Arquivo da tag: Devoto & Oli

94 – Savino # Sabino – A grafia do sobrenome

De forma proposital, nesta série de artigos o Trem de História inverteu a ordem tradicional de abordagem deste assunto. Embora arriscada, esta foi uma decisão pensada a partir de certos pressupostos que serão explicados a seguir.

Como bem lembrou Mioranza (1), “a onomástica envolve áreas da linguística, da antropologia, da sociologia, da geografia, da história e da psicologia”. E acreditam os autores não ser adequado desconsiderar este caráter multidisciplinar por conta da acepção da própria palavra: onomástica. Que, como se sabe, é um termo grego que se compõe de ónoma (nome) e tékne (arte), significando, então, arte dos nomes. É sabido que toda arte provém de um conjunto de conhecimentos e a onomástica busca suas bases na linguística histórica que reflete o conjunto das práticas de cada momento.

Necessário, ainda, lembrar que o mesmo Mioranza aponta a contribuição inestimável dos tabeliães e escrivães para a fixação das formas dos atuais sobrenomes que, na maioria das vezes, surgiram num momento em que a ausência de normas ortográficas foi suprida pela melhor forma de transcrever informações orais. Razão pela qual são encontradas variações de grafia contemporâneas, não sendo possível determinar-lhes a prevalência.

Mas o sobrenome é como um símbolo ou etiqueta de um tronco familiar. E como tal, se a ideia é considerar as relações familiares num estudo, faz-se mister agrupar todos os personagens sob uma só etiqueta. Assim, como metodologia de trabalho fez-se a opção pela grafia encontrada em fontes relativas ao genearca do grupo.

Tal decisão metodológica se fundamenta, também, em duas razões práticas. A primeira, porque o uso de variações ortográficas praticamente invalida a indexação automática e a busca no sistema de processamento de dados. A outra razão é que a forma utilizada no país de origem permite identificar rapidamente a procedência do imigrante. A família objeto deste estudo é um exemplo clássico: em Leopoldina existem os Sabino, procedentes do centro de Minas e os Savino, de origem italiana.

Para esclarecer a origem do sobrenome Savino tomou-se por base, inicialmente, outra obra de Mioranza na qual ele informa que Savino origina-se do latim Savinus ou Sabinus, “termo étnico pertencente ao povo dos sabinos, estabelecido nos arredores de Roma” quando de sua fundação.

Segundo Devoto & Oli, o sobrenome Savino vem de um povo antigo da Itália central, cuja tradição linguística é classificada como osco-umbra, denominação de uma das três subfamílias linguísticas do território italiano.

Para Fischer, o dialeto sabínico sobreviveu por mais tempo ao contato com as outras subfamílias – picena e latina, sendo esta a origem da forma Savino. Devoto & Oli acrescentam que o povo Sabini vivia no território compreendido entre Tevere, Nera, Aterno e Aniene, ou seja, na região setentrional do Lazio, a noroeste da Campania. Entretanto, Orlandini indica a Campania como origem do povo Savini que posteriormente migrou para o Lazio.

Assim como há divergência entre o ponto de origem e de dispersão do povo antigo por parte dos estudiosos, também a grafia adotada como sobrenome, séculos depois, não é unívoca. Nos livros de registros civis do século XIX, encontra-se a forma Sabino na Puglia e na Sicilia. Na Campania e no Lazio, a grafia é Savino. Mas especificamente para a família estudada, todas as fontes italianas a que se teve acesso trazem a forma SAVINO, razão porque foi adotada para os que de lá migraram para Leopoldina.

Com estas explicações fica, então, concluída a apresentação da família italiana do escritor Fernando Sabino. Na próxima edição iniciaremos nova viagem do Trem de História. Até lá!


Bibliografia Consultada:

1 – MIORANZA, Ciro. Filius Quondam. 2.ed. São Paulo: Larousse, 2009 e Dicionário dos Sobrenomes Italianos v.1 São Paulo: Escala, 1977

2 – DEVOTO, Giacomo e OLI, Gian Carlo. Il Dizionario della Lingua Italiana. Firenze-TO: Le Monnier, 2000.

3 – FISCHER, Steven Roger. Uma breve história da linguagem. Osasco-SP, Novo Século, 2009.

4 – ORLANDINI, Attilio Zuccagni. Corografia fisica, storica e statistica dell’Italia e sue Isole. v.2 Firenze-TO: s.nº.

Luja Machado e Nilza Cantoni – Membros da ALLA

Publicado na edição 347 no jornal Leopoldinense de 16 de janeiro de 20183

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Share on Tumblr