o Centro de Recompletamento do Pessoal em 08.02.45. Paula Pinto(2) o relaciona como natural de Minas Gerais, falecido em combate no dia 14.04.45, em Montese, Itália. Mascarenhas de Moraes (3) o menciona entre os sargentos do 6º Regimento de Infantaria mortos em combate

Para Aluízio de Barros (4), o 3º sargento era filho de Galdino Pedro de Queiroz e de Judite Teixeira de Queiroz. Foi agraciado com as Medalhas de Campanha, Sangue do Brasil e Cruz de Combate 1ª Classe. E no decreto que lhe concedeu a última condecoração, lê-se que agiu com bravura na ocupação da elevação II de Serrete, no dia 14.04.45, quando seu pelotão teve que atravessar a zona batida violentamente pelo inimigo por fogo de artilharia. Após ter indicado o procedimento necessário a cada subordinado, lançou-se resolutamente à frente do seu grupo, na direção do objetivo, tendo os seus homens atingido a linha fixada. Entretanto foi atingido mortalmente por uma granada inimiga, tombando heroicamente e dando aos seus homens um magnífico exemplo de bravura e desprendimento. Seu nome ficará sempre ligado à ocupação de II Serrete e estará sempre entre os bravos que lutaram pela liberdade e por um mundo melhor.

11 – EXPEDITO FERRAZ, segundo registra o Diário de Notícias(5), pertenceu à 3ª Cia do 1º Batalhão do Depósito do Pessoal do 11º Regimento de Infantaria e desembarcou do navio General Meigs, no porto do Rio de Janeiro (RJ), no dia 17.09.45. Nos arquivos da ANVFEB, em Juiz de Fora (MG), consta que o cabo 4G 107.596 embarcou para a Itália com o Centro de Recompletamento do Pessoal em 08.02.45. Ainda na mesma Associação colheu-se a informação de que ele nasceu em Piacatuba, em 12.09.1921 e faleceu em 02.01.2000, sem deixar descendente declarado. Era filho Basílio Ferraz e Clarice Barbosa.

General Meighs, navio que transportou tropas brasileiras na Segunda Guerra Mundial

No próximo número embarcarão para esta viagem os Expedicionários Leopoldinenses a partir da letra “F”. Aguardem. Ainda faltam muitos. Nem chegamos à metade da relação.

Notas:

(1) Expedicionários que viajam no “General Meigs”. Diário de Notícias, Rio de Janeiro, primeira seção, p. 6, 14 set. 1945. Disponível em <http://memoria.bn.br/pdf2/093718/per093718_1945_07023.pdf>. Acesso em 12 jan. 15.

(2) PINTO, Henrique de Moura Paula. Lista detalhada dos Mortos da F.E.B na Campanha da Itália. Publicado em 15 jul. 2012. Disponível em <http://henriquemppfeb.blogspot.com.br/2012/07/lista-detalhada-dos-mortos-da-feb-na.html>. Acesso em 22 jul. 12.

(3) MORAES, J. B. Mascarenhas de. A FEB pelo seu Comandante. 2.ed. Rio de Janeiro: Bibliex, 1960. p. 334.

(4) BARROS, Aluízio de.  Expedicionários Sacrificados na Campanha da Itália. Rio de Janeiro: Bruno Buccini, 1955. p.78.

(5) Expedicionários que viajam no “General Meigs”. Matéria citada.

Luja Machado e Nilza Cantoni – Membros da ALLA
Publicado no jornal Leopoldinense de 16 de julho de 2015

  • Share on Tumblr

  Carta de Liberdade

Passada no Cartório de Notas de Pirapetinga por Vicente Ferreira da Silva a 21.05.1872, concedendo liberdade ao filho de sua escrava Silvana, na época com 8 meses e 4 dias.

6º livro de Notas do Cartório de Paz de Pirapetinga, códice 30 do Arquivo da Câmara Municipal de Leopoldina, folhas 38.

Carta de libertação de escravos

Saibão quantos este publico instrumento virem, que sendo no anno do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Christo, de mil oito centos e setenta e dous, aos vinte e hum dias de Maio do dito nesta Freguesia de Santa Anna do Pirapetinga Termo da Leopoldina Comarca do Rio Novo e Provincia de Minas, em meo Cartorio compareceo perante mim escrivão, O cidadão Vicente Ferreira da Silva morador nesta Freguesia do meo conhecimento e das testemunhas abaixo assignados perante as quaes por elle foi dito que é Senhor, e possuidor de hum escravinho de nome Pedro, de idade de oito meses e quatro dias, filho de sua escrava Silvana, ao qual concede plena liberdade como se nassesse de ventre livre, isto de muito sua livre e espontanea vontade, e de como assim o disse me pedio este instrumento em meo livro de nottas para a todo o tempo constarem o qual assigna com as testemunhas, com migo Manoel Jose de Magalhaens, escrivão que escrevi e assigno em publico e razo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Share on Tumblr